20/06/07

TERCEIRA IDADE ??

MILAN (campeão da Europa) - Dida, 33, Oddo 31, Maldini 39, Nesta 31, Jankulovski 30, Ambrosini 30, Pirlo 28, Gattuso 29, Seedorf 31, Kaká 25 e Inzaghi 33 - Média de Idades: 30,9

REAL MADRID (campeão de Espanha) - Casillas 26, Salgado 31, Cannavaro 33, Helguera 32, Roberto Carlos 34, Diarra 26, Emerson 31, Guti 30, Beckham 32, Raul 30 e Van Nistelrooy 31 - Média de Idades: 30,5

INTER (campeão de Itália) -Toldo 35, Zanetti 33, Córdoba 31, Materazzi 33, Grosso 29, Vieira 31, Cambiasso 26, Stankovic 28, Figo 34, Ibrahimovic 25 e Crespo 31 - Média de Idades: 30,5

MANCHESTER UNITED (campeão de Inglaterra) - VanderSar 36, Neville 32, Ferdinand 28, Vidic 25, Heinze 29, Carrick 25, Scholes 32, Ronaldo 22, Giggs 33, Rooney 21 e Saha 28 - Média de Idades: 28,3
CHELSEA (vencedor da Taça de Inglaterra) - Cech 25, Paulo Ferreira 28, Terry 26, Ricardo Carvalho 29, Ashley Cole 26, Makelele 34, Lampard 29, Essien 24, Ballack 30, Schevchenko 30 e Drogba 29 - Média de Idades: 28,2
BARCELONA - Valdez 24, Zambrotta 30, Puyol 29, Thuram 35, Van Bronkhorst 32, Edmilson 30, Xavi 27, Deco 29, Messi 20, Eto'o 26 e Ronaldinho 27 - Média de Idades: 28,1
BENFICA - Quim 31, Nelson 24, Luisão 26, David Luíz 19, Léo 31, Petit 30, Katsouranis 28, Rui Costa 34, Simão 27, Miccoli 28 e Nuno Gomes 30 - Média de Idades: 28,0

20 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Aguardemos pelo pedido de desculpas (ontem admitiu ser amigo pessoal). Não falta muito. O oportunismo jornalístico está no auge.
Calma pessoal!
O silêncio é bom conselheiro.
Esperem até 6ªfeira.
JORNAIS NUNCA MAIS!
OPA = Olha o P Aflito!

20.6.07  
Anonymous Brytto said...

Em Portugal também há tradicionalmente uma enorme e provinciana reverência às chamadas "vacas sagradas", i.e., há figuras que parecem estar acima de quaisquer criticas, onde é quase uma heresia fazer comentários menos abonatórios a tais deuses, ou seja, em Portugal, em particular no futebol, convive-se muito mal com a critica, os jogadores Profissionais, principalmente os principescamente pagos, têm que estar preparados não só para as criticas favoráveis mas também para as menos favoráveis, e não se fazer disso um caso nacional de lesa pátria. A opinião do Berardo é dele e deve ser respeitada enquanto tal - obviamente pode-se discordar, eu, tirando na forma até concordo na generalidade – o Rui Costa nesta fase da sua vida pode ser muito mais útil noutras funções ao Benfica, será que pensar assim é crime?!!!!!

Quanto à OPA, apesar de pouco ou nada perceber da matéria, penso, assim como a maioria de todos nós, estou convencido que ainda muito está por revelar só depois então será possível analisar esta situação com maior lucidez Mas quero acrescentar que ser rico e realizar dinheiro em Portugal, por enquanto, ainda não é crime, ora se através do nosso clube um dos homens mais ricos de Portugal julga que pode vir a obter dividendos (já não tenho idade para acreditar em mecenas), não vejo nisso um crime, desde que os respectivos responsáveis saibam acautelar os interesses do clube, julgo que o Benfica também poderá beneficiar…

20.6.07  
Blogger LF said...

Anónimo,

Aguardo sobretudo por uma palavra da direcção

20.6.07  
Blogger LF said...

Brytto,

Aquilo ou aqueles que tu chamas de vacas sagradas são, em futebol (é disto que falamos) não mais do que os idolos dos adeptos, aqueles que levam pessoas aos estádios, fazem vibrar as bancadas, e, nos tempos que correm, vendem camisolas e dão a cara em campanhas de kits de sócio.
São estas figuras, e não os Berardos, que fazem, e fizeram ao longo dos tempos, do futebol o espectáculo de multidões que ele é.

O que se tratou não foi de uma mera crítica, pois alguém que se propõe a comprar um clube não pode falar como se estivesse no café.
O tom é insultuoso, o conteúdo é de uma crueldade extrema e o timing desastrado.
No fundo estas bárbaras declarações retiraram toda a credibilidade ao seu autor, mostrando um fala-barato exibicionista onde se esperava ver um empresário sóbrio e respeitável.
Mostram também alguém que não entende nada de futebol, nem o que se joga dentro das quatro linhas, nem a forma como funcionam os estados de alma da massa adepta, o que é um péssimo prenuncio para alguém que quer ter influência na gestão do clube.

Eu não concordo nem um bocadinho com opiniões segundo as quais Rui Costa já não é util como jogador.
Muitas pessoas, e tu certamente, incorrem no erro de pretender comparar o Rui Costa de 34 anos, com o Rui Costa de 25.
Eu procuro comparar o Rui Costa de 34 anos, com as alternativas que o plantel tem ou pode ter para aquele lugar, e aí o caso muda de figura.
Aliás, estamos a falar de alguém que só não é titular do Milan porque entretanto apareceu-lhe um tal de Kaká no caminho.

Não fossem as lesões e o "10" tinha feito seguramente uma excelente época.
Nos poucos jogos em que jogou, sem contar aqueles em que estava lesionado ou a recuperar ritmo, foi invariavelmente um dos melhores em campo.
Recordo por exemplo a fabulosa exibição que fez com o Austria de Viena, a sua entrada no jogo com o Porto virando-o do avesso, ou a entrada em Barcelona que permitiu uma recuperação importante.

Para mim ainda é (e foi-o esta época) um regalo ver Rui Costa jogar à bola, passá-la à distância, cobrar lances de bola parada, cruzar, variar o jogo através de uma leitura só ao alcance dos génios.
Não corre tanto como o Simão, é claro, mas na sua posição precisa mais de fazer correr a bola do que a ele próprio.

O seu lugar é ainda nos relvados para uma última época, em que ele certamente quer fazer tudo para saír da forma com que sonhou, e as lesões não permitiram.

Por outro lado, se olharmos bem para os onzes dos principais clubes europeus, e que eu tive o cuidado de publicar, percebemos que ter hoje 34 anos não é o mesmo do que há uns anos atrás.
As metodologias de treino mudaram, a longevidade também. Veja-se o Milan, que mantém as suas "vacas sagradas" e com elas é campeão da Europa.
É justamente de lá que veio Rui Costa, que ainda por cima é um jogador cujas maiores virtudes são de natureza técnica e não física, pelo que passíveis de se prolongarem mais no tempo.

Em suma, mesmo agora, o Benfica não encontrará no mercado nenhum jogador com a qualidade que ainda resta a Rui Costa. Não esqueçamos que se trata de um dos melhores jogadores do mundo da última década.

Por fim, e talvez mais importante de tudo, é a experiência que ele oferece à equipa.
Com muitos anos em Itália, ao mais alto nível, Rui Costa é quase um segundo treinador em campo, para além de ser um veículo (como nenhum outro desde que eu vejo futebol, é preciso dizer-se) da mística benfiquista.

20.6.07  
Anonymous catn said...

BRYTO

Estou de acordo no que diz respeito ás criticas, todos temos de ouvir os desabafos dos outros, podemos ou não concordar

No que diz respeito ao Rui Costa, penso que foi uma critica infeliz, pois o Rui Costa, mesmo com a idade que tem, faz a diferença no plantel do Benfica, pode jogar mais lento, pode não ter a preparação fisica de quando tinha 25 anos, mas tem muito mais experência, é uma voz de comando no balneario e dentro do campo, é um dos poucos que trás a mistica do Benfica, é um exemplo a seguir pelos mais novos

Penso, que mais tarde, pode ser muito util ao nosso clube, como relações internacionais ou director desportivo, mas Joe Berardo, tocou num ponto muito sensivel, as referencias deste clube, o futebol não é só dinheiro, há emoções e sentimento, que nem todos percebem

20.6.07  
Blogger LF said...

Quanto ao segundo tema:
Eu não acredito em Abramoviches no futebol português.

Não sendo crime nenhum ganhar dinheiro (desde que dentro da lei e pagando os respectivos impostos, algo que todos esperamos tenha sido o lema da construção da fortuna de Berardo), não me parece que o futebol possa ou deva ser o meio privilegiado para alcançar esse fim.
Há muitas formas de ganhar dinheiro no futebol, muito dinheiro até, sem que os respectivos clubes ganhem qualquer troféu- basta por exemplo transformar um clube em entreposto de jovens brasileiros...

Por outro lado não podemos comparar a realidade sociológica da Inglaterra, mais próxima do espírito de uma NBA norte americana, do que das rivalidades intestinas dos paises latinos.
Em Inglaterra, havendo paixão pelo jogo, não há, nem de perto, uma vivência do clubismo como em Portugal. Os ingleses gostam de ir aos estádios, de beber uns copos antes e depois, de cantar e puxar pelo clube da sua simpatia, mas pouco mais do que isso (por exemplo, nem sequer conheço jornais desportivos ingleses).
Em Portugal discute-se e vive-se futebol todos os dias da semana, todas as horas do dia. Os clubes representam tudo para muitos adeptos, que não sobreviveriam enquanto tal ao fim do modelo associativista.

Não podemos comparar também um clube de bairro como o Chelsea, que por capricho alguém quis transformar num grande europeu, com um clube com a história centenária e o palmarés do Benfica. Aliás o Chelsea é tudo menos lucrativo, e tem um modelo de gestão absolutamente dependente da generosidade do seu proprietário.

Não vale a pena falar dos casos de Jesus Gil, ou Bernard Tapie que afundaram por completo os clubes onde se meteram.

Nós já tivemos o "nosso" Vale e Azevedo - que eu, ao contrário de muitos, e chegando a pôr em causa a minha integridade física em assembleias gerais de que nem me quero lembrar, fiz tudo o que podia para derrubar -, e espero que isso tenha servido de lição aos benfiquistas.

O Benfica, pela sua popularidade, é talvez dos grandes portugueses o mais vulnerável aos apetites de um qualquer "paraquedista financeiro".

É também aquele que menos precisa de injecções de dinheiro exteriores e de preço normalmente elevado.
Sendo bem gerido, o Benfica tem todas as condições para ser, de longe, o maior clube português, e se bater entre uma segunda linha dos maiores europeus (a primeira está-lhe vedada por razões de market pool e afins).
Mais que isso é impossível por motivos que não têm a ver com investimentos externos.

No fundo a diferença entre um Benfica assim assim e um Benfica forte e vencedor como nós queremos é apenas a gestão competente. Não é , de todo, um novo modelo empresarial que vai fazer com que o Benfica ganhe mais ou menos vezes. Será um embuste afirmar o contrário.

É bom que os benfiquistas tenham noção do perigo destas incursões bolsistas, e que saibam que qualquer avanço nesta matéria será sempre irreversível.

Voltarei em breve a escrever sobre o tema, talvez até noutro espaço.

21.6.07  
Blogger LF said...

Catn,

As duas últimas linhas do seu comentário explicam tudo aquilo que eu quis dizer em parágrafos e parágrafos.

21.6.07  
Anonymous catn said...

LF

Estavamos a escrever ao mesmo tempo e fico satisfeito porque temos práticamente a mesma ideia deste assunto

21.6.07  
Blogger LF said...

É verdade !
Estou convencido que é a ideia da esmagadora maioria dos benfiquistas, e até da esmagadora maioria dos adeptos do futebol.

...até mesmo talvez do Brytto, que é conhecido pela sua tendência de certo modo dialética e sofista, que o faz parecer estar em desacordo quando na realidade apenas está a promover um exercício de argumentação ;)

21.6.07  
Anonymous catn said...

LF

O povo português, gosta mesmo de futebol no seu todo, gosta de futebol dentro das 4 linhas, gosta do futebol táctico e de como jogam as suas equipas, gosta dos bastidores, qualquer adepto tem sempre uma maneira de ver a vida do seu clube, diferente de outro

O povo português "come" 3 jornais desportivos diários, programas televisivos á 2ª, 3ª, 5ªfeira, jogos de clubes portugueses de domingo a sábado

é muita fruta, como se vive os nossos clubes

21.6.07  
Anonymous catn said...

LF

Já está feito pedido de desculpas a Rui Costa, pelo Joe Berardo

Li agora na "A Bola" on line, que o pedido de desculpas foi feito na RTPN e que disse " Se for necessario, terei um encontro com o homem e cara-a-cara, pedir-lhe-ei desculpas"

Tal como eu tinha referido, noutro Post da Vedeta da Bola, o pedido de desculpas tinha de ser feito

Já está !!! :)

21.6.07  
Anonymous Brytto said...

O Rui Costa merece todo o meu respeito, mas isso não implica que não possa vir a ser alvo de criticas. O Rui de hoje, obviamente, não pode ser o mesmo jogador que foi num passado recente, a lei da vida não perdoa. Deste modo, não creio que no futebol de hoje e mesmo no nosso campeonato, onde as exigências físicas são cada vez maiores, um clube de top se possa dar ao luxo de ter um número dez clássico (espécie em vias de extinção) para jogar num espaço relativamente reduzido e que tenha pouca apetência para fazer as respectivas coberturas defensivas, só porque (o que não é nada mau) se trata de um jogador que tem ainda uma boa visão de jogo e passe. No caso do sistema adoptado pelo Fernando Santos que tudo leva a crer será para manter, o Simão, na minha modesta opinião, dá outra dimensão ao lugar e ao próprio jogador. Daí eu pensar que a efectiva experiência e amor clubistico que o Rui inegavelmente possui poderiam vir a ser mais úteis para ambas as partes se este opta-se por um cargo na estrutura do futebol do Benfica. Esta opção até poderia ser uma forma de evitar um fim de carreira menos condigno com o seu passado e por outro lado não colocaria o treinador numa posição algo complicada no que concerne a uma possível obrigação sempre latente de o colocar sistematicamente na equipa titular. Esta é a minha opinião. No entanto, quero crer que estas situações foram devidamente ponderadas por ambas as partes e uma vez já tomada a decisão resta-me acreditar no carácter do jogador e desejar-lhe o maior sucesso possível que com é evidente será o nosso, assim, sempre que entrar em campo, irá contar com o meu total apoio, mesmo que as coisas não lhe corram da melhor forma, o que eu temo não vir acontecer por parte dos emotivos e exigentes adeptos benfiquistas…

21.6.07  
Anonymous Brytto said...

Relativamente à famosa OPA, não tenho muito a acrescentar, pois como já afirmei, trata-se de um tema que não domino minimamente, julgo passar-se o mesmo com a maioria, é claro que incluo o vedeta neste lote. Assim, partindo do pressuposto que é humano desconfiar-se sempre daquilo que não se compreende, acabo por aceitar as desconfianças manifestadas pela maioria e em particular pelo vedeta. No entanto o meu estado de espírito é ligeiramente diferente, estou na expectativa, nem estou eufórico, pensando que o bom do Berardo vem aí com um semi-reboque cheio de dinheiro para doar graciosamente ao glorioso, nem estou pessimista, entendendo que vem aí um papão que vai sugar o nosso querido clube. Assim que colher mais informação, como espero, darei a minha opinião, julgo, mais fundamentada, evitando cair na tentação, sempre fácil, de comentar conspirações virtuais mais ou menos maquiavélicas tão ao gosto do nosso vedeta. Até lá, resta-me acreditar na nossa direcção para defender intransigentemente os interesses do clube e da SAD, ampliando as virtualidades que uma operação desta natureza poderá vir forçosamente a ter e atenuando os possíveis malefícios que daí possa advir.

Notas:
- Os ingleses não têm jornais desportivos diários porque para além de não existir essa tradição a maioria dos jornais trás um suplemento desportivo muito completo. Este facto, como é obvio, não os faz menos adeptos que nós.
- O Chelsea era o Belenenses de Londres, se fores perguntar aos seus adeptos se viriam com bons olhos um dono tipo Abromovich, penso que saberás qual será a resposta. Este tema faz-me lembrar a frase: “mais vale ser rainha um dia do que princesa toda a vida”. Quando este se fartar, é obvio que o Chelsea voltará à sua dimensão, nada mais…
- Não alinhar na reacção totalmente desmedida, estérica, sensacionalista e até dramática (“Rui Costa chocado”- Record) veiculada pela maioria dos media é ter “tendência de certo modo dialética e sofista” ? Não creio. Uma posição que recusa o acessório (o folclore) e se centra no essencial só pode ser uma posição equilibrada. Aliás, como se veio a confirmar, o famigerado pedido de desculpas aí está para tranquilizar as mentes mais ofendidas.

21.6.07  
Blogger LF said...

Catn,

O meu avô dizia sempre " As desculpas não se pedem, evitam-se !".
O mal foi feito, e a imagem de Berardo, para mim, vai ficar eternamente marcada por este episódio.
Mais importante que o seu pedido de desculpas (ao qual, com franqueza, atribuo pouca importância), fiquei satisfeito com o comunicado da direcção publicado no site oficial e que, podendo todavia ter ido um pouco mais longe, cumpre no essencial aquilo que aqui eu tinha exigido de Luis Filipe Vieira.

21.6.07  
Blogger LF said...

Brytto,

Como já expliquei não concordo minimamente com a opinião que tens sobre a utilidade do Rui Costa.
Para mim, com a saída de Anderson do F.C.Porto, é claramente, mesmo aos 34 anos, o melhor médio ofensivo a jogar em Portugal.

Cultiva-se em Portugal, e sobretudo no futebol, a mania dos jovens, dos jovens (muito incrementada agora pela política do Sporting, que é preciso dizer, há cinco anos que não ganha o campeonato), como se ser jovem fosse por si só sinónimo de qualidade.
É preciso colocar Rui Costa no seu lugar. O de um dos melhores jogadores do mundo da sua geração, que só não está no Milan devido ao seu amor ao Benfica, e só não era lá titular devido a Kaká.

Só quem nada perceba de futebol é que não dá o devido valor a algumas das exibições que mesmo assim realizou esta temporada, marcada, indelevelmente, pelas lesões.

21.6.07  
Blogger LF said...

Brytto,

Conhecendo tu como conheces a minha formação académica de base, causa-me algum espanto que não faças a justiça de me reconhecer um minimo de conhecimento de causa para falar da OPA (desta ou de outra qualquer), nos termos meramente superficiais em que falei.

Não sou especialista na bolsa, é verdade, mas para quem não saiba sou licenciado em Gestão de Empresas e mestre em Sociologia.

Sinto-me suficientemente à vontade para dizer aquilo que disse sobre esta operação (e para continuar a falar dela, se for caso disso), e naturalmente bem mais à vontade do que se fosse Engenheiro Agrónomo.

Questão diferente é a de se conhecer realmente as intenções de Berardo, mas é para isso que servem as opiniões e os debates.

PS: No caso Berardo/Rui Costa não existe "essencial", mas apenas o "folclore" de uma precipitadíssima "baboseira".

21.6.07  
Blogger LF said...

Esqueci-me de referir, sobre a importância do Rui Costa, que a moda dos meios-campos em losango de certa forma recuperou os típicos números 10, que pareciam efectivamente em vias de extinção. Veja-se Anderson do F.C.Porto, Romagnoli no Sporting etc.

Neste momento, quem parece em vias de extinção são os extremos, mas como se percebe no futuro poderá não ser assim. O mundo da táctica é extremamente dinâmico.

21.6.07  
Anonymous Brytto said...

Para finalizar, quais são os números 10s "clássicos" do Milão, Barcelona, M.U., R.Madrid, B.Munich, Chelsea, Liverpool,etc,?!!!!!!! -tipo Rui Costa.
Pequenas notas:
- O Kaká joga como 2º avançado no Milan, neste momento (não no passado) não tem nada a ver com a posição de Rui Costa.
- Os extremos "puros" há muito que estão em extinção, não foi agora porque o Sporting e o Benfica passaram a jogar em losango que os extremos estão em perigo. Com o Porto, como sabes, o sistema é outro, 4.3.3, pelo que ainda fazem algum sentido...

21.6.07  
Anonymous catn said...

BRYTTO

Essas equipas não têm nº10, porque não os há, e não os há porque o futebol actual joga-se em força, com grandes correrias e quanto mais altos e grandes melhor, quando aparecem jogadores técnicamente mais evoluidos, caso de C. Ronaldo, Anderson e Nani, custam "pipas de massa", porque há poucos

O futebol actual, tem pouca posse de bola, as equipas passam da defesa para o ataque com poucos toques de bola, é a unica hipotese, pois os jogadores são maus técnicamente e sem clásse

No esquema do 4-3(1-2)-3(1-2), ou se quizerem no 4-4-2(losango), porque o esquema do losango, não passa dum 4-3-3 com os médios mais interiores, o nº10 faz sentido, agora esse nº10 tem de ter desponibilidade fisica para defender

O FS pensou nesta situação, quando passou o Rui Costa para interior esquerdo e o Simão a fazer de nº10, pensou na maneira de defender o meio do campo, no papel o esquema é este, depois aparece as compensações e a dinamica da equipa

Um nº10 com classe, técnica e visão de jogo, faz sempre falta, os treinadores, é que têm de achar a melhor maneira de os colocar na equipa, para que esta fique equilibrada, seja a médio direito, ou esquerdo, ou seja como 2º ponta de lança, eles fazem a diferença e eles estão lá, Deco, Lampart, Pilro, KáKá e outros, jogam é noutras posições, mas quando a equipa ataca, eles aparecem a comandar o jogo de ataque da sua equipa

Os bons jogadores fazem sempre falta

22.6.07  
Blogger LF said...

Depende do sistema que se utilize.
Em losango, um dez é essencial.
No Chelsea, unico dos referidos que joga em losango (e nem sempre) o dez é o Ballack, se bem que seja um jogador com caracteristicas diferentes de Rui Costa.
O Manchester acabou de contratar Anderson.

A decadência dos criativos prende-se com o facto de hoje, salvo talvez nalguns bairros de Brasil e Argentina, ou em África, não haver futebol de rua.

Eusebio, Pelé, Maradona todos começaram a jogar descalços nas ruas, muitas vezes com bolas de trapo. Isso hoje não existe.

Existem as playstations etc, e existem as escolas de futebol, onde os mais pobres dificilmente entram, e onde os jogadores são logo formatados em termos táctico-técnicos desde tenra idade.
Isso faz com que os criativos, os "selvagens" do jogo tendam a extinguir-se, para dar lugar a jogadores menos habilidosos mas competitivamente mais disponíveis em termos colectivos.

22.6.07  

Enviar um comentário

<< Home