ESTA PROVA NÃO É PARA CRIANÇAS


Tomás Tavares, Ruben Dias, Ferro, Florentino e Gedson. Cinco jogadores da formação no onze inicial. Cinco jogadores que há pouco tempo jogavam na 2ª divisão portuguesa, tal como, aliás, Chiquinho e Vinicius. Média de idades de 22 anos.
Ora na Liga dos Campeões estão as melhores equipas do mundo. E, mais do que isso, jogam com tudo. Para lá estar é preciso maturidade e classe. Não me parece apropriado, nesse contexto, deixar de fora aqueles que eram, à partida, os três elementos com maior experiência à disposição de Lage: André Almeida, Pizzi e Seferovic. O Benfica já não tinha Rafa (o seu melhor jogador), e sem aqueles três (sendo assim, quatro) perdeu personalidade, expondo-se ao erro – próprio de quem ainda está em processo de aprendizagem, mas desadequado para o palco em questão.
Luís Filipe Vieira diz que um Benfica europeu só é possível a partir do Seixal. Talvez seja verdade, mas com jogadores de 26/27 anos, mantidos no plantel durante vários anos. Com andamento, rodagem e presença para actuar nestas andanças, onde cada erro se paga caro. Imagine-se, neste momento, Ederson, Oblak, Semedo, Cancelo, Lindelof, André Gomes, Renato, Guedes, Bernardo e Felix juntos. Tivesse sido possível segurá-los (e não era), então sim, talvez houvesse Benfica “europeu”.
Este Benfica, tal como se apresentou em Lyon, mas também na Rússia, não tem estofo para a Liga dos Campeões, sendo mesmo dos conjuntos mais fracos que por lá anda. Há ali bastante talento, mas em alguns casos não há mais nada – nem física, nem táctica, nem em qualquer outro parâmetro competitivo. Há jogadores demasiado verdes para a titularidade (correndo o risco de ser queimados nesta fogueira), outros que não são tão bons como se pensa, e a agravar, também se vê uma ideologia táctica demasiado romântica, como se o Zenit, o Leipzig ou o Lyon, fossem o Tondela, o Moreirense e o Desportivo das Aves.
A Liga Portuguesa está moribunda. O Sporting é o que se vê, o FC Porto nada tem a ver com os grandes FC Portos do passado recente, e até o Braga está em crise. Os outros são, genericamente, equipas medíocres, que só defendem e mal. O equilíbrio é feito por baixo, e isso dá uma imagem distorcida do real valor deste Benfica, que entre portas consegue ser dominador, mas de Badajoz para lá é demasiado pequenino para qualquer ambição.
Se a aposta é no Campeonato, então há que assumir que a Europa é apenas para garantir o dinheiro da presença (o que não é pouco), e dar minutos a jogadores menos utilizados. O risco é ser enxovalhado, mas isso, nesta temporada, sabe Deus como, tem sido evitado. Se se quer um pouco mais do que isso (não só o presidente, também o treinador o disse), então a abordagem tem de ser diferente. E se havia que poupar André Almeida e Pizzi, então tinham sido poupados com o Rio Ave.
Resta sonhar com a Liga Europa, e reflectir sobre aquilo que se quer, verdadeiramente, para o futuro próximo: formar jovens, alicerçar a equipa-base neles (para os mostrar, e depois vender), ganhar alguns campeonatos e continuar a ser pequenino lá fora, ou, mantendo os maiores talentos da academia, investir em alguns jogadores feitos (Cardozos, Aimares, Saviolas, Garays, Gaitáns etc) e utilizá-los diante dos adversários mais fortes – que são, inquestionavelmente, os da Champions? Por mim, aceito e percebo qualquer uma das duas opções, dependendo da margem financeira que exista para a levar a cabo. O que não pode é haver um discurso totalmente dissonante da realidade.

9 comentários:

Edu68 disse...

Totalmente de acordo.
Fiz um comentário parecido com o seu num outro blog;
Triste... europa! Triste... Benfica.

Nhaga da Costa disse...

Estou de acordo com o texto. Também essa é a minha opinião, por isso não dou grande importância à derrota. Não vale a pena.

A minha opinião é que o mais importante é continuarmos a ganhar dentro de portas enquanto esperamos que os miúdos cresçam fisicamente e em experiência e isso só se consegue com jogos mais exigentes e com tempo.

Depois temos os histéricos que pensam que ainda estamos nos anos 60 quando jogávamos com pouca concorrência na Europa e que devem ter passado os anos 80 e 90 a dormir, quando fomos uma vergonha, aí o nome do Benfica não andava pela ruas da amargura, sempre a sermos roubados todos os anos por uma associação de criminosos, quando não tínhamos dinheiro nem para mandar cantar um cego.

Depois apareceram aqueles, a quem chamam talibans, que querem assaltar o poder aproveitando-se da desgraça alheia em proveito próprio. São oportunistas que se dizem benfiquistas mas que não se portam como tal, portam-se como os piores inimigos, hipócritas que de dizem indignados com as derrotas mas que no fundo estão muito satisfeitos porque é para as derrotas do Benfica que eles trabalham já que é a única forma de ganharem o poder.

