18/01/08

A CAUSA DAS COISAS

Atente-se bem nesta sequência de fotos, sobre a qual - tão elucidativa ela é - poucas palavras haveria a acrescentar, além da mera descrição das mesmas.
Os números inscritos sobre cada jogador significam o total de anos passados no clube.
Começemos pelo Benfica de Eriksson, bi-campeão nacional e finalista da Taça Uefa, eventualmente o melhor Benfica do pós-Eusébio:
Impressionante. Grande equipa, recheada de autênticas bandeiras da mística benfiquista. Não faço ideia do número total de títulos que consta nesta fotografia. Muitos certamente.
Veja-se agora a equipa de Toni, campeã em 93-94, também uma boa equipa:
A partir daqui, com Damásio e Artur Jorge, inicia-se um trajecto de decadência económica e desportiva do Benfica.
Jogadores que saíam, jogadores que entravam, estes quase sempre de qualidade menor que aqueles. Em breve o clube iria ficar fora das provas europeias, chegando a classificar-se num humilhante 6º lugar.
Observe-se por exemplo a tristonha equipa de 1997, com vários elementos dignos de figurar num plantel de fim de tabela:
Em 2001, com o fim do "valeeazevedismo", teve início a reconstrução do clube e da equipa. Depois de vencer uma Taça, mantendo a espinha dorsal, o Benfica chega ao título em 2004-2005 pela mão de Trappatoni:

Quando tudo parecia bem encaminhado, quando existia uma base sólida para prosseguir na senda das vitórias, eis que a gestão desportiva do clube, inexplicavelmente, fá-lo de novo mergulhar na depressão e na amargura das derrotas. Dois terceiros lugares consecutivos, muitas convulsões, polémicas, erros, e o que mais aí virá. Repare-se na equipa que jogou em Glasgow para a Liga dos Campeões, com a curiosidade de, dos dois jogadores nesta foto com mais tempo de casa, um ter estado suspenso ainda há bem pouco tempo, e outro terminar a carreira no fim da época. Se Léo também saír...

É verdade que os tempos são outros. Não é mais possível manter uma equipa por dez ou doze anos. Mas há quem trabalhe bem, e consiga segurar os jogadores pelo tempo suficiente para obter títulos. Olhe-se para a equipa do F.C.Porto que no passado fim-de-semana "despachou" o Braga por 4-0, e segue a caminho do tri-campeonato:

Nem um só jogador com menos de três anos de F.C.Porto. Todos, pelo menos, bi-campeões nacionais, dois campeões europeus e quatro campeões mundiais pelo clube. Tudo parece afinal bastante simples de explicar. Não é ?

14 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Os senhores gestores de futebol do SLB que ponham os olhos neste excelente trabalho e tirem conclusões.
Infelizmente chego à conclusão que a rotação intensa de jogadores geram muitas percentagens.
FS

18.1.08  
Anonymous paulofrança said...

A coisas na gestao do clube que nao sao claras. Na pré temporada o benfica era un clube saudavel financeiramente (capas de investir 20M de euros so para un jogadore) e con un bon plantel (cardozo e manuel fernandez como principais reforsos). E en pouco tempo tudo mudo, o simao foi vendido por 20M en vez de 25M e o manuel fernandez tamben se foi embora, tudo isto no fin da prétemporada. O santolas nao era o melhor treinador do mundo mas con estas saidas nao se pode pedir o impossivel.
Na epoca passada tinhamos uma boa defesa e o LFV teve a boa ideia de vender o rocha ao tothenam por 5M e pocos dias depois tamben ficamos sen luisao por lesao, pronto ficamos con uma defesa muito fragilizada que nos valeu o afastamento da uefa. Este ano vendeu otros jogadores importantes e os resultados estao a vista.
So pesso uma coisa ao LFV que nao diga mais que o benfica é o maior clube do mundo porque o maior clube do mundo nao vende os seus jogadores titulares ao tothenam atletico e valencia por valores ridiculas.
O fcp e scp poden agradecer ao lfv.
Ate aposto que vai ter o dragao e o leao de ouro en 2008.
O benfica nao podia ter pior gestao desportiva nestes ultimo dois anos.

18.1.08  
Blogger LF said...

Perfeitamente de acordo!

18.1.08  
Anonymous Xinfrim said...

Fantástico trabalho.
É incrível a forma clara e evidente como está aqui detalhada a decadência do Benfica, e o porquê da mesma.

18.1.08  
Anonymous otragal said...

Mas o Petit, o Nuno Gomes e o Nuno Assis ainda estão no benfica... Em 2004 o Quim, o Petit, o Luizão e o Simão (juntamente com o Miguel e o Ricardo Rocha os mais antigos) tinham menos 3 anos de Benfica do que os constam na foto. Se efectuares o somatório dos anos de Benfica dos jogador à data da foto, provavelmente o benfica de 2007 ultrapassa o de 2004. É o que se chama enviesamentos estatístico-fotográficos… mas tudo bem ilustraste bem a tua posição.

