29/11/11

O FOGO QUE OS QUEIMA

Como alguém já disse, o incêndio da Luz é o caso mais grave de violência passado num estádio em Portugal, desde que o Euro 2004 proporcionou ao país recintos topo de gama.

A ideia de alguém entrar para uma bancada munido de produtos inflamáveis, com o intuito preconcebido de provocar um incêndio, é algo de assustador. Salvaguardando as distâncias, trata-se de uma espécie de 11 de Setembro do hooliganismo luso. Trata-se de ir até onde nunca ninguém ousara chegar. A agressão aos bombeiros é a cereja no topo de tão amargo bolo.


Este episódio, e o cartão de visita que ele representa para quem o provocou, justificaria até mais do que uma gaiola ou uma jaula. Não era preciso outra coisa para se perceber que o Benfica tinha razão em isolar semelhante gente. E as tentativas do Sporting para agora, em desespero, tentar subverter a ordem das culpas, chegam a ser penosas, quando foram dirigentes seus a acicatar os ânimos dos adeptos contra uma “provocação” que só existiu nas suas obstinadas cabeças.


Qualquer observador minimamente atento percebe quem se saiu mal do caso, e essa vitória deveria ser suficiente para o Benfica agarrar a razão, tal como fez em campo com os três pontos. Perante isto, estivesse eu nos sapatos de Luís Filipe Vieira, a única coisa que faria era entregar o caso à polícia, e apresentar a factura das despesas à direcção leonina. Nem mais uma palavra, nem mais uma linha de comunicado, pois as imagens falam por si e o silêncio seria a banda sonora adequada. Para comentar o caso estaríamos cá nós, adeptos e benfiquistas com voz na comunicação social, resguardando os dirigentes de um combate onde nada mais têm a ganhar.


Uma estratégia de confronto, ou de conflito, nada vai beneficiar o Benfica, que já é vítima da hostilidade extrema de FC Porto, Sp.Braga e outros (para além das relações tensas com a Olivedesportos), situação que não tem paralelo passado ou presente para mais nenhum clube português, e que consome energias necessárias para as batalhas verdadeiramente desportivas. Assusta-me imaginar um Benfica de relações cortadas com toda a gente, pois se o Benfica é maior que todos os outros, não sei se será maior que todos os outros juntos, e unidos contra si.


Há sectores do Sporting (representados neste caso por Paulo Pereira Cristóvão, mas que se estendem a outras figuras) que procuram deliberadamente o confronto com o Benfica, fazendo desse conflito modo de afirmação. À semelhança do caminho percorrido por FC Porto e Sp.Braga, e há quem no Sporting pense que a maioridade competitiva do clube só se alcança hostilizando o rival da Luz. Ora não pode ser o próprio Benfica a fazer-lhes a vontade, dando-lhes mais importância do que a que têm, e escorregando nas cascas de banana que constantemente lhe colocam por diante.


O Benfica não pode ter medo dos conflitos, mas também não deve ter vergonha de os evitar. Sobretudo quando, como neste caso, a sua vantagem, desportiva, moral e institucional, é avassaladora. O silêncio será pois o melhor complemento ao golo de Javi Garcia, deixando que os rivais se queimem sozinhos nas próprias chamas que atearam.

12 Comments:

Anonymous José Correia said...

O senhor continuamente esquece-se que adeptos de uma claque organizada do benfica assassinaram um adepto do Sporting num estádio de futebol. Como pode dizer que o incêndio, que felizmente apenas provocou danos materiais, foi o pior caso de hooliganismo? Você de facto tem autoridade para falar de hooliganismo porque utiliza exactamente os mesmos argumentos que esses individuos.

29.11.11  
Anonymous Anónimo said...

patriarca disse:


Excelente texto, concordo com ele a 100%, mas no que diz respeito ao "SILÊNCIO" dos dirigentes Benfiquistas DESCORDO também a 100 %, porque quem cala cosente e se os factos não forem divulgados, esclarecidos por quem de direito e os ÙNICOS com capacidade Legal e Institucional para isso fazer são os Benfiquistas, são os que sofrem e sofreram na pele os ACTOS CRIMINOSOS, dos que a MANDO do Sistema Mafioso Corrupto tudo fazem para atingir os seus macabros objectivos. Por isso calar NUNCA, em tempo algum, falar sem medo, porque a razão nos assiste, aliás como se vê sempre assistiu, sempre esteve no nosso lado, nós é que a não temos utilizado como deve ser e por isso somos minuto a minuto ENXOVALHADOS por toda uma corja que para isso está preparada e se ficarmos calados, como o temos feito, jamais isto acabará, portanto enfrentar os Animais selvagens pelos Cornos, de sernelha ou de rabo, mas medo deles jamais e calar ainda menos.