Fazem a mesma coisa que fazem os cartilheiros andrades que agora até implicam com o Florentino para desviar as atenções dos crimes que continuam a cometer para continuar a condicionar a arbitragem.
Por mim, essa bicharada pode desaparecer da face da Terra.
Não estou nada preocupado enquanto continuarmos a ganhar cá dentro.
Tenho a certeza que as pessoas competentes que trabalham dentro do Benfica analisam o que se passa e que irão tomar medidas no futuro. Como têm sempre feito.

Kazoany disse...

Subscrevo. É isso. Grande análise

Joaquim Rato disse...

Agora vamos assistir a um discurso que vai responsabilizar o treinador, quando o principal responsável é o ventoinha. O Benfica esta época se calhar vai ter o maior orçamento da sua história para o futebol. Se houvesse seriedade, e competência, devíamos ter uma das melhores equipas deste século. Não é o que se verifica, muito longe disso. E isso acontece porque temos um presidente que se anda a servir do Benfica ( desde que Jesus saiu, e por isso saiu ), em vez de servir o Benfica. Os néscios dizem: Jesus tinha melhores plantéis, nalguns casos teve. Mas no tempo de Jesus alguma vez se comprou jogadores de 20 milhões?!!! Não, comprou-se por metade, e eram titulares. Os benfiquistas se não andassem a dormir, não aceitavam que um jogador que custou 17 milhões tivesse a prestação que Vinícius teve no jogo de ontem. Um jogador de 17 milhões tem de ser titular, e um dos melhores, pode-se falhar de vez em quando, mas no Benfica já se passou o mesmo com Jimenez. Isto acontece no Benfica porque os jogadores são comprados não para servir os interesses da equipa, mas no âmbito de negociatas.

Quanto ao treinador, vai ser considerado pelos avençados o principal responsável, mas ele pôs-se a jeito. Lage tem qualidades, mas é muito inexperiente. Ontem não esteve mal, apesar de lento a ler o jogo, um dos principais defeitos, a opção por Gedson, fez sentido; o mesmo em relação a Tomás Tavares, André ainda não tem boa condição física, e sem ela é um jogador medíocre; Vinícius, que ainda me não convenceu, foi uma nulidade. Mas quem lhe perdoava se ele não jogasse? Eu próprio não esperava uma prestação tão ruim, tanta falta de entrega, até de classe. É evidente, que há coisas que não concordo: Taarabt é neste momento dos melhores jogadores do Benfica, e tem físico, coisa muito importante numa equipa que tem grande lacuna neste factor. Mas não foi por isso que o Benfica perdeu, como não foi por causa do pizzi não ter entrado de início, como vai ser badalado pelos néscios, aliás, ele jogou de início na Rússia, e foi o que se viu, como foi com os alemães.

Anónimo disse...

Concordo com o que foi dito, mas acho que se continua a exagerar. Talvez a culpa não esteja nas opções do treinador, na falta de experiência dos jogadores, etc, mas sim na realidade do futebol português. É preciso lembrar que o Benfica é a única equipa portuguesa na Liga dos Campeões, porque o Porto nem se conseguiu apurar. A realidade do Benfica actual não é diferente da que se tem visto na última década. Já no tempo do Jorge Jesus, em que se investia forte em contratações (e convenhamos, sem resultados proporcionais ao investimento), o Benfica acabava a lutar pelo 3º lugar na fase de grupos e ir para a Liga Europa, onde já tinha outro tipo de ambições. A este nível, a realidade do Porto não é muito diferente e a do Sporting nem se fala, que apenas ultrapassou a fase de grupos por uma vez na sua história e acabou eliminado pelo Bayern de Munique por 0-5 e 7-1 nos dois jogos (ainda hoje a maior derrota agregada de sempre na competição). A realidade portuguesa é esta, porque não há dinheiro nem visibilidade como nos países vizinhos. Claro que há excepções, como há 3 anos quando chegámos aos 1/4 de final. Mas no geral a regra das equipas portuguesas é esta.

A meu ver, o mais importante é dar continuidade ao excelente trabalho que se tem feito, dominando a nível interno e tornando o Benfica numa presença crónica na competição. O resto vem por acréscimo. Relembro que o Benfica cumpre este ano a décima presença consecutiva na Liga dos Campeões, um feito que mais nenhuma equipa portuguesa alguma vez alcançou. Pode-se criticar, pode-se achar que é curto, mas é inquestionável que os outros clubes portugueses ainda estão abaixo do nosso nível e não fazem melhor que isto.

Anónimo disse...

O que estão a tentar dizer é que o Benfica já não existe. Desde quando é que o campeonato português foi competitivo? é para rir. Nos anos 70 todos se queixavam da falta de competitividade da Liga Portuguesa e o Benfica chegava às meias-finais da Taça dos Campeões com super-equipas.

"por isso não dou grande importância à derrota. "

É o Benficazinho moderno.

"É preciso lembrar que o Benfica é a única equipa portuguesa na Liga dos Campeões"

Como sempre o foi.

"dar continuidade ao excelente trabalho que se tem feito, dominando a nível interno"

O Benfica em 17 anos foi 7 vezes campeão e ganhou 3 taças de Portugal.
O FCPorto em 17 anos foi 10 vezes campeão e ganhou 5 taças de Portugal.

"Depois temos os histéricos que pensam que ainda estamos nos anos 60 quando jogávamos com pouca concorrência na Europa e que devem ter passado os anos 80 e 90 a dormir, quando fomos uma vergonha"

Os histéricos dizem que jogámos contra dezenas de grandes na Europa, do Barcelona ao Real Madrid, da Juventus ao Milan, ao melhor Tottenham da história, ao Manchester United, ao Ajax de Cruyff.... batíamos de igual para igual com todos. Equipas históricas quase todas, que ficaram na História do futebol. Foi isso que fez o Benfica um Grande na Europa.

Nos anos 80 e 90 fartámos de ganhar jogos na Europa, até com o Pembridge a titular ganhámos ao campeão alemão em título.

O Benfica está uma desgraça e não custa muito ver onde está o conformismo.

Fvelhinho disse...

K me interessa o k fazem outros clubes? K comentário ridículo. VERGONHA DE EXIBIÇÃO. ..MAIS UMA!

Caça-Infiltrados disse...

O último anónimo é um exemplo de um adepto de outro clube que vem para um blog benfiquista tentar desestabilizar. Comentário ridículo.

"O que estão a tentar dizer é que o Benfica já não existe. Desde quando é que o campeonato português foi competitivo? é para rir. Nos anos 70 todos se queixavam da falta de competitividade da Liga Portuguesa e o Benfica chegava às meias-finais da Taça dos Campeões com super-equipas."

E na realidade actual o Eusébio, Coluna, Torres, Águas, Shéu e companhia ficavam toda a carreira no Benfica sem serem comprados por um clube de uma liga milionária? Argumento estúpido, dragarto.


"Como sempre o foi."

O Benfica sempre foi a única equipa portuguesa na Liga dos Campeões? Estás a falar de que desporto, dragarto? Ou é só desespero?


"O Benfica em 17 anos foi 7 vezes campeão e ganhou 3 taças de Portugal.
O FCPorto em 17 anos foi 10 vezes campeão e ganhou 5 taças de Portugal."

Porquê 17 anos, dragarto? Porque não 12 anos e 3 quartos? Ou meio século? Eu sei que dói, mas vai ver quem dominou o futebol português na década 2010-2019.


"Nos anos 80 e 90 fartámos de ganhar jogos na Europa, até com o Pembridge a titular ganhámos ao campeão alemão em título."

Quando não íamos sequer à Liga Europa? Quando fomos goleados em Vigo? Saudades desses tempos, não é dragato?

"O Benfica está uma desgraça e não custa muito ver onde está o conformismo."

Boa tentativa, dragarto. Mas não somos parvos e não é por um anormal qualquer repetir aldrabices que as pessoas vão acreditar. Darias tudo para estar como nós, não é? temos pena. Isto é o equivalente a eu ir para um blog sportinguista dizer que estamos em alta. Só acredita quem é burro.

Anónimo disse...

Vai chamar dragarto á tua tia que eu sou sócio emblema de prata pá.

Não percebes nada, mas mesmo nada, do que é o Sport Lisboa e Benfica. O 2º clube com mais presenças na Taça\Liga dos CAmpeões europeus.

O Benfica com Beto e Alcides eliminou o Manchester United.

Não compreendes, apesar de tanta inteligência e educação, eu faço um desenho: O problema do Benfica não é questão de orçamentos nem de jogadores, mas sim de mentalidade. A mística do clube morreu. Por causa de adeptozinhos como tu.

ARgumentos ad hominem não são argumentos. TEnho pena de ti.

17 anos são os anos do Rei-Sol Vieira. O Benfica dominou o futebol português na década de 2010-2019? Extraordinário, como se isso não fosse a coisa mais normal num clube como o Benfica.

Saudades dos anos 80 e 90 muitas e muitas.... ganhámos à juventus, duas finais da Taça dos CAmpeões, meias-finais da Taça das Taças, ganhámos À Fiorentina, ao PArma, ao Arsenal, ao campeão alemão em título, goleámos o Dínamo e ganhámos ao PSV do Van Nistelrooy. Só equipas de topo.

Aposto que és um puto que não viu nada daquilo. Falas de Vigo porque ignoras tudo o resto.

Em suma, não és benfiquista. Topo-te ao longe.

És adepto do Vieira, não queres saber do Benfica para nada. O Benfica ser derrotado constantamente na Europa não te incomoda nada.

Tu é que aplaudes o pior Benfica europeu da História. Bom para ti, pena que isto vai acabar mais cedo do que parece.