30/06/11

HUMILDADE

"Cumpriram-se recentemente 50 anos sobre a conquista da primeira Taça dos Campeões Europeus, momento que constitui, provavelmente, o ponto mais alto de toda a nossa história centenária.

Os relatos da altura recordam uma equipa com excelentes executantes, mas, sobretudo, com uma elevada dose de humildade. Ainda não havia Eusébio, e só com uma mistura perfeita de qualidade técnica, humildade, e capacidade de sofrimento, foi possível suplantar o poderosíssimo Barcelona - já então recheado de estrelas de renome mundial, e considerado o grande favorito dessa final.

Se recuarmos um pouco mais no tempo, veremos outra equipa de combate a triunfar extramuros. Falo do conjunto benfiquista que, em 1950, venceu a Taça Latina (competição que alguns querem agora menosprezar), arrecadando o primeiro troféu internacional da história do futebol luso. Foi com arte, engenho, mas sobretudo com muita humildade, que um clube então ainda pouco conhecido além-fronteiras, se superiorizou na prova europeia mais importante da altura. Por cá, vivia-se em plena época de “violinos”. Eram eles os grandes e famosos. Nós… apenas os outsiders, os “pés rapados” que, com arreganho, trabalho e luta, os conseguiríamos suplantar depois, tornando-nos então no maior e mais popular clube português.

A humildade está pois na génese dos nossos principais triunfos, e é parte integrante da matriz central da nossa identidade. Uma atitude humilde e lutadora, acompanhou sempre o crescimento do nosso clube, desde os tempos da Farmácia Franco até ao topo do mundo.

Decorridos muitos anos, e muitas vitórias, nem sempre temos sabido relevar esse passado. Do alto de uma gloriosa saga europeia, do alto dos muitos títulos nacionais, do elevadíssimo número de associados, e de um incomparável mediatismo, permitimos que o Benfica se tornasse, por vezes, um clube altivo e sobranceiro. E essa é, hoje, uma das nossas principais fraquezas.

Tenho abordado aqui, ao longo das últimas semanas, aspectos que, no meu modesto entendimento (e enquanto mero adepto de bancada), podem contribuir para que as próximas temporadas do futebol encarnado sejam substancialmente mais felizes do que aquela que terminou. Depois de falar da força física, e da força mental, creio que a humildade (a todos os níveis) deve também figurar no elenco.

O Benfica é o clube mais odiado do país. Não o é apenas nos recintos dos nossos principais rivais (FC Porto e Sporting, que competem entre si para ver quem mais nos detesta), mas também em quase todos os estádios que visita, seja em Braga, em Guimarães, em Setúbal, em Olhão ou em Leiria. Tratando-se de um clube que apenas foi campeão duas vezes nos últimos 18 anos, esta não é uma situação comum, sobretudo havendo quem tenha ganho muito mais títulos durante esse período, e não seja objecto da mesma antipatia. Haverá razões que se prendem com o mediatismo que sempre nos acompanha, mas muitos dos adeptos desses clubes são peremptórios quando nos acusam de arrogância, soberba, mania das grandezas, e outros epítetos similares. Independentemente das razões que os possam assistir, esta é uma situação que temos de saber reverter, e creio que um discurso de maior modéstia poderia ajudar bastante.

A paixão pelo futebol, e por um clube, não é coisa que se explique nas cátedras da racionalidade. É difícil exigir do adepto comum uma postura de total realismo e objectividade. Mas não há forma de encarnar a humildade de que necessitamos se não tivermos (todos) uma noção real daquilo que hoje somos, e daquilo que efectivamente valemos. O passado não ganha jogos, e o Benfica da actualidade, para crescer, não pode viver sentado à porta do seu extenso e cintilante salão de troféus. Há que perceber que, em termos futebolísticos (e é disso que aqui se fala), perdemos claramente a hegemonia interna, e que ninguém vai ficar parado à espera que – por direito divino - a reconquistemos. Há que perceber também que, no plano externo, não somos mais que um clube mediano, numa Europa onde outros têm conseguido, ainda assim, brilhar. Só partindo desta cristalina realidade, encontraremos a estrada que nos pode levar ao futuro de glórias que o nosso passado fez por merecer.

A humildade tem de começar em cada um de nós, benfiquistas, e estender-se até profissionais e dirigentes. Não podemos afirmar, no início de cada época, que vamos ganhar este mundo e o outro. Não podemos pensar que, só porque nos chamamos Benfica, a cada conquista corresponderá necessariamente um ciclo esmagador, como se os adversários não existissem. Não poderemos entrar em (nenhum) campo, convencidos de que as camisolas chegam para impor os resultados que desejamos, até porque somos aquele a quem todos querem ganhar.

A humildade tem de estar no discurso, e tem de estar na acção (de dirigentes, técnicos, jogadores e adeptos). É um fato que todos temos de vestir, e sem o qual não estaremos em condições de alguma vez fazer reviver as sagas vitoriosas que os primeiros parágrafos deste texto recordam. Sem humildade, não conseguiremos sequer beliscar a supremacia daqueles que, a bem ou a mal, tomaram o nosso lugar."
LF no jornal "O Benfica" de 24/06/2011

8 Comments:

Anonymous Peter said...

