14/04/10

45 MINUTOS DE TANGO

Suplantando, com classe, um dos mais fortes adversários que o calendário lhe punha por diante, não há como negar que o Benfica deu esta noite um passo muito largo rumo ao título. Não o definitivo (uma eventual derrota em Coimbra, e tudo se complicará de novo), mas um passo firme, capaz de empolgar a equipa e o seu mar de adeptos – que ontem, diga-se, deram mais uma demonstração de que, no nosso país, ninguém sequer se assemelha à sua força vibrante e entusiástica.
Como se previa, o jogo não foi fácil. O Sporting, talvez por ter pouco a perder, entrou muito bem na partida, e realizou uma primeira parte deveras interessante – não tanto pelas oportunidades criadas (que não foram muitas), mas mais pela forma como manietou o Benfica, e lhe atou quase todos os movimentos da sua fase de construção ofensiva.
Tapando os flancos, e pressionando com grande agressividade no corredor central, a equipa de Carvalhal teve o mérito de assumir, desde o início, que o adversário lhe era superior, e que, antes de qualquer outra coisa, seria necessário não deixar jogar. Sabe-se que, privilegiando o reforço do meio-campo (numa espécie de 4-2-3-1 já testado noutras ocasiões), Liedson acaba por ser o principal sacrificado, pois sem companhia, sem bola e sem oportunidades para alvejar a baliza, o levezinho perde preponderância, e, com isso, a capacidade ofensiva do Sporting esfuma-se quase por completo. Mas esta era a estratégia possível para uma equipa que, dando espaços ao rival, corria o sério risco de sair da Luz vergada a um resultado humilhante. Segurando a bola, o adversário e o jogo, fazendo correr os minutos, cortando espaços, o Sporting ia enervando o anfitrião, e até podia, num golpe de sorte, marcar o golo que lhe valesse um saboroso triunfo.
Do outro lado da barricada, Jorge Jesus optou surpreendentemente por Eder Luís como substituto do ausente Saviola, deixando Pablo Aimar no banco. Procurava assim aproximar, ao máximo, a sua equipa do modelo através do qual lhe tínhamos visto a sua mais bonita cara, evitando cair nos erros de Liverpool. Só que Eder Luís não é Saviola, e, com um futebol ainda demasiado abrasileirado, acabou por se tornar presa fácil para a pressão do meio-campo leonino (designadamente do experiente Pedro Mendes), deixando Cardozo sozinho na dura batalha com os centrais. Sem Saviola, com Aimar no banco e Di Maria desinspirado (e muito marcado), o poder criativo do Benfica ressentiu-se seriamente. Para além disso, a cada bola perdida, a cada passe transviado, recrudescia a tensão nervosa resultante da responsabilidade do jogo, e do perigo de uma eventual derrota.
Sem golos e com pouco futebol, as equipas regressaram aos balneários. E se naquela altura me vendessem o empate, confesso que, a avaliar pela forma acorrentada como decorria o jogo, tendo em conta o drama que uma derrota poderia trazer consigo, talvez o tivesse comprado. Seria, viu-se depois, uma precipitação.
Estava no banco a solução para os problemas do Benfica. A entrada de Aimar ao intervalo, virou o jogo do avesso, desequilibrou todos os exercícios de contenção que o Sporting havia conseguido impor até aí, e desbravou os caminhos para a vitória encarnada. Logo no primeiro lance da segunda parte isso se fez sentir de forma clara. Logo aí o Benfica se voltou a parecer consigo próprio.
O jogo passou a disputar-se muito mais perto da área de Rui Patrício, as faixas laterais começaram a abrir espaços, e a teia de marcações leoninas começou a ceder. O golo benfiquista passou a estar, senão iminente, pelo menos com sérias possibilidades de vir a acontecer. Seria Óscar Cardozo - em grandes dificuldades físicas, e com a substituição preparada - a dar à sua equipa aquilo de que precisava para, enfim, se assenhoriar por completo da partida. No contexto em que aconteceu, e da forma como aconteceu, o golo tornou-se demasiado pesado para um Sporting já de alguma forma desmontado pela criatividade trazida ao jogo por Aimar. Sentiu-se que o Benfica não mais perderia o jogo, e que muito provavelmente o ganharia. Sentiu-se, porque não dizê-lo, um cheirinho a título.
Foi o próprio Aimar a fechar as contas do resultado, num momento que a sua extraordinária exibição já fazia por merecer. O jogo acabou aí, e a única dúvida seria então a de se saber se o resultado se ficava pelos 2-0, ou subiria até números mais elevados – o que, a acontecer, teria sido demasiado penalizador para um Sporting honesto, humilde e que fez o que estava ao seu alcance para dar uma alegria (a alegria suprema) aos seus apaniguados.
Ficou 2-0, ficou o Benfica com os seus 6 pontos de avanço, ficou o Benfica mais perto do título. A margem é boa, dá confiança mas, por enquanto, ainda não é suficientemente tranquila para permitir um dia mau. Uma derrota num dos próximos dois jogos (Coimbra e Olhanense em casa) deixaria os encarnados dependentes do resultado do Dragão, o que poderia tornar-se extremamente perigoso. Por isso, não são aconselháveis grandes euforias. Haverá tempo para festejar.
João Ferreira cometeu dois erros graves. Não assinalou uma grande penalidade por corte com a mão de Carriço a remate de Carlos Martins ainda na primeira parte; e não expulsou Luisão num lance que, tal como é habitual em Alvalade, irá servir de cortina de fumo para uma derrota justa, lógica, natural e indiscutível.