29.11.11  
Anonymous Anónimo said...

LF, a claque do benfica já incendiou, por mais do que uma vez, as bancadas do estádio do Sporting.

Não existe desculpa possível para quem incendiou, mas não se passem por virgens ofendidas os que, primeiro que todos, incendiaram os estádios dos adversários (e mesmo autocarros).

Isto para não falar de túneis, verylights, diabos da luz, e afins. Todos com um denominador comum: o seu clube.

30.11.11  
OpenID paixaovermelha said...

O que o Sr. José Correia se esquece é de dizer que esse acto a que se refere, foi isolado. Tenha sido prepositado ou não, foi UM único ASSASSINO a fazê-lo. Reparou, como eu fui capaz de chamar assassino a um adepto do Benfica? Esse criminoso, foi preso, acusado e condenado. Infelizmente não há mais que se possa fazer, para reparar um dano irreparável que ele causou. No entanto, não o vi a chamar CRIMINOSOS a quem colocou a arder propriedade alheia.

Pergunto-lhe qual é o limite? Vai ser quando matarem alguém? É aí que descansam? É assim que vão deixar de justificar os consecutivos crimes que as vossas claques tem feito em nome de UM CRIME CONDENADO?

Não chega já? É essa a vossa resposta para tudo?

Acha que a partir de sábado, os adeptos do Benfica tem justificação para perpetuar crimes no WC de Alvalade em nome do incêndio causado por CRIMINOSOS?

Hooliganismo é muito diferente de um acto isolado. Premeditar um acto de incêndio, levando o material necessário para incendiar cadeiras, é premeditado. O que um adepto fez ao disparar um very-light, não sei se foi premeditado, não deixa de ser um crime e foi condenado por toda a gente. Se houve gente que não o condenou, só se forem outros criminosos.

Não vai há muito tempo, um very-light foi lançado contra o carro de um treinador de um clube do norte. Não o matou, só provocou estragos, pergunto eu: terá sido falta de pontaria?

Ou no seu entender criminosos, são apenas os que matam, mas os que colocam vidas de pessoas em risco com um incêndio, são apenas inocentes que merecem um rebuçado?

Por fim digo-lhe... tenha juizo e cresça.

30.11.11  
Blogger LF said...

Não há virgens ofendidas.
O que está em causa é este assunto, e nenhum dos casos anteriores o pode justificar.
Pior que isso é o comportamento dos dirigentes, e é a isso que eu me refiro.
Já sabemos como são as claques, e as diferenças entre elas são poucas. O que há é dirigentes que se demarcam dos seus comportamentos, e outros que lhes dão crédito e protecção.

30.11.11  
Anonymous Vitória do Benfica said...

Atenção hoje às explicações de Júlio Machado Vaz no Trio de Ataque, nada melhor que um Psiquiatra para explicar o irracional. è bom que alguém faça história deste acontecimento e recolha ensinamentos para a vida. Nada justifica este incêndio quanto mais um simples aparato aprovado pela UEFA, Liga PSP e Bombeiros.

Juan Barnabé uma vez contou-me e tinha razão que elementos da claque do SCP tentaram envenear a àguia vitória, talvez por isso Tomás Taveira projectou o fosso em Alvalade

30.11.11  
Blogger Manuel said...

Completamente de acordo com o post. É ignorá-los e deixá-los a falar uns com os outros.

O que é que têm os acontecimentos da Luz a ver com a morte ACIDENTAL de um adepto leonino, que nem aconteceu na Luz. Quem o fez fê-lo sem intenção de matar, apenas inconsciência e desleixo de um adolescente, foi condenado e está preso. Foi um acto isolado, mas NÃO PREMEDITADO. Ao contrário do incêndio da Luz assim como as agressões aos Bombeiros para os impedir de apagar o fogo! Não me digam que os Bombeiros também são culpados? Ao que isto já chegou!

Todos os dias morrem pessoas nas estradas causadas por acidentes que, embora involuntários e não premeditados, são causados por imprudência e desleixo.

Mas será que isto é uma intifada? Andam sempre à procura da vingança?

Equiparar e comparar fogo posto premeditadamente com o lançamento de very-lights não lembra ao diabo!

Quanto ao autocarro, foi incendiado fora da Luz, na 2ª circular, quando não estava ninguém nem dentro nem nas proximidades. Ao contrário do que aconteceu agora em que algumas centenas de adeptos sportinguistas entraram em pânico. Isto contado por eles próprios. Em que colocaram em causa a própria estrutura do estádio.