Concordo na generalidade com o que esta escrito mas devo acrescentar que o Benfica foi campeao 3 vezes nos ultimos 18 anos e nao 2 vezes como LF disse 93/94 ainda conta.Quanto a humildade, se ha alguem que nao foi humilde a epoca passada foi o presidente e o treinador.Quanto aos adeptos eu acho que acima de tudo tem e que ser exigentes, nao com comportamentos violentos como muitas vezes acontece mas com civismo, porque o excesso de humildade tb e passividade a mais e deixar correr aquilo que esta mal.E O LF tem que compreender que os adeptos querem a inversao do ciclo actual no futebol portugues porque ja ha muito tempo que o perdemos e ja ha muito que sao os mesmos a frente do Benfica sem o conseguir inverter,e esta epoca vai ser decisiva para isso, o libras-boas ate ja deu uma ajudinha, esperemos que o Benfica aproveite, e que nao de tiros nos pes.

P.S.O que e que tem a dizer sobre o arquivamento do caso Kleber por parte do CD da Liga?

30.6.11  
Blogger jfk said...

Absolutamente de acordo, LF.

Um dos grandes, se não mesmo o maior, de todos os males do nosso clube, nos últimos anos, tem sido a arrogância, a falta de humildade.

Achamos que somos melhores, só por sermos benfica. Achamos que temos que ganhar, só por sermos benfica.

Não sabemos ver e aceitar quando estamos numa situação de inferioridade.

Somos o maior clube de Portugal. Temos estado longe de sermos os melhores. E só partindo deste pressuposto, que é o nosso real ponto de partida, poderemos ter hipóteses de sucesso.

E isto começa no topo: dirigentes, depois técnicos e depois jogadores. Só assim se chega aos adeptos.

30.6.11  
Anonymous António Paulos said...

Está um post fantástico. Concordo a cem por cento. Era bom que os nossos dirigentes e todos os responsáveis profissionais do clube o soubessem interpretar.

1.7.11  
Anonymous frank said...

Ai esta um teste por excelencia do LF,adorei nao vou responder a muito porque o texto e grande mas ele focou um ponto essencial a Humildade na minha opiniao perdemos um pouco dessa humildade e agarramo-nos muito aos feitos do passado pensando teimosamente que somos os melhores,os maiores ate o maior do mundo quando isso nao e verdade por isto e por outras que os adeptos Portistas e Sportinguistas nos odeiam cegamente,tambem e verdade que nos os odiamos por diferentes motivos quanto ao olhanense e guimaraes nao sabia que nos odiavam,pronto nos Benfiquistas temos que aceitar a realidade somos os mais odiados,mas resta-nos a consolacao de sermos o mais amado de Portugal segundo a estatistica 6 milhoes, na comunidade imigrante espalhada pelo mundo e um loucura total,e pelo mundo tambem,vivo num Pais multicultural e sei quanto gostam do nosso clube os outros nem sao falados apesar dos seus muitos titulos conquistados ultimamente.

1.7.11  
Anonymous Afonsus said...

lf,
nao é tanto assim, nos estamos ainda muito doridos e então começamos c/ esta conversa da humildade. mas o benfica nunca foi um clube arrogante nem nunca fez questao de jogar o futebol além das 4 linhas. nao é por acaso que, ainda hoje, as pessoas que não sao fanaticas, escolhem o benfica porque simpatizam com o clube e a politica do clube e isso é o que lhe corrói a alma. agora por isso ser um factor de grandeza não quer dizer que nós não sejamos humildes. o fcp tem, também, mérito mas não é só com merito que se constrói uma hegemonia e é verdade que a nossa grandeza tem sido uma das armas deles porque beneficiaram da cantiga do coitadinho e construíram o imperio k sabemos..Forte Abraço

1.7.11  
Anonymous Teresa said...

O seu post está fantástico, só discordo num ponto, o nosso Benfica pode ser odiado em todas as cidades que falou, mas em Leiria garanto-lhe que não! Enquanto Benfiquista e habitante da cidade de Leiria tenho muito orgulho no facto do Glorioso ser o único clube português que enche o magalhães pessoa!Ainda que a meia dúzia de lagartos e os 3 tripeiros que cá habitam possam dar a entender o contrário,o Benfica é muito amado em Leiria!

1.7.11  
Anonymous Lolita said...

Boas ponderações.

Como alguns outros leitores, devo dizer que me parece errada a sua interpretação quanto ao ódio que outros adeptos nos reservam.

Que lagartos e tripeiros nos odeiem, pouco surpreende; eu também não os aturo.

Mas um adepto da Olhanense, do Setúbal, do Guimarães, etc, não se dá, creio, ao trabalho de odiar o Benfica. Se as visitas do SLB enchem esses estádios de antis, talvez seja porque os tripeiros e lagartos que têm esses clubes como segundo emblema não perdem uma oportunidade de torcer contra o Glorioso.

2.7.11  
Anonymous Anónimo said...

Julgo que LF sobrevaloriza a humildade como factor determinante,quer das nossas grandes conquistas, quer a falta dela ou arrogância justificando os piores resultados ou até o ódio ao Benfica que LF vê em muitos estádios. LF esquece muitos outros factores talvez mais determinantes. Por ex.também vencemos o Barcelona porque a equipa foi convencida pelo técnico que era capaz e que era um jogo 50/50.(ver e ouvir entrevista do Bella Gutman antes do jogo).E isto não é arrogância,é motivação e confiança.
Quanto ao ódio nos estádios que refere, além da falta de rigor,(em Leiria assisti ao jogo de 3-3) em que o Estádio estava cheio de benfiquistas leirienses eram poucos e silenciosos. Ódio ao benfica em Leiria só se for do presidente da SAD, Quanto ao odio LF esquece a influência e acção exercida por um dirigente corrupto que domina o futebol português.
Portanto humildade, sim, mas não fiquemos por aí e não exageremos, como me parece que LF faz.
Viva o Benfica!
Manuel Vieira

4.7.11  

Enviar um comentário

<< Home