17 Comments:

Anonymous ulisses said...

o LF esquece-se do penalty do grimi sobre o cardoso, lance onde este se lesiona.
E se expulsasse o luisão, seguindo o mesmo critério teria que expulsar pelo menos o miguel veloso (entrada sobre o kardec e sobre o ramirez)

14.4.10  
Anonymous Anónimo said...

http://i41.tinypic.com/neztar.jpg
http://i39.tinypic.com/14ikarr.jpg
http://i43.tinypic.com/eeex5.jpg

Estão aqui as expulsões de que o Sporting se queixa.

14.4.10  
Anonymous Mário said...

Concordo com tudo menos com a abrodagem em relação à arbitragem.

Dois erros?! Então ficam dois penaltys a favor do benfica por marcar. Se o Luisão vem expulso o que aconteceria então ao Miguel veloso e moutinho devido às entradas que fizeram? Conseguiram distribuir pancada o jogo todo e nem amarelos viam. O ramires que o diga.

saudações Benfiquistas

14.4.10  
Anonymous gui said...

não esquecer penalty sobre cardozo, no lance em que este fica lesionado - lance que os resumos da sportv preferem ignorar.

14.4.10  
Blogger LF said...

Ainda não vi o video do jogo.
Na tv só vi os golos e mais dois ou três lances.
Talvez tenham razão.

14.4.10  
Anonymous Anónimo said...

PESSOAL VAMOS ENXER O ESTADIO DE COIMBRA NO PROXIMO FIM DE SEMANA PARA, MOSTRAR MOS A FORÇA DO BENFICA...

CARREGA BENFICA

14.4.10  
Anonymous Mário said...

http://i43.tinypic.com/8zk047.jpg

mais uma para juntar às do anónimo.

Reveja então o jogo caro LF e não os resumos tendenciosos desta vergonhosa Comunicação Social.

triste clube este Sporting se tornou.

14.4.10  
Anonymous Brytto said...

Sobre o Cardozo é pénalti limpinho!!!!!!! o do Carriço já tenho as minhas duvidas!!!!!!!
O lance do Luisão, tem td para ser expulso, mas porque razão ainda não se conseguiu ver o lance de uma ângulo mais próximo será que não há imagens ( o que é estranho) ou não convém mostrar?!!!!!!!

14.4.10  
Anonymous Anónimo said...

sempre levados ao colo pelo "pode ser o João".

14.4.10  
Anonymous SlbgloSlb said...

Admito q Luisão devia ser expulso, mas q dizer de Tonel q lhe dá uma cotovelada, o penalty q n foi marcado q lesiona Cardozo, a entrada aterradora d Moutinho a Ramires antes do lance anterior e q dá seguimento a essa jogada(ou seja o árbitro viu pq deu lei da vantagem...), a entrada "á la B.Alves de Veloso a Kardec e dps no fim a Ramires novamente (n sei cm acabou o jg cm tds os ossos no sitio...), enfim destes lances os choramingas e respectiva corja de jornalistas e imprensa não dão destaque, o q importa dar destaque é ao choradinho.

Vergonhosa aquela arbitragem d ontem, daquelas em q msm ganhando sentimos uma revolta enorme, tal foi a maneira tão tendenciosa cm o árbitro conduziu o jg.

FORÇA SLB!!! O 32º tão perto...

14.4.10  
Anonymous Anónimo said...

Dois penaltis e uma expulsão que ficam pelo caminho... segundo a análise da maioria dos árbitros que escrevem para "O Jogo".

O João? sim pode ser o João... e percebe-se bem porquê.

14.4.10  
Blogger joao pedro said...

entao e nao houve penalty primeiro do david luis sobre o moutinho? aos 22 minutos creio... e o lance do luisao nao foi bem antes do do veloso?
lf, achas mesmo que o lance do carriço é penalty?!

14.4.10  
Anonymous Anónimo said...

http://dossiers.publico.pt/noticia.aspx?idCanal=1296&id=1269576

14.4.10  
Anonymous Vitória do Benfica said...

Confesso que a primeira parte, o Benfica viu-se bloqueado em todas as saídas. O Jogo não passava do meio-campo. Mas confesso que acreditava porque se acho que Jesus tem pouca capacidade de previsão do adversário consegue ler como muito poucos treinadores o jogo. E por isso em condições dificeis consegue sempre na segunda parte dar a volta.

E assim o fez, se o passe para Cardozo é bom o golo de Aimar é soberbo. Eu tenho um fraco especial por este tipo de golos e adorava que o próximo avançado fosse deste tipo.

Uma palavra de apreço por carvalhal e reprovável a atitude de Costinha (é mesmo á Porto). Os comentários de respeito pelo adversário ditas por JJ no final do jogo, sobre o Sporting, fazem a diferença.

Luis não acredito que as palavras de costinha fossem outras se Luisão tivesse mesmo sido expuls. São palavras para adepto consolar

14.4.10  
Anonymous gui said...

@joão pedro:
penalty sobre o moutinho???

já agora, qual é o jogador que consegue ser quase tão sarrafeiro como o bruno alves e quase tão calimero como o paulo bento, mas que por alguma razão escapa a tudo sem amarelo nenhum? pista: é capitão de um clube que está a 26 pontos do líder,

14.4.10  
Blogger António Pista said...

Podem inscrever na história, 2009/2010 o 33º Campeonato Nacional do Sport Lisboa e Benfica!

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

14.4.10  
Blogger dezazucr said...

Meu caro, 2 erros graves?? Não expulsou Luisão?
Não te deixes enganar pelo que tentam com mentiras repetidas até à exaustão impingir.

Basta ver o vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=BhUv5T66_VY) seguinte para perceber o que foi a dualidade de critérios. Presta bem atenção à entrada de Moutinho, ainda na primeira parte sobre o Ramirez e diz-me se este devería (já que queriam o Luisão expulso) ter ficado em campo.

Não se deixem levar por tudo o que a sporttv diz. Eles só repetem os lances contra nós, os outros não.

14.4.10  

Enviar um comentário

<< Home