POR LINHAS TORTAS

Não me convencem. Este lance é limpo, e na imagem acima a bola até parece já ter ligeiramente saído do pé de Rafa. Não há linha que possa assegurar um fora-de-jogo de quatro centímetros com os jogadores em movimento, e em caso de dúvida há que favorecer quem ataca - não sou eu que digo, é a FIFA.
O VAR está a tornar-se mais num problema do que numa solução. Não diminui a polémica, e, pelo contrário, torna a crítica ainda mais implacável. Só neste jogo, houve quem visse um penálti a favor do Paços, e houve também quem visse um a favor do Benfica. Eu não vi nenhum, mas qualquer dos lances daria discussão para uma semana caso o resultado tivesse sido outro (0-0 ou 0-1).
Em jornadas anteriores houve penáltis claros por marcar a favor do Benfica, e o VAR ignorou.
Mas o pior de tudo isto é que a festa do golo está estragada. Comemora-se a prestações, em função de uma decisão por vezes arbitrária (como se percebe) de quem está longe do estádio.
Quem gosta verdadeiramente de futebol não pode estar de acordo com isto. 
Por mim o VAR acabava já hoje.

8 comentários:

Anónimo disse...

De difícil julgamento mas faço notar que o fiscal de linha assinalou fora-de-jogo, logo o golo seria sempre invalidado. O VAR neste caso possibilitou uma análise (exageradamente, devo confessar) científica do lance, mas ao menos poderia levar à reversão de um suposto "erro humano".

Anónimo disse...

Já eu, apesar de concordar a 100% que o VAR está a estragar o espetáculo de futebol, pois "corta" o momento da celebração e condiciona as emoções do futebol, também acho que o mesmo minimiza um pouco o que é a atuação daqueles que se "socorrem" fora do campo para ganhar jogos, vulgo andrades corruptos.
Posso ser ingénuo, mas é aquilo que eu acho.

Helder Pinto disse...

Não há nem nunca houve off-side de 4cm.

Anónimo disse...

Em caso de dúvida a FIFA preconiza que se beneficie o ataque. Neste caso o VAR não teve dúvida, o ponta de lança estava 4 cms adiantado o que levou a que o lance fosse invalidado corretamente. Outra questão é 4, 5 ou 10 cms adiantado faz sentido que seja fora de jogo. Essa questão não aparece em qualquer protocolo de var ou em qualquer lei do jogo pelo que é natural que qualquer árbitro do mundo se guie pelo que a tecnologia lhe dita e não ande por aí a inventar regras ou a criar precedentes perigosos.

Curioso seria saber se este post sairia se o lance fosse anulado na baliza contrária com 4 cms de adiantamento. Seguramente que não sairia e é isso que está a ajudar a matar o futebol português(moreirense época passada)

LF disse...

Anónimo,

Nestes anos houve já vários lances em que o VAR salvou ou enterrou todas as equipas.
Não é isso que está em causa.
É, até mais do que este caso em concreto, a questão de não se poder festejar golos. Isso é que mata o futebol.
Se tirarmos os clubismos da equação, e observarmos apenas o espectáculo (por exemplo, na Liga Inglesa), vemos que o VAR prejudica muito mais do que beneficia o futebol.
É a minha opinião.
A verdade desportiva não pode ser obtida à custa de se comprometer o espectáculo e a paixão. Até porque, se os árbitros forem desonestos, não é o VAR, como já se viu, que vai impedir de penderem para um ou outro lado. Se forem honestos, o problema nem se coloca.

joão carlos disse...

mas isso da fifa era uma recomendação antes de existir esta tecnologia de analise do fora de jogo.
o que se pode dizer é que o fora de jogo assinalado pelo fiscal de linha à luz dessa directiva foi mal assinalado mas depois a confirmação já não suscitou nenhuma duvida já que com a tecnologia não existem duvidas, ou esta ou não esta.

a grande questão é precisamente qual o frame exacto a ser usado e quem é que toma essa decisão.

este fora de jogo esta dentro da margem de erro, que é de cinco centímetros, mas ai não existe nenhuma directiva e devia de existir para decidir qual a decisão a tomar.
mas já agora essa margem de erro também funciona ao contrario alguém que esta em jogo por menos de cinco centímetros pode estar em fora de jogo, como por exemplo recentemente em que nos foi validado um lance com uma margem também mínima.

mas a pergunta que faço é e se fosse ao contrario e se tivessem validado um lance em que o adversário estava em fora de jogo por 4 centímetros iríamos gostar não iríamos protestar.

LF disse...

A margem de erro não resolve o problema. Depois iria discutir-se a margem de erro da margem de erro, e era uma espécie de bonecas russas.
Para mim acabava o VAR. Ou quando muito o protocolo ficava apenas resumido aos casos em que não se sabe se a bola entra ou não na baliza, e eventualmente agressões entre jogadores longe da bola.

joão carlos disse...

isso sem duvida vão sempre pegar por alguma coisa.

mas o fora de jogo tem sempre de ficar no lote porque não é uma coisa subjectiva ou de opinião ou é ou não é.
nestes casos limites por muito pouco existe sempre uma sensação de injustiça mas nos outros, e eram vários os erros, é benéfico.
e depois existem aqueles que são validados por uma margem igual a esta que foi anulado e ai ninguém diz nada quando a maioria era até anulado.