18.1.08  
Blogger LF said...

Os anos referidos são os totais, anteriores ou posteriores.
Nas fotos de 94 ou 84 o critério é o mesmo. O Diamantino, o Veloso e o Carlos Manuel ainda jogaram várias épocas depois daquela.

Em 2007 também se considera 5 anos de Rui Costa, englobando as épocas antes de partir para Itália.

Em 2005, Quim, Dos Santos e Nuno Assis eram novos, mas Simão já estava desde 2001 (havia 4 épocas portanto), Nuno Gomes já tinha 6 anos de clube, Miguel tinha 5épocas, Ricardo Rocha, Petit e Geovanni tinham 3, Luisão tinha 2 e Manuel Fernandes vinha dos juniores, tendo feito já alguns jogos na época anterior. 31 anos no total portanto.

O que está em causa é uma equipa formada por jogadores que eram ou se tornaram simbolos, quer porque já lá estavam, quer também porque lá permaneceram depois.
Não questionei o valor dos jogadores desta última foto. O que quero dizer é que este conjunto de jogadores ainda não está em condições de satisfazer as ambições que os sócios têm, pois só com estabilidade, rotinas, coesão e aquisição de valores culturais do clube será possivel no futuro ter uma equipa campeã.
Se sairem mais 10 ou 12 no fim da época, ir-se-á repetir o ciclo.
É isso que quero dizer.

Isto sem falar na dicotomia portugueses/estrangeiros, pois em 2004-05 aquele onze apresentava oito portugueses, e nesta última foto contam-se apenas três

É claro que poderia apresentar outras fotos, mas isso serve nos dois sentidos.
Se quiseres ilustrar um incêndio, mostras as fotografias das chamas ou dos extintores ?

18.1.08  
Blogger Paulo Santos said...

Comparar os contextos de 82/83 com os actuais parece-me algo intelectualmente desonesto, para não lhe chamar outra coisa...


Percebo a ideia e respeito-a. Mas esta não é a melhor forma de a ilustrar. Relativamente aos 3 referes. Miccoli foi um pequeno devaneio do Benfica - não há condições para suportar um jogador da série A, emprestado, sublinhe-se.

Simão tinha n épocas de benfica, nunca foi segredo que gostava de experimentar outros campeonatos.
Karagounis tinha a família desadaptada..

19.1.08  
Blogger ChuckE said...

Caro,

Discordo. Se bem que aprecio uma teoria para o insucesso do Benfica diferente da habitual dos homens do apito. Mas discordo. Já aqui acima, alguem falava de que a equipa campeã do Benfica de 2005 não era formada por jogadores com muitos anos. E como tal, vou tentar dar exemplificar com o adversário.

A equipa campeã do Co Adriaanse não primava por tantos jogadores da casa. Aliás, foi a época do corte com os símbolos do clube. Jorge Costa não aqueceu, o Baía foi encostado, o Postiga idem. Para a história ficaram o Helton, Adriano, Lucho, Lisandro, Assunção na 1º época, Pepe, Quaresma, Meireles na 2º época, só com o Pedro Emanuel e o Bosingwa a destoarem na fotografia. Até o McCarthy teve um rendimento aquém nesse ano. Num ano de corte de imagem e estilo "à Porto", o espírito de ganhar manteve-se.

No ano passado, o Helder Postiga, quando estava em altas, foi entrevistado pelo Jogo. Perguntaram-lhe para comentar uma frase do Jorge Costa, que dizia que a mística do Porto estava a perder-se. O Postiga respondeu curto e grosso: "Mística é ganhar". À beira do tri, penso que faz sentido pensar nisto.

19.1.08  
Anonymous catn said...

LF

A intenção é boa e foi parciamente conseguida

O contraste entre a decada de 80, 90 e 2000, demostra claramente o declineo do Benfica

Na decada de 80, o Benfica tem uma equipa de vencedores, pouco importa o treinador ou até o presidente, esses jogadores garantiam a "mistica do Benfica", que não passava mais do que Postiga disse, vencer, vencer e vencer, ou seja, ganhar titulos, essa era a "cultura do Benfica"

Depois veio Artur Jorge, trocou estes jogadores por King, Tavares, Nelo e companhia, jogadores sem mentalidade, nem cultura vencedora e foi o caos, a partir daí, o Benfica nunca mais foi o mesmo

A meio da decada de 90, apareceu Vale e Azevedo, para dar mais uma "machadada"( esta não só na equipa, como no próprio clube) com Souness e os seus britanicos, foi o fim do Benfica vencedor, com 2 miseraveis campeonatos (90/91-93/94) e 2 Taças de Portugal(92/93-95/96)

Na 1ª decada de 2000, vamos com 1ª Liga (04/05) e com 1ª Taça de Portugal (03/04), mau demais para um clube como o Benfica

Para mim, o treinador e os jogadores que estão no clube, devem ter uma mentalidade vencedora, assim como a politica do proprio presidente, tem de ser de vitórias e de ganhar titulos, não se pode só pensar na Champions, tem de pensar nos titulos, se se ganhar titulos, ganha-se o acesso á Champions e aos euros

É necessario contratar alguem, que pense na equipa de futebol, 24 horas por dia, que seja um profissional com méritos firmados, como treinador e como bom gestor de recursos humanos, pode ser um director desportivo

Mas atenção, um director desportivo a nivel europeu, não como se faz por cá, que só serve para contratar os jogadores que o treinador quer e depois para inscrever esses jogadores, ou seja o papel de um secretario técnico

Um verdadeiro director desportivo, sabe como que ver a sua equipa a jogar, contrata o treinador para o modelo de jogo, que quer ver na sua equipa

Depois dentro desse modelo, o treinador tem as suas escolhas e o clube contrata os jogadores, com esta situação o clube tem a sua identidade, deixa de haver um treinador a jogar em 442 e depois vem outro, que quer a equipa a jogar em 433 e os jogadores já não servem, tem de mudar todo o plantel

O director desportivo serve para planificar um ciclo de anos, não uma só época, serve para dar um rumo e um sentido ao futebol do seu clube, mesmo na formação, o modelo tem de ser sempre o mesmo, o que vai possibilitar uma melhor integração no plantel senior dos jovens jogadores, por exemplo o Manchester Und. joga sempre da mesma maneira, independente do presidente, o manager é que manda no futebol do clube, ele é que sabe o que quer, enquanto houver vitórias e titulos o modelo de jogo é bom e o director desportivo também

Penso que este deve ser o caminho para o futebol do nosso Benfica, andar a trocar de modelo e de jogadores, sempre que chega um novo treinador, não nos leva a lado nenhum

19.1.08  
Anonymous João Luís Mota said...

Leio com frequência diária as notícias sobre o Benfica e, por vezes, tenho a coragem de ler os comentários dos adeptos benfiquistas, desistindo rapidamente tal é a falta de capacidade de análise e a má educação (já para não falar do fraco português...). Não concordo com a totalidade do exposto mas aprecio a tua análise construtiva e partilho uma significativa parte das tuas preocupações.
É com este sentido crítico e capacidade de simplesmente pensar que o Benfica pode encontrar soluções para voltar a ganhar, nunca será com a postura comum dos adeptos, a de arrasar com treinadores e jogadores, muitas vezes levando a que estes procurem sair.
Quanto ao Simão, Miccoli e Karagounis, as suas saídas são erros claros de gestão (sobretudo desportiva), às quais juntaria a de Geovanni (um bom jogador, que gostava do clube, muito útil e que nunca levantou problemas) ou mesmo a de João Pereira (trocado por Luís Filipe, mais velho, com menos qualidade e que não foi formado no clube).
Acrescento mais um ponto para discussão. Ao longo dos anos o Benfica sempre teve jogadores de enorme classe no plantel, mas nunca um número que fizesse da equipa uma equipa de topo europeu. Imaginam o que seria ter Simão, Miccoli, Karagounis, Katsouranis, Tiago, Rui Costa e Rodriguez na mesma equipa?

20.1.08  
Anonymous paulofrança said...

joao luis mota

"(já para não falar do fraco português...)."
desculpa pelo meu "fraco português" mas como a minha alcunha diz sou de frança e para uma pessoa que nunca teve aulas de português nem é assim tao mau.

"e a má educação"
nao sei se estas palavras sao para mim, mas se forao fica a saber que se eu fosse mesmo mal educado nao era socio do benfica (piada claro).

LF parabens pelo blog, gosto muito.
viva o BENFICA

20.1.08  
Anonymous joão luís mota said...

Paulofrança,

não me referi a si nem a nenhum comentario neste blog porque apenas li o post e não li os comentários. Veja alguns dos comentários no jornal record, por exemplo, para ver o que quero dizer.

Aproveito para lhe dizer que, para quem nunca teve aulas, escreve bem português.

Um abraço para si e para todos os emigrantes portugueses espalhados pelo mundo, que são uma grande força para o nosso Benfica.

Viva o Benfica

21.1.08  
Anonymous paulofrança said...

obrigado

Na realidade aprendi a ler o português com o jornal "o benfica" desde pequeno.

O benfica é grande, e nao é so uma grande marca en portugal mas en todo o mundo, por exemplo cuando aqui uma camisola do O de Lyon (campeao françes) é vendida 60 euros, arsenal 5o euros, a camisola do benfica é vendida 70 euros. E vendida por este valor porque a muitos emigrantes que à compra.
O benfica ten que "atacar" o mercado international com o kit socio correspondente, por exemplo com a parceria da caixa geral de deposito o otras identidas bancarias. E melhorar a loja do site internet do clube, mais produtos e baixar os portes de envio para a europa que sao muito caras.
O seja à area marketing do benfica ten muito trabalho ( o soares oliveira e o lfv nao sabem o real valor do benfica no mundo).
Un abraço para si joao luis mota e a todos os adeptos do SLB no mundo.

viva o benfica

21.1.08  
Blogger LF said...

É um enorme orgulho verificar que VEDETA DA BOLA também é lido em França.
Um grande abraço para si, e na sua pessoa, para todos os nossos compatriotas que aí vivem.

21.1.08  

Enviar um comentário

<< Home