03/09/07

LEÃO SOFRE, DRAGÃO TRANQUILO

Numa demonstração de clara superioridade diante de um União de Leiria extremamente cansado, o F.C.Porto alcançou a sua terceira vitória na Liga, sedimentando o primeiro lugar que reparte com um surpreendente Marítimo.
Os portistas conseguiram assim, neste início de campeonato, vencer três difíceis jogos que na época passada haviam perdido. Tendo mantido no plantel Quaresma e Lucho, perfilam-se claramente como os grandes favoritos à conquista do título - diga-se que é notável como mesmo realizando impressionantes mais valias financeiras, o F.C.Porto parece ter conseguido cavar uma maior diferença de potencial desportivo face à concorrência, o que mostra bem a competência da sua gestão desportiva.
Em Alvalade, o Sporting não foi tão eloquente, triunfando dificilmente por 1-0, com o golo a ser marcado à entrada dos últimos dez minutos, e quando jogava em superioridade numérica havia já bastante tempo.
O excelente cabeceamento de Liedson, a não menos primoroso cruzamento de Vukcevic, disfarçou algumas deficiências deste Sporting, designadamente nas faixas laterais, onde nem Abel nem Ronny conseguem dar profundidade suficiente para abrir defesas fortes e compactas como a do Belenenses. Izmailov é algo intermitente (Vukcevic parece mais eficaz), e Romagnoli está ainda longe da sua melhor condição da época passada, tal como aliás João Moutinho. Purovic também nada trouxe de novo, tendo que ser o suspeito do costume a resolver um problema que se começava já a afigurar bicudo.
Em todo o caso a justiça da vitória da equipa de Paulo Bento não sofre qualquer contestação.