11/05/09

FIM DE CICLO

Numa partida em que, para o Benfica, pouco ou nada havia em jogo, e diante de um adversário a lutar aflitivamente pela manutenção e incentivado por uma significativa falange de apoio, o empate nem sequer foi um resultado surpreendente, sobretudo olhando ao passado recente da equipa de Quique Flores.
A exibição dos encarnados nem foi das piores, sobretudo enquanto Di Maria e Urreta estiveram em campo. Sofrendo o primeiro golo, o Benfica deu a volta ao jogo, podia ter dilatado a vantagem, acabando por sofrer o empate através de um golo irregular.
Foi a saída daqueles dois flanqueadores que acabou por fragilizar a capacidade ofensiva do Benfica, que tivera até então, com eles em campo, quem servisse Óscar Cardozo no centro do ataque. O paraguaio acaba a época com o pé quente, como que a mostrar o erro que será vendê-lo no defeso que se aproxima. As substituições tornam-se ainda mais estranhas se levarmos em conta que Pablo Aimar estava, uma vez mais, a passar ao lado do jogo.
O ambiente que se vive em torno de Quique Flores é insustentável. Não vai ser possível ao Benfica iniciar a próxima época com um treinador tão fragilizado perante os adeptos, a imprensa e até alguns jogadores. Independentemente dos méritos do seu trabalho (por exemplo, parece ser um bom disciplinador), tudo à sua volta aponta para a saída e o seu ciclo terminou.
Mas o problema do futebol do Benfica não é apenas um problema técnico. É algo de mais profundo, que tem raízes há quinze anos atrás. Desengane-se quem pensar que Jorge Jesus, Scolari ou outro qualquer treinador fará, por si só, do Benfica a força desportiva que foi no passado. É preciso uma cultura diferente, e o primeiro passo para a implementar é segurar os melhores jogadores do plantel – não as grandes vedetas internacionais contratadas à pressa, mas os bons jogadores como Luisão, Cardozo ou Katsouranis.
Dentro de dois dias (no máximo), terá aqui o prometido trabalho que foca estes e outros aspectos.

5 Comments:

Anonymous Vitória do Benfica said...

è uma pena se vendem o Cardozo.
EU NUNCA MAIS PERDOAREI AO RUI COSTA

12.5.09  
Anonymous Peter said...

Antes demais nada caro LF este jogo foi um espelho leal da época do Benfica. Exibições fracas e arbitragens que prejudicam e de que maneira o Benfica.Foi o 10º jogo segundo as minhas contas em que o Benfica foi prejudicado, num saldo que para a liga acaba por ser 8 jogos tendo em conta o benefício contra o braga e o estrela.Concordo que o Urreta não devia ter saído, agora o Dí Maria sou obrigado a discordar porque mais uma vez não jogou nada (este sim deve ser vendido).Quanto ao ambiente em redor do treinador é insustentável porque o Rui Costa e o LFV não sabem proteger o treinador da pressão mediática de que tem sido alvo, se o nosso lema diz um por todos e todos por um, é nestas alturas que devemos ser solidários. O pseudo-candidato bruno carvalho que eu até duvido que seja Benfiquista, tem razão quando diz que o treinador não é protegido.E esse aspecto caro LF tem sido o problema central da política desportiva do Benfica desde 94 até agora.Contratam-se treinadores novos todas as épocas com as alterações constantes de jogadores e esquemas tácticos e se não corre bem logo á primeira destrói-se logo tudo e voltamos ao início.Sou contra o despedimento da actual equipa técnica, estou farto de anos 0 todos os anos.A pressão é grande!?Quem não aguenta a pressão dos media (que é propositada)e dos Benfiquistas manipulados por ela não tem estofo para ser dirigente do Benfica.E de uma vez por todas temos que pressionar as arbitragens porque isso resulta, é éticamente condenável mas num país em que a ética foi posta numa gaveta há muito tempo tem que se actuar assim.O j.jesus para mim pode treinar o Benfica no final do contrato do Quique se as coisas não correrem bem, o scolari não, aí deixaria de ir ver os jogos do Glorioso, não tem estofo para um clube como o Benfica.Quanto aos jogadores que o LF diz que devem ficar estou perfeitamente de acordo.

12.5.09  
Anonymous Gaspar Esteves said...

Se nos devolvessem os 17 pontos ROUBADOS o Quique já era o maior...

