01/04/08

SERVILISMO, OPORTUNISMO E OUTRAS CANALHICES

Mais do que na hora das derrotas, é nos momentos de vitória que se conhece e evidencia o carácter das pessoas. Saber ganhar é difícil e só está ao alcance de poucos, sendo pelo contrário muitos aqueles que, talvez por vencer não fazer parte do seu código genético mais profundo, facilmente se deslumbram com os efémeros holofotes da glória. Parece ser o caso de Jesualdo Ferreira.
O técnico portista chegou aos 60 anos sem qualquer título no palmarés, tornando-se campeão apenas num clube onde, por múltiplas razões que não vêm agora ao caso, quase todos o foram. No Benfica - onde tomou o cargo após uma facada nas costas de Toni, que fora desde sempre o seu padrinho futebolístico - foi um dos poucos em toda a história a deixar o clube fora das competições europeias, protagonizando também a humilhante eliminação caseira diante do Gondomar para a Taça de Portugal – algo que de resto repetiu no Dragão com o Atlético e já esta época em Fátima para a Taça da Liga. Recorde-se a diferença competitiva que o Benfica apresentou com Camacho (ele mesmo) na altura em que Jesualdo saiu da Luz, ganhando jogos a fio, chegando ao segundo lugar e à vitória na Taça de Portugal de 2002-03, num plantel que contava, entre outros, com Miguel, Ricardo Rocha, Tiago, Petit, Simão, Zahovic e Nuno Gomes, e ao qual o transmontano, por manifesta incompetência, não havia sido capaz de dar cor.
Creio que neste momento, fosse o técnico portista Jesualdo, Paulo Bento, Camacho, Adriaanse, Peseiro, Koeman, Fernado Santos, Cajuda ou até Chalana, o F.C.Porto não deixaria de se sagrar campeão, sendo o treinador, manifestamente, um elemento pouco mais que neutro no seio da oleada máquina portista. A fraca qualidade de futebol apresentada, as frustrantes eliminações europeias, as dificuldades enfrentadas no ano passado, ponderadas face a um orçamento maior que todos os restantes em Portugal, fazem-me pensar convictamente que Jesualdo pouco acrescenta ao F.C.Porto, onde chegou, lembre-se, após virar as costas ao Boavista com quem se tinha acabado de comprometer. Ou seja, tenho para mim que o Porto será campeão apesar de Jesualdo Ferreira e nunca devido a ele.
Talvez por tudo isto, o técnico portista seja um daqueles que não sabe ganhar. Em bicos de pés, vestindo com vigor a camisola de “cristão-novo”, afastou-se de uma postura profissional para passar a falar de coisas que não percebe e de que não necessitava tomar parte. Mostra desrespeito pela sua carreira passada – fraca mas supõe-se que honesta -, cuspindo no prato onde quase sempre comeu, como muito pertinentemente Nuno Gomes o acusou no último clássico entre Benfica e Porto.
Depois de teorizar sobre o Apito Dourado, de se queixar da imprensa, foi agora a vez de ironizar sobre a qualidade do campeonato (este e anteriores), lançando uma vez mais uma farpa àquele que parece agora ser o seu alvo preferencial: o Benfica, onde trabalhou várias anos da sua carreira, e onde, mesmo como adjunto, quase nada conquistou (se não estou em erro, apenas o campeonato de 88-89).
Compreende-se que queira agradar a Pinto da Costa, que ao fim e ao cabo o resgatou a uma carreira marcada pela mediocridade para fazer dele campeão, talvez no intuito de uma vez mais provar a eficácia portista enquanto máquina independente dos caprichos e das vontades de qualquer treinador. Mas se tivesse carácter, se fosse efectivamente um ganhador – senão enquanto técnico de futebol, pelo menos enquanto homem -, Jesualdo Ferreira teria aqui a ocasião de o demonstrar. Falhou redondamente.
Para além da sua antipatia já antes conhecida, irá certamente em breve deixar o futebol com uma imagem de recalcamento, de oportunismo, de lambebotismo, e enfim de frustração, que muitos adeptos não irão esquecer.
E até me arrepio de pensar que José Mourinho não voltou para o Benfica por sua causa…

5 Comments:

Blogger dragao vila pouca said...

Eu tinha dito que nunca mais vinha aqui, porém ao passar por este blog, nao pude deixar de ler aquilo que escreveste acerca de Jesualdo.Canalhalhice é o que tu, que de tão aziado que andas nem raciocinas.Então passam a vida a monesprezar e a diminuir o trabalho do homem e ele tem que dar a outra face? Mas, seria pedir demais a quem tem uma classificação virtual feita à medida dos seus interesses, fosse capaz de ter o discernimento para perceber isso.Ah, já me esquecia, com os seis pontos de penalização ao F.CPorto já só estás a três.
Se o ridículo matasse...

1.4.08  
Blogger LF said...

Seja bem aparecido caro dragão.

Se reparares bem, este post constitui indirectamente um elogio ao teu clube e à sua organização que é boa até demais.
Se tivesses lá o Chalana (ou, vá lá, o João Pinto) e o Benfica o Jesualdo, eras campeão à mesma. Qual é o mérito do trabalho dele ?

Mas o problema é que ele parece não ter humildade nem inteligência para reconhecer isso, aproveitando os títulos para ajustar contas com o seu passado e os seus fantasmas.

É de criaturas destas que o futebol português não precisa.
Mas quando sair do Porto acabou-se-lhe a carreira. Vai uma aposta.

Volta sempre. Mesmo para dizer mal.

1.4.08  
Anonymous Anónimo said...

o Porto é um modelo de organização, de vitória efectivamente... conhecço muita gente lá, são muitíssimo competentes...
mas faltar-lhes-á sempre a grandiosidade de um clube de nível mundial (como o Benfica, sim); até o Jesualdo o reconheceu no outro dia quando disse "boa foi a ultima Liga que o Benfica ganhou", e é bem verdade, essa Liga moveu mais de metade do país... quanto ao Mourinho, ele sabia o que dizia, efectivamente...

1.4.08  
Anonymous Anónimo said...

Este Jesualdo Ferreira tem todos os defeitos que um individuo nascido do sexo masculino tem.

5.4.08  
Blogger Albino said...

e voce continua a ser cego

19.4.08  

Enviar um comentário

<< Home