Isto foi, de facto, o acto de hooliganismo mais grave de sempre em Portugal. Até pelas consequências gravíssimas que poderia ter tido. Podemos classificá-lo como um acto de terrorismo urbano.

30.11.11  
Anonymous frank said...

Caro Luis concordo consigo que o caso da Luz foi um dos actos mais violentos registados em estadios Portugueses embora nao causando victimas felizmente,ja existiram muitos outros actos de vandalismo o que e sempre condenavel sejam la cometidos por quem forem,a lagartagem e dificil faze-los ver o que esta mal com razao ou sem ela o seu clube ou dirigentes sempre estao certos desde os intelectuais aos mais modestos nunca admitem que sao culpados nisto ou naquilo porque 99% deles nos odeiam e contra isso nada a fazer,esse triste acontecimento do very light
que todos nos mas todos mesmo condenamos mas continuo pensando que esse adepto disparou esse very light na euforia de festejar um golo nao medindo o perigo do mesmo por estupidez ou ignorancia vitimando uma pessoa mas continua pagando pelo crime que cometeu continuo acreditando que nao premeditado quanto a incendios em alvalixo a claque benfiquista salvo erro queimaram bandeiras e cascois raivosos de tao grande humilhacao dos 7-1 bem diferente do que largar fogos premeditados as bancadas,quanto ao autocarro do fcorrupto icendiado quem sabe se nao foi um de voces porque muitos de voces nao topam o clube da fruta tal como nos se tem a mente lucida ainda se recordam dos dois ou tres adeptos leoninos mortos numa chegada do autocarro do Porto a alvalade,quem nao se lembra duma navalhada espetada nas costas dum adepto sportinguista nas costas no antigo estadio das antas por um adepto portista todas estas coisas sao condenaveis voces nao lembram so se lembram e justificam tudo o que envolva o Benfica melhor os seus adeptos porque os vossos dirigentes vos fizeram uma lavagem ao cerebro pobres idiotas fazem do futebol um desporto tao lindo uma autentica guerra so porque odeiam o Benfica e amam os corrupos a face do mal, assim nao vamos la nunca.
Repito todo o vandalismo e condenavel pratique quem o praticar sempre condenarei sem medos face a face nunca me deixarei levar naquilo que penco estar incorrecto.

30.11.11  
Blogger Dylan said...

Esta cambada justifica o incêndio na Luz com aquilo que, segundo eles, foi feito no passado com maior gravidade e pelos adeptos do Benfica. A respeito da condenação veemente dos anormais com fósforos e combustível, nem uma palavra. Que falta de ética moral!

30.11.11  
Anonymous Anónimo said...

A diferença entre si e os hooligans é muito ténue. Eles incendiam tudo à vista de toda a gente, você é daqueles que atira a pedra e esconde a mão,aqui na sua tribuna, refletindo um pouco a cultura vigente no seu clube, públicas virtudes e vícios privados.

30.11.11  
Blogger jfk said...

Anónimo:

As suas palavras:'refletindo um pouco a cultura vigente no seu clube, públicas virtudes e vícios privados' lembram-me as festas da gravata (ou baile da gravata), de que a elite tanto gostava. Se falar disto na bancada central de Alvalade deve encontrar muita gente com saudades desses tempos.

30.11.11  
Anonymous Guttmanneano said...

Caro LF.
Para quem ainda tinha dúvidas de que o futebol é a arena onde a agressividade se solta e encontra o palco para se libertar, eis este elenco de comentários para o comprovar. O futebol não tem os seus limites no recinto desportivo e a agressividade mais primária que dele se serve extravasa para além dos limites do tempo do jogo. Pasme-se como depois dos actos de destruição de parte do nosso estádio, ainda vieram as palavras incendiárias procurar justificar o injustifícável: o regresso da lei de Talião serve para explicar e desculpar toda e qualquer selvajaria. Mesmo que aqui e ali discorde de alguns dos seus comentários, concordo com a sua análise no que toca à linha política que deve presidir ao comportamento de quem dirige hoje os destinos do nosso clube - uma linha que no fundo apenas faz juz à cultura de elevação democrática do ser Benfica. Desconheço qual a sua esfera de acção e influência junto dos dirigentes do Benfica, mas ficaria contente se soubesse que a sua voz, que me parece perfeitamente consciente de que para comandar uma instituição como o Benfica é necessária verdadeira visão política e não apenas empresarial, traduz o pensamento dos que falam em nome do Benfica.

3.12.11  

Enviar um comentário

<< Home