12.5.09  
Anonymous Nuno Figo said...

A exibição do Benfica não foi brilhante, mas seria suficiente para vencer... caso não tivessemos sofrido (mais) 2 golos perfeitamente inaceitáveis, em lances que provaram novamente a nossa debilidade a defender bolas paradas. Some-se a isso a estrondosa eficácia - uma vez mais - da equipa adversária.

Num momento em que se faz contas à vida, penso que é no sector defensivo que a análise devia recair. Com 2 golos marcados, na Luz, o Benfica deveria vencer o jogo. Sofrendo 2, empatou.
Por muito que simpatize com Quim, que venere Luisão, que admire a entrega de Maxi e de David Luiz e por muito que identifique potencial em Sidnei, Miguel Vitor e no próprio David Luiz, há problemas sérios na defesa da Luz (problemas esses que se estendem ao restante 11, visto que defendemos bolas paradas... com 11).

Sobre as questões acessórias, também concordo que Cardozo deveria ser mantido. Mas num momento de crise (financeira e desportiva) mais importante que um ou outro jogador, penso que se deve manter a saúde financeira do clube. Se houver bom mercado para Cardozo... a sua venda deve, no mínimo, ser equacionada. O mesmo é válido para Katsouranis, Luisão, Reyes (neste caso, não exercer a opção de compra).

Sobre Quique e a sangria de treinadores... há que perguntar aos nossos consócios a razão dos lenços brancos. São eles os principais culpados da débil situação do treinador espanhol. Com os media poderia a direcção bem, creio eu. Mas se a contestação é interna (e nós, sócios, fazemos parte do clube), a coisa é pior.

Julgo que o principal problema é (e neste particular vejo-me forçado a concordar com... Rui Santos) baixar as expectativas da nação benfiquista.
Tal como Rui Costa e Quique tentaram fazer, antevendo um ciclo de 2 anos. Ou seja, os resultados da aposta só se veriam no próximo ano.
Infelizmente, Luis Filipe Vieira não soube interpretar o mesmo.
E infelizmente, a massa associativa também não entendeu isso. O próprio LF, cujas opiniões respeito e que começou com este discurso, passou a exigir sucesso imediato. E a condenar Quique pelos problemas de agora. Não esperando pelo amanhã.

Por mim, mantive as expectativas reduzidas, pelo que o resultado final deste campeonato, não me satisfazendo (temos, apesar de tudo, já mais 1 ponto que no ano passado), não me desgasta profundamente.
O que me desgasta é sentir que voltámos à estaca zero. Que a nação benfiquista (e "estranhamente", a não benfiquista) exige novamente mudança, exige um novo ciclo.

Pessoalmente, nem gosto de Quique. Mas não o vejo como um profissional muito menos capaz que, por exemplo, Jesualdo, Paulo Bento, Jorge Jesus ou Manuel Machado. Face a estes, só teve contra o desconhecimento do campeonato português (que agora conhecerá melhor) e o ter que criar uma equipa nova (que agora poderá ser mais experiente).

Continuo a achar que cabe a nós, benfiquistas, baixar as expectativas e "fornecer" aos jogadores, treinadores e dirigentes do Benfica o que falta: estabilidade, calma, tempo e apoio, nos bons e maus momentos.

Vemo-nos no estádio,
Nuno

12.5.09  
Blogger pedromarques said...

Uma boa noite ao LF e a todos os bloggers que por aqui passam.

Em primeiro lugar faço minhas as palavras de Nuno Figo.
Dêem tempo ao tempo.. se o Rui Costa o escolheu pra treinador por alguma razão foi.. e pra quem questionar a credibilidade do maestro, que me mostre alguem com semelhante amor ao Benfica.. Também acho necessário referir que há coisa que admiro no Quique, que é o não fazer os escabeches que Paulo Bento e Jesualdo Ferreira quando as arbitragens não correm bem para as respectivas equipas e que gostam muito de cag** as suas postas de pescada a dizer que são uns coitadinhos. Só por isto, Quique demonstra que o Benfica tem um longo caminho pela frente, quer renove o contracto com o Glorioso ou não, para voltar a ter a força europeia do passado em termos de resultados e exibições porque meus caros amigos o Benfica quer os seus rivais queiram quer não continua a ter a importância que tem tanto dentro como fora de portas para o futebol português.

PS: a única razão pla qual posso não aplaudir Quique é plas eventuais tacticas ou substuições feitas.. mas ao mesmo tempo estou em querer que o plantel está a ser estudado e estas "burocracias" demoram tempo a fruír.

Saudações Benfiquistas

13.5.09  

Enviar um comentário

<< Home