17/03/09

MAU SINAL

Notícias recentes dão conta da eminente saída de Konstantinos Katsouranis do Benfica no final da presente época.
Nada sei sobre a vida familiar do grego, desconheço se é ou não um companheiro estimado no balneário, nem sequer sei, ao certo, qual o seu salário mensal, embora esteja convencido de que ganha bem. O que todo vemos é que se trata de um grande jogador – sob o ponto de vista técnico, táctico, mental e atlético -, de um elemento extraordinariamente influente na equipa, de uma peça preponderante em qualquer modelo de jogo que o Benfica possa adoptar, de alguém experiente nacional e internacionalmente, com vários anos de clube, identificado com a sua realidade, adaptado ao país e ao nosso futebol. Nesta medida, a sua eventual saída não pode deixar de ser um golpe na preparação da nova época, e um sinal negativo para o futuro próximo do futebol encarnado.
Um dos grandes problemas da gestão desportiva do Benfica nos últimos anos tem sido – mais até do que as constantes alterações de treinador – a saídas intempestivas, precipitadas, pouco acauteladas e mal explicadas de jogadores fundamentais na equipa. Se por Miguel, Tiago, Simão, Manuel Fernandes, Anderson ou Ricardo Rocha o clube ainda foi de alguma forma, mal ou bem, ressarcido, já nos casos de João Pereira, Nuno Assis, Karagounis, Geovanni, e mais recentemente Léo e Petit, entre outros, o Benfica não recebeu um cêntimo pelas respectivas saídas, o que custa a entender face à valia desportiva de cada um deles. Se a estes juntarmos os casos dos empréstimos de Miccoli, Cristian Rodriguez, Alcides ou Derlei, jogadores por cuja permanência não terão sido feitos todos os esforços possíveis, mesmo depois de demonstrarem a sua qualidade e/ou utilidade, concluímos que o Benfica já foi suficientemente penalizado por este tipo de situações para não voltar a cair mais uma vez nos mesmos erros.
Se por um lado a simples vontade de sair não pode ser um critério imperativo, por outro, quando os jogadores são bons, há que os segurar com “unhas e dentes”, sabendo-se que dificilmente se encontra alguém de idêntico valor desportivo sem ter de gastar muito mais dinheiro. Há que perceber também que certos jogadores têm um peso no conjunto bastante superior àquele que é o seu valor de mercado, casos em que um aumento de salário pode e deve impedir uma saída susceptível de deixar a equipa órfã – como era eventualmente o caso de Simão Sabrosa.
Sobretudo a clubes com as limitações orçamentais próprias do futebol português, bons jogadores de futebol não se vendem na praça. Quando, por felicidade, eles nos caem nas mãos, há que fazer tudo para os agarrar, e nunca pensar, de forma ligeira, que se conseguem substituir facilmente. Veja-se como o FC Porto segura, há anos, Lucho Gonzalez e Lisandro Lopez, apesar da vontade de mudar de ares manifestada por ambos - Pinto da Costa e Jesualdo sabem certamente que sem eles ficariam entregues aos Bolattis e aos Farias deste mundo, pois nenhum clube português pode contratar Lampards nem Messis. Veja-se como o Sporting fechou a porta a João Moutinho e como a fechara no passado a Liedson - se o primeiro ainda se pode valorizar bastante mais, um ponta-de-lança como o segundo custa 15 milhões de euros e o Sporting provavelmente não os tem. Porque motivo no Benfica todos conseguem forçar a saída sem grande esforço, mesmo quando são elementos chave?
Se o problema é dinheiro – e quase sempre é disso que se trata -, porque não renovar contrato com o médio grego, pagando-lhe um salário, tanto quanto possível, mais elevado e mais compatível com aquilo que produz em campo - e que, diga-se, é muito mais do que Aimar, Suazo ou Reyes? Porque não poupar dinheiro com aqueles que não rendem, investindo nos que mais correm, que mais lutam, que mais capacidade de choque demonstram, que maior regularidade exibem, que nunca se lesionam, e que, sobretudo, já deram provas do seu valor ao longo de várias épocas?
Há uns meses atrás circulou na blogosfera, como certamente muitos leitores se recordam, um boato segundo o qual Katsouranis e Cardozo estariam na mira do FC Porto. Espero e acredito que tenha sido apenas um boato, mas convém o Benfica reflectir na forma como mantém, estimula e segura os seus melhores jogadores, pois prescindindo deles com a facilidade que se tem visto, sujeita-se a passar por evitáveis desgostos, e a permanecer mais alguns anos arredado dos títulos.

7 Comments:

Anonymous Jorge Marques said...

Ha pois é..
Parece-me uma boa análise da nossa realidade. E parece-me muito que a gestão de jogadores tem sido terrível nos últimos anos. Todos os casos referidos são disso exemplo e se juntarmos o rol de contratações falhadas podemos facilmente chegar à conclusão que tem sido um descalabro de gestão.
Por isso sou um forte crítico ao nosso presidente. Para mim o clube continua entregue a alguém que muito parece querer resolver as que não tem cultura nenhuma para o conseguir. Além disso não percebo até hoje alguns negócios. Entre os quais o do Simão que nunca seria vendido até o ser com dois jogadores como contra-partida para o Benfica..até hoje o assunto morreu e ninguém percebeu a promessa nem o negócio..
No ano passado não segurámos o Cebola e vê-se bem, como se via no ano passado, a qualidade do jogador..
Temos uma equipa de estrangeiros que vão entrando e saíndo todos os anos..
Há quem bata palmas, há quem apoie, há quem não queira ver e os que querem são mal amados...
Depois andamos preocupados com os fora-de-jogo mal assinalados, com os penálties por marcar e por tudo o resto que nunca vai deixar de existir! No fim, costuma ser assim quase sempre, o campeão é a equipa mais sólida! É preciso ser racional porque temos muita coisa mal arrumada! Muita incompetência! No meio de virtudes, sem dúvida mas preferia uma grande política desportiva a muita coisa construída..fiquemos com o betão..

17.3.09  
Anonymous Anónimo said...

Por acaso nao acho que katso seja aquele jogador que dizem ser, já foi com FS. É claro que de vez em quando tem pormenores excelentes mas.. e mais? passes a rasgar quantos? desarmes quantos? pulmão+velocidade como yebda? garra como amorim?
Noutra táctica como por exemplo o losango talvez..
Cardozo? Nunca gostei de pontas de lança q só jogassem com um pé, que não tivessem mobilidade/agilidade e antecipação. Muito sinceramente prefiro o Nuno Gomes

Ah e já agora ver se dão mais oportunidades ao Urreta.

Vasco;saudações benfiquistas

17.3.09  
Blogger sestrela said...

Só agora se apercebeu disto???

Gestão de recursos humanos não lhe diz nada?
Estratégia e politica de empresa também não?

Já agora, voçe que de uma forma ou de outra está ligado ao benfica,tente lá encontrar uma justificação para o facto da direcção do benfica ter tido o cuidado de alterar a sua estratégia....de"comunicação".
Foi contratar um novo director de comunicação porquê?

Digo-lhe mais. Uma pessoa culta como voçe(já vi o seu blog fumo sem fogo e ambos sabemos do que estou a falar), devia ter o cuidado de fazer análises em maior profundidade e não andar atirar areia para os olhos dos parvos ao vir tentar explicar os males do benfica...com base no treinador.Isso é desonestidade intelectual.

18.3.09  
Anonymous Anónimo said...

Katso não faz falta nenhuma a um Benfica que se queira campeão. è um jogador que actua na zona mais importante para qualquer equipa e não adianta nem atrasa. Por exemplo no último jogo com o Guimarães tera tocado na bola 2 ou 3 vezes e uma delas para falhar um golo a boca da baliza.
Um centro campista de classe, como o Benfica precisa, tera´de ser aquele que pega na bola, leva ou distribui, desarma, faz pressão, corre Kms.
Um dos males do Benfica é acreditar em jogadores "faz de conta" como é este, é o Yebda e era o Petit.

18.3.09  
Anonymous Vitória do Benfica said...

Bom Dia Luis Fialho e restantes visitantes do blog

O Benfica tem feito uma má gestão de jogadores é verdade. O problema está sobretudo numa grande ansiedade de se querer ganhar sem perceber as causas. Eu acho que há razões endógenas e exógenas, para que isto aconteça.

RAZÕES EXÓGENAS
Quer queiramos quer não as razões exógenas que são muitas e prendem-se com a corrupção no futebol português e com a fragilidade do poder politico para bloquear essa mesma corrupção. Os casos estão à vista pois os dois últimos Presidentes da Assembleia geral da Liga têm de responder em tribunal por actividades menos licitas. As situações que se passam no futebol português seriam impensáveis no futebol espanhol, inglês , holandês, italiano ou alemão. Onde o tráfego de influências e as benesses em termos abonar certos clubes com condições técnicas (centros de estágios, estádios e outros) Os jogadores emprestados que eu não me canso de evidenciar porque considero ser uma grande chaga, que conduz não só o Benfica que se vê obrigado a jogar em todos os jogos com jogadores pagos pelo FCP.

Eu adorava conhecer um estudo para ver os quilómetros corridos pelo jogadores emprestados pelo Porto contra o Benfica e a sua corrida média. Penso que o Benfica possui os meios técnicos e tem guardados esses valores. Tal como terá sobre os níveis de melatonina dos jogadores quando jogam à noite ou os desafios são à tarde, para evidenciar porque s os jogos ingleses são durante o dia. Não para o mercado asiático como alguns pretendem dizer

RAZÔES ENDOGENEAS

O Benfica por diversas razões que eu muito aprecio é um clube de cultura séria e honrada por isso não pactuou não foi flexível e permeável a certas situações de corrupção e de tráfego de influências.

Em função disto deixou-se minar pelo facilitismo e pela indisciplina pelo oportunismo de certos empresários. Até há bem pouco tempo eram os empresários que

O caso do Cristian Rodriguez não me preocupa, porque acho que o foi o Benfica que não o quis, acho que se o Cardozo for para o Porto é só para abalar psicologicamente os sócios do Benfica. Por isso também não estou preocupada com isso. Acho que o Benfica precisa de um avançado

Acho que o Benfica está no bom caminho o LORD o laboratório de optimização do rendimento desportivo é uma grande aposta do Benfica que vai dar muitos frutos.

Considero por isso que o Benfica está no bom caminho. Perdeu com o Guimarães, pode até perder com o Sporting longe vá o agoiro, mas o Quique não deve sair. Não é fácil entender o futebol português. O Rui Costa sabia disso mas optou por um treinador estrangeiro e não quis um treinador português. Ele tem as suas razões e eu concordo com elas.

Saudações Benfiquistas

18.3.09  
Blogger M said...

o Katsouranis é dos melhores médios que passaram no Benfica nos valentes ultimos anos...se sair, é com muita pena que vejo partir um jogador deste calibre.

saudaçoes benfiquistas

18.3.09  
Anonymous Anónimo said...

Não nao! Os jogadores do Benfica são sempre do melhor que há e as equipas sao sempre capazes de ombrear com o que de melhor existe na Europa! O problema do benfica são as arbitragens, a corrupção, o mau tempo e o facto de o fim de semana ter só 2 dias!
N nos desviemos do que é, de facto, importante! VAmos lá continuar com as insinuações, faltas de coerência e destilações de ódio e azia! Vá, vamos lá!

18.3.09  

Enviar um comentário

<< Home