11/02/09

FUTEBOL E PARAFUTEBOL

Poucos minutos depois de terminado o clássico de domingo, e ainda a quente, escrevi aqui que era altura de o Benfica dar o primeiro passo no sentido de deixar a arbitragem tranquilamente no seu lugar, que é um lugar lateral ao que deve ser o espectáculo desportivo. Parece que a direcção da SAD encarnada é da mesma opinião, e as críticas a Pedro Proença ficaram-se pelo óbvio: constatar o erro que decidiu o jogo.
Por muito que custe perder pontos daquela forma, por grande que seja a importância que eles possam vir a ter no desenrolar do campeonato, há que compreender de uma vez por todas que o trabalho dos árbitros é extraordinariamente difícil, que, como toda a gente, se podem enganar, e que, na sua esmagadora maioria, entram em campo com uma firme vontade de não cometer erros, não lhes passando pela cabeça favorecer este ou aquele. Quem abandona o conforto do sofá e assiste a jogos nos estádios, sabe bem que em tempo real a maioria dos lances duvidosos ficam mesmo por esclarecer, e em muitos outros a própria dúvida só é suscitada mais tarde através dos resumos. Eu, por exemplo, assisti ao Benfica-Sp.Braga na Luz, e saí do estádio convencido de que a arbitragem tinha sido relativamente pacífica (eventualmente com um penálti por assinalar – o de Luisão). Só ao ligar o rádio do carro percebi toda a polémica, que lá dentro escapou a quase toda a gente. Isto já se repetiu noutros jogos, a favor e contra.

Na verdade, exige-se ao árbitro aquilo que, honestamente, nenhum adepto ou comentador, em nenhum estádio, consegue fazer. Pretende-se que ele decida “in loco” com a mesma exactidão com que se opina após ver uma dúzia de repetições em todos os ângulos, na maioria das vezes sem que mesmo assim se chegue a um consenso.
O Benfica já foi prejudicado várias vezes, e beneficiado algumas outras. O F.C.Porto e o Sporting também. Tem sido assim desde 2004, ano em que o caso Apito Dourado emergiu e fez ruir o podre edifício que governava o futebol português nas décadas anteriores.
De 1984 a 2004 o F.C.Porto dominou a arbitragem. Durante esse período beneficiou - muitas vezes de forma grotesca - das ajudas dos senhores do apito para, a partir delas, e perante o adormecimento dos rivais, construir a sua hegemonia desportiva. Quero acreditar que - mesmo com um ou outro resquício - esse tempo já acabou. Pode-se pois discutir a competência dos árbitros, a sua melhor ou pior preparação, mas não creio que seja hoje lícito apontar-se o dedo à sua idoneidade. Haverá casos de menor seriedade, mas não são a maioria, nem suficientes para identificar um movimento subterrâneo no sentido de carregar alguém ao colo para as vitórias e os títulos, como sucedeu durante vinte anos com o clube dirigido por Pinto da Costa.
É claro que, num país onde se ama a polémica e a desconfiança, as discussões sobre arbitragem sobrepõem-se claramente à paixão pelo próprio jogo, atraindo sobre si um mediatismo que uma comunicação social tolhida pelas grilhetas da concorrência acaba invariavelmente por abraçar. Desprezam-se jogadores, treinadores, golos, defesas e cria-se assim uma espécie de campeonato paralelo, onde o título supremo é demonstrar que o nosso clube é mais prejudicado que os outros, como se (ou para que) dessa constatação se pudesse extrair algum benefício. Constrói-se um pantanoso cenário em redor dos jogos, que a prazo vai corroendo aquilo que o futebol tem de melhor e mais salutar, em nome de guerras de alecrim e manjerona que não levam a nada que não a sua própria auto-sustentação.
É bom que todos nós – adeptos do futebol – tenhamos ao menos a noção da irracionalidade que o gasto discurso sobre arbitragens encerra. É com orgulho que vejo o meu clube reagir com frieza e objectividade àquilo que – independentemente das consequências - não foi mais do que um momento de infelicidade de quem tinha de decidir num segundo algo que todos demoramos dois ou três dias a analisar esmiuçadamente. Assim outros sigam este registo, e em breve poderemos ter um futebol devolvido àquilo que é a beleza da sua essência.
Sinto-me particularmente à vontade para dizer tudo isto na sequência de um importante jogo em que o meu clube saiu prejudicado, o que de resto já ocorrera gritantemente frente a Nacional e Belenenses, olhando apenas ao último mês e meio. Seria pouco sério fazê-lo num momento em que sucedesse o contrário.
Aproveito, por fim, para reproduzir aqui um artigo notável de Luís Freitas Lobo em "A Bola", sobre arbitragem, e que vai de encontro à opinião que acabo de expressar:

"Não recordo quem disse isto, penso que um antigo árbitro francês (talvez Vautrot) pelos anos 80. Dizia mais ou menos assim: «Apenas existe um animal no mundo capaz de correr veloz de costas, meio virado de lado sobre uma linha sem perder o equilíbrio e olhando ao mesmo tempo para dois lados diferentes, com uma bandeira na mão, que deve levantar quando travar de repente.» É o fiscal-de-linha no futebol. É uma perspectiva demasiada animalesca da função, mas, vendo bem, faz sentido. Os árbitros vivem e apitam sob uma chuva de pressões. É raro eu falar de arbitragens. Por várias razões. Desde logo, porque não está aí a minha paixão e interesse pelo jogo e, depois, porque sempre que os vejo em campo ou assisto a todas estas polémicas, acabo sempre a pensar no mesmo. É que consigo entender uma pessoa querer ser mineiro, ninja ou até desactivador de bombas, mas, sinceramente, não consigo entender querer ser árbitro de futebol. Porque, reparem bem, trata-se de uma actividade em que um indivíduo que gosta de futebol está dentro do relvado sem poder tocar na bola, sempre a correr, a tomar decisões, ouvindo protestos dos jogadores e insultos vindos de todo o lado. Tudo isto durante 90 minutos. Será espírito de missão, não sei.O fiscal-de-linha, então, vive ainda mais na sombra das trevas. Nunca esqueci um debate que ouvi há anos, penso que no Chile, em que um deles se queixava do regulamento disciplinar que previa três jogos de castigo ao jogador que chamasse filho da p… ao árbitro e apenas um ao que chamasse o mesmo ao fiscal-de-linha. Até pode ter piada visto ao longe, mas esta discriminação em relação à mãe do bandeirinha é um princípio tão injusto quanto perturbante, porque há algo de simultaneamente chaplinesco e realista nesta norma.Penso que o princípio de um bom árbitro está em mais do que as regras, conhecer o jogo. Ou seja, mais do que transcrever a lei, entrar na lógica de movimentos e choques que o jogo provoca ou proporciona e, com isso, distinguir meros contactos de faltas. Isto também vale para questões emocionais, não confundindo o que é o jogador a viver o jogo com actos de indisciplina.Em geral, os árbitros percebem-se logo no início dos jogos. Quando parece frágil, os jogadores comem-no. Quando entra feito duro, é o público que o sufoca. Em qualquer situação, muitos erros causam inquietação. E os adeptos desconfiam que algo se passa nas suas costas. Tento fugir a essa sensação. É difícil. Nessas alturas, imagino a melhor forma dos árbitros se defenderem no caso de serem chamados a falar. A resposta que encontro deixa-me ainda mais perplexo. Porque, ao ponto que chegaram as coisas, mais do que pensar na tese da dificuldade física da tarefa, bastar-me-ia ouvir o seguinte: «Não senhor, nós, árbitros, não somos desonestos. Apenas incompetentes.» Quando uma frase assustadora, que reconhece ineptidão, passa a fazer mais sentido e deixa o adepto comum mais aliviado, é porque o futebol, sem o mínimo de sensatez, chegou mesmo à berma do precipício."

29 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Lá está o LF com insinuações labregas! Admita lá, desde a década de 80, o Porto tem sido a melhor equipa do país! Se até ao Artur Jorge o Benfica ainda conseguiu equilibrar as contas, a partir daí nenhum dos clubes da 2ª circular teve, em ano algum, equipa que se aproximasse do FCP! Eu sei que lhe dói, mas é a verdade e a história, que o senhor nunca conseguirá negar, nem que continue o resto da sua vida com insinuações que, infelizmente para si e para os seus, n passam disso mesmo, insinuações sem sentido.

11.2.09  
Anonymous Laranjeiras said...

Meu caro LF
O que se segue era para ser um mail privado.
Acontece que ficou maior do que o previsto, porque depois do pedido continuei a escrever, como se pode verificar.
Peço desculpa mas não resisti a fazer o solicitação publicamente.
Agradeço a sua atenção, paciência, generosidade, e boa vontade.

Viva meu caro LF:
A gente não se conhece. Temos todavia em comum, no mínimo, uma prenda, um valor altivo e sublime. Somos Benfica.
Para mim coisa antiga e coisa grande.
Coisa que me acompanha, e envaidece, desde os meus traquinas anos de calção e bibe da primária, até estes já cansativos do roupão e da bengala.
Mas não é da minha vida, nem por causa da minha vida, que estou a contactá-lo.
Sou leitor do jornal do Benfica, e sou leitor do seu blog. Com atenção e com prazer.
Não sou leitor de jornais desportivos, porque os considero maus; são merceeiros a mais e informantes a menos; pontualmente acontece lê-los, de borla, no café.
E aconteceu ter lido, ultimamente, notícias frequentes de multas ao SLB por comportamento incorrecto dos sócios ?, dos apoiantes ? de quem ?
http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=158122
Acontece que quase só leio casos destes relacionados com o SLB, e quando vejo de outros, o que é muito escasso, o valor das multas é muito menor.

Peço-lhe, se mo permite, porque terá mais informação sobre isto que a maioria dos leitores do seu blog, - VEDETA DA BOLA - , que me esclareça, e nos esclareça
acerca destes critérios “multeiro-disciplinadores” da comissão disciplinar da LIGA. Se puder e quiser.
Qual é o critério das multas a rodos e em barda (ao SLB )? Quem o define ? ; Como se garante igualdade de tratamento ? Como se adequa aos outros concorrentes ?
Será que o CD da LIGA se instituiu como um poder de promoção da concorrência desleal ? É nisto que eles estão interessados.
Aqui pelo Porto já há quem diga que a LIGA precisa do dinheiro para pagar, na SUÍÇA, a defesa e as despesas, sectárias, subversivas e cobardes, que teve no Verão passado com os advogados que defenderam o FCPorto, num conhecido caso de corrupção. Não confirmo nem desminto.
Interrogo-me se a CD da LIGA amontoou os criminosos todos deste país e quis, ou quer, metamorfoseá-los em simpatizantes do Benfica.
Interrogo-me se, e porque, nos nossos adversários só existem sexagenária(o)s virgens !
Interrogo-me como por aí grassa tanta estupidez, tanta presunção, tanta artimanha, tanta deslealdade.

Por mim
Nem mais um cêntimo , sem que tudo seja esteja muito bem esclarecido.
Devolução daqueles (último cêntimo) em que não provem que houve tratamento idêntico para com os adversários. Queremos igualdade.
Exigência de indemnização por comportamento incorrecto e insultos, até em campos e estádios onde nem sequer estamos a jogar.
O S L B é GLORIOSO. Sempre foi, é, e será GLORIOSO.
A ver-se ao espelho estão os que pensam que nos insultam.
Estejam ou não na LIGA.
Exigência de indemnização por comportamento incorrecto e insultos, até em campos e estádios onde nem sequer estamos a jogar.

11.2.09  
Blogger LF said...

Caro Laranjeiras,

Creio que o que se passa com a Comissão Disciplinar é uma tentativa de limpar a sua imagem junto do F.C.Porto, pois o caso Apito Final (que na prática redundou em nada) abriu uma frente de combate entre ambos.
Tal como Pedro Proença, por se dizer que é do Benfica, acaba sempre prejudicando o nosso clube, também a CD Liga, por se acusar de ter sido persecutória com Pinto da Costa e FCP, agora tenta, através destas decisões, demonstrar a sua "isenção".

Não estive no Dragão, mas os relatos que me chegaram foram de um comportamento exemplar dos nossos adeptos.

11.2.09  
Anonymous Peter said...

Vamos por partes se me disserem a mim que os árbitros têm uma missão dificílima, aceito e acredito.O problema é quando eles erram, erram sempre para o mesmo lado.E caro LF não se iluda com essa história de que desde 2004 as coisas melhoraram porque isso é uma ilusão. Objectivamente as coisas quando começam a ficar complicadas para o fcp os erros em seu benefício aparecem em catadupa como esta época bem tem demonstrado. O ano passado por exemplo nem foi preciso esses erros visto que o Benfica e o scp eram de facto muito inferiores.Mas em épocas onde o equilíbrio é maior como na actual lá voltam os erros em catadupa em seu benefício.Se não fossem os erros de arbitragem grosseiros quem estava a disputar a luta pelo título era o Benfica e o braga e não o Benfica e o fcp. E não é preciso estar aqui a enumerar quais os jogos em que estes 2 clubes foram prejudicados porque o LF sabe perfeitamente quais foram. Quanto á postura da direcção do Benfica sobre esta matéria é de facto de louvar mas tenho dúvidas que as coisas mudem com essa postura.Quanto ao comportamento dos adeptos foi de facto correcto porque sinceramente com aquilo que a PSP e os stewards do fcp fizeram-nos estavam mesmo a merecer era uma resposta enérgica, mas se calhar o comportamento deles foi propositado para isso. Para depois andarem aí os jornais e a televisão a dizerem que os adeptos do Benfica são isto e aquilo, uma tristeza.

12.2.09  
Blogger Sérgio_alj said...

Visitem o meu blog:
http://geoalj.blogspot.com/

Resultados do futebol algarvio e dos New Orleans Hornets!

12.2.09  
Blogger LF said...

Peter,

Percebo o ponto de vista.

Mas embora as coisas não estejam bem, creio que desde 2004 melhoraram muito. Senão em termos de competência, pelo menos de transparência.

Quando Lucílio Baptista, Paulo Costa e mais um ou dois da mesma geração (crescidos numa teia de influências e amiguismos à qual se sentem gratos) se reformarem, estarão eliminados os focos que restam dos outros tempos.

Não concordo quando diz que erram sempre para o mesmo lado. O Benfica ganhou ao Braga devido a uma arbitragem bem simpática, e neste clássico, se houvesse premeditação, Pedro Proença tinha assinalado o penalti sobre Lucho.

Acontece que os erros a favor do Benfica são sempre muito mediatizados. Os contra nem sempre o são.
Mas não adianta entrarmos nessa luta. A luta do Benfica deve ser a de credibilizar a Liga, a arbitragem e o futebol.

Se se notam algumas melhorias, há que pegar por aí, e ajudar a sedimentá-las.

Eu por vezes também me revolto (por exemplo no caso Pedro Henriques, onde creio ter havido, no mínimo, má vontade), e poderei aqui ou ali me voltar a revoltar e a exprimir essa revolta.
Mas é importante que, a frio, tenhamos consciência de que por vezes o erro é inevitável.

12.2.09  
Anonymous GV said...

Caro LF,

O Sr., neste artigo, complementado por outro que aqui colocou, de um "martelo compressor falante", por mais que sejam os seus (dele LFB) conhecimentos de futebol e a sua azulada erudição, não me convenceram mesmo nada.
Tretas, iguais à do outro, que nós conhecemos de "ginjeira"!
Quanto à sua parte, aceito-a por neste blogue se falar, muitas das vezes "o politicamente correcto".
No entanto, respeito o seu ponto de vista e a sua estratégia na escrita - aqui, no nosso jornal e em alguns desabafos que vai fazendo em alguns outros blogues, especialmente num, que o Caro Sr. sabe bem qual ele é.
Mas digo-lhe sinceramente, sabendo o Sr, e eu, como são as mentalidades neste país, o que é que se pode pacificar, a partir do momento em que temos "um estado dentro de outro estado" e em que os "mesmos" são reincidentes no mesmo tipo de comportamentos há trinta anos?
Os dados estão e estarão sempre viciados por aquela escória que ameaça, chantageia e corrompe, e que têm sido condenados por isso!
Mas não têm emenda e agora, por mais paradoxal que pareça é à descarada!
Não tenha ilusões!
Saudações!
GV

12.2.09  
Blogger LF said...

Não podemos é querer ser como eles, GV.
Uma coisa é esse "estado dentro de outro estado", que tem de ser combatido, outra são as dificuldades que os árbitros têm, e que temos de reconhecer.

É difícil depois de tantos anos de corrupção. Mas penso ser esse o caminho mais correcto.
Até porque o futebol deve servir, antes de mais, para nos divertir.

De resto, gostaria apenas de clarificar que aqui não tenho quaisquer preocupações com o chamado "politicamente correcto".
Digo aquilo que me vai na alma, embora o procure fazer com boa educação e tente sempre pensar antes de desabafar.

12.2.09  
Anonymous Peter said...

Sobre o Benfica-braga é evidente que o Benfica foi beneficiado, agora subtraia os 3 pontos desse jogo e acrescente aqueles que faltam ao Benfica(setúbal,nacional,belenenses,leixões,rio ave etc.) e faça o mesmo em relação aos outros clubes e veja lá quantos pontos de avanço já não tínhamos.Quanto ao lance do lucho devo dizer que em Belém uma situação idêntica ocorreu entre o Suazo e o gr azul e tb não foi assinalado penalty. E para além desse lance ainda fouve muitos outros lances de falta sobre o Suazo que eram faltas(não penalty´s) perigosas e que originavam livres perigosíssimos e não foram assinalados.O fcp foi beneficiado contra braga,nacional,marítimo,guimarães. etc. Portanto embora os árbitros errem para todos, beneficiam sempre mais o fcp, é uma evidência.

12.2.09  
Blogger jfk said...

Caro LF:

Por muito que me agrade o teor do seu post e a linha de acção a que tais atitudes poderão levar, e que concorde em absoluto que esse é o caminho a seguir para se atingir o fim pretendido por (quase) todos os que amam o futebol, ou seja, a sua pacificação, não posso deixar de observar que continua a ser muito mais fácil decidir contra nós do que a nosso favor.

Se o jogo for com o Porto, então não há hipótese, é clássico!

No entanto parece-me que o seu discurso está próximo da linha oficial do clube, ou seja, acalmar as coisas. Será coincidência? Não me parece!

Mas parece-me bem! O Benfica não tem nada a ganhar com esta situação de ataques permanentes aos árbitros. E se alguém tem que dar o (bom) exemplo, que sejamos nós. Ainda que isso nos continue a custar, por mais algum tempo alguns amargos de boca (ou até mais do que isso, vamos esperar pelo fim do campeonato). Mas em algum tempo os agentes envolvidos no futebol e particularmente na arbitragem vão perceber quem quer permitir uma co-existência pacífica ou quem os quer continuar a manietar.

12.2.09  
Anonymous Choco said...

"Desprezam-se jogadores, treinadores, golos, defesas e cria-se assim uma espécie de campeonato paralelo, onde o título supremo é demonstrar que o nosso clube é mais prejudicado que os outros, como se (ou para que) dessa constatação se pudesse extrair algum benefício."

Não é o que voçê faz?

Poucos são já os adeptos do futebol. Os que gostam de futebol mais do que do clube que apoiam. E isso é que matou o futebol. Aquele jogo tão espetacular que existia há umas dezenas de anos.

12.2.09  
Blogger Aurélio Estorninho said...

ainda bem que você que você não é Juiz, estavamos lixados se fosse!! nunca vi ser tão parcial!
você só vê vermelho...


se o Porto dominou a arbitragem de 1984 ate 2004, o benfica dominou a arbitragem quando?
de 1940 a 1983?

12.2.09  
Anonymous GV said...

Caro LF,

Educadamente lhe digo, como sempre, e como lhe disse no comentário anterior, que não me respondeu ao "politicamente correcto", mas aceito esssa omissão, bastando para isso estar atento a determinados percursos que divergem por vezes na coerência.
Mas realmente é verdade que o pensamento se deve antecipar ao desabafo.
Digo-lhe isto sem ironia, pois por mais que nos esforcemos nesta tentativa, vã, de credibilização dos árbitros, isso nunca irá acontecer.
O Sr. sabe bem disso.
Quanto a não devermos ser como eles, total concordância.

12.2.09  
Blogger LF said...

Peter,

A minha classificação real por acaso diz que este ano tem sido o Sporting o mais beneficiado.
Mas sem erros de arbitragem estávamos à frente. Isso é verdade.

Jfk,

A prova que o discurso foi mera coincidência, é que escrevi poucos minutos depois do jogo. E ninguém me telefonou, nem telefonei a ninguém.
Aliás nunca ninguém me disse o que devia escrever, nem aqui nem no jornal.


Choco,

Tento falar sempre mais de futebol. Por vezes não resisto. Sou de carne e osso...

Aurélio,

Antes dos anos oitenta nem eu me lembro, nem provavelmente você, nem a maioria dos leitores. Antes de nascer não sei o que acontecia. Só sei os resultados.
Além disso, mesmo os mais velhos, não tinham os jogos na televisão, nem as repetições que existem agora.
Portanto tudo o que se diga sobre esses tempos não passa de especulação.

Dos anos oitenta em diante eu vi. Vi muita coisa. Vi tudo.


GV,

Vai ver que quando Pinto da Costa desaparecer, o nosso futebol terá todas as condições para ser credível e insuspeito.
Foi ele que criou este clima, e este clima vai morrer com ele.
Não serão precisos muitos anos, estou em crer.

12.2.09  
Anonymous Anónimo said...

o bruto alves hoje no jogo da seleccao fez dois penaltis,que venha o aurelio burrinho dizer que nao,ele tem sempre que meter ou tirar,ele tem a mania que e babozo lol--o homem e um perigo publico no porto tudo marