06/04/10

CLASSIFICAÇÃO REAL

A análise à arbitragem da jornada centra-se naturalmente no fantasmagórico desempenho de Artur Soares Dias no jogo de Braga. De resto, pouco haveria a acrescentar.

SP.BRAGA-V.GUIMARÃES
Toda a actuação do árbitro foi um compêndio de incompetência e desnorte, do primeiro ao último minuto. Desde penáltis mal assinalados e cartões mal mostrados, até decisões revogadas, de tudo se passou. Vejamos os principais casos:
- A alteração da decisão de assinalar o penálti por suposta mão de Moisés vai, indiscutivelmente, de encontro à verdade desportiva. A dúvida que fica é contudo a de se saber de que forma, e por que meios, modificou Soares Dias a sua decisão. Foi o quarto árbitro que viu o lance na televisão? Foi alguém do banco do Braga? Porque não alterou então o juiz também a sua decisão no último, e inexistente, penálti?
- O golo vimaranense foi alvo de protestos, mas não creio que tenha havido qualquer irregularidade.
- Quanto ao primeiro penálti assinalado (o que fez o 1-1), de acordo com o critério que tenho utilizado noutros jogos, creio ter mesmo existido. Já não tenho a mesma opinião sobre a falta que dá origem ao perigosíssimo livre que o antecede, e que só um árbitro empenhado em ajudar uma das equipas seria capaz de assinalar.
- O lance do segundo penálti assinalado deixa-me muitas dúvidas. É verdade que as faltas devem ser assinaladas onde terminam, e que Valdomiro não foi hábil a evitar a má sorte. Mas não me parece que o último agarrão seja suficiente para fazer cair Renteria, e nem tenho a certeza de que o mesmo tenha sido efectuado já no interior da área de rigor. Em todo o caso, o pior ainda estava para vir.
- A polémica em torno do terceiro penálti (que fez o 2-2) surge apenas devido ao cartão vermelho exibido a Rodriguez. Mais um equívoco de Soares Dias, que, de facto, deveria ter ficado em casa. Ele sim, merecia um cartão vermelho tamanho do resto do campeonato.
- O caso mais grave prende-se com o último penálti, assinalado quando passavam já quatro minutos dos noventa. Não existiu qualquer falta, mas o que releva deste lance é a inequívoca vontade de Soares Dias fazer com que o Sp.Braga vencesse o jogo, pois um pénalti inexistente marcado aos 94 minutos de um jogo tão importante não aparece por acaso. Porquê? Só ele saberá, mas já na altura aqui deixei nota da minha estranheza pelo facto de uma arbitragem destas aparecer num momento em que um triunfo bracarense não interessava, nem a FC Porto, nem a Benfica (as duas forças desportivas de maior peso no país). Estávamos habituados a que uns dissessem que o Benfica dominava a arbitragem, outros lembrassem os anos negros do sistema portista. Esta é uma situação nova, em que os Mesquitas Machados (ex presidente da Assembleia Geral da FPF), os Antónios Salvadores, os Carlos Freitas (já muito batido dos tempos dos penáltis de Jardel), os Domingos Paciências (figura do FC Porto de Calheiros, Guímaro e Fortunato) e/ou outros personagens, parecem ter adquirido vida própria, e mostram força para determinar o andamento do campeonato. Uma semana depois do deplorável espectáculo da entrega das insígnias da FIFA de Pedro Proença ao treinador do Sp.Braga, meses depois de uma série negra de jornadas (as iniciais) em que o clube bracarense foi claramente beneficiado pelas arbitragens, eis um novo dado demonstrativo daquilo que parece ser o emergir de um novo sistema, tão podre como o anterior. Não o combatam agora, e depois digam que é tarde demais…
Resultado Real: 1-2

SPORTING-RIO AVE
Não vi o jogo, pois o derby minhoto deixou-me de rastos, e sem vontade de ver futebol até à noite de ontem. O único lance que posso destacar é a expulsão de Izmailov, que me pareceu justíssima.
Resultado Real: 5-0

FC PORTO-MARITIMO
Não tenho conhecimento de nenhum caso polémico. Mas se Radamel Falcão quisesse jogar a Champions do próximo ano, e, num acto de justificado arrependimento, pretendesse voltar aos caminhos da Luz, eu por mim recebê-lo-ia de braços abertos – além de grande jogador, parece-me um profissional irrepreensível, que está manifestamente a mais naquela casa.
Resultado Real: 4-1

NAVAL-BENFICA
Uma possível mão na bola de um defensor figueirense foi o único caso de eventual influência no resultado, aceitando-se contudo diferentes interpretações.
Mas a acção de Elmano Santos (árbitro que me causa sempre alguns arrepios) interferiu no jogo mais do que os resumos possam mostrar. Faltas a meio-campo marcadas e por marcar, corte dos ritmos da partida, dois livres perigosos por faltas inexistentes, e um cartão amarelo estapafúrdio mostrado a Maxi Pereira, que impede o uruguaio de defrontar o Sporting – clube do coração do juiz madeirense.
Embora sejam decisões do âmbito de acção dos assistentes, o primeiro e o quarto golo do Benfica parecem totalmente legais, estando Di Maria e Weldon, respectivamente, em linha com o último defesa da Naval. Infelizmente, a péssima realização televisiva da RTP não permitiu confirmar esta ideia, deixando as suspeitas no ar.
Já que falo na realização televisiva, devo dizer que a mesma não fracassou apenas nas repetições (ou falta delas) dos lances polémicos. Foi deplorável em todos os aspectos do jogo, falhando os timings de mudança de câmara, perdendo o rasto da bola, e cometendo erros primários em série. Que teriam bebido ao jantar?
Resultado Real: 2-5

CLASSIFICAÇÃO REAL
BENFICA 69
Sp.Braga 51
FC Porto 50
Sporting 43

Etiquetas:

5 Comments:

Blogger andreafonso said...

eu questiono no jogo do fcp - marítimo a não expulsão de raul meireles, autor do 2º golo azul e branco, por pontapé já fora das 4 linhas a um defesa do marítimo, julgo logo após o 1º golo...

7.4.10  
Blogger Miguel said...

ya realmente... merda de transmissão aquela... a câmara lateral estava muito em baixo também!!

7.4.10  
Anonymous Vitória do Benfica said...

Na realidade a arbitragem do Sp. Braga Vitória foi uma coisa só vista nos países do terceiro mundo eu volto a desafia-lo a si para nos apresentar aqui dados como a arbitragem foi a pior de todas da história do futebol português só deve ter paralelo com aquele Presidente do Sporting da Legião Portuguesa que entrou no balneário de pistola em riste.

O Falcão foi uma pena mas não acredito que fique muito tempo no FCP pelas palavras do seu empresário. Bem nós com o Falcão já estariamos perto mas muito perto dos 80 golos no campeonato.

O elmano não marca penalties a favor do Benfica, mesmo que sejam completamente verdade.

7.4.10  
Anonymous Anónimo said...

Se o Artur Soares Dias tinha uma "inequívoca vontade de fazer com que o Sp.Braga vencesse o jogo" o melhor que tinha a fazer era marcar um penálti a favor do Guimarães já depois da hora; até porque ele já previa que o Braga ia chegar à área outra vez e que o Flávio Meireles ia agarrar o Rentería (não que isso seja pénalti, mas lá que agarrou agarrou) para marcar outro pénalti.

Sim senhor! Muito bem pensado sr. Luís Fialho... essa teoria é mesmo intelegentíssima:

"Quero que o Braga ganhe, olha o Roberto está no chão da área aos 92min... vamos lá a marcar isto que o Braga ainda vai lá, no próximo minuto. Seguramente!"

7.4.10  
Anonymous Anónimo said...

Desilusão ver que a esperança de ganhar o campeonato faz alguns benquistas esquecerem os roubos do Porto.

Tivesse o Porto ganho a Taça da Liga ao benfas e já se falava aqui da agressão do Raul Meireles nesta ultima jornada.

Raul Meireles sendo expulso, duvido muito que alguma vez conseguisse chegar à vitoria.

7.4.10  

Enviar um comentário

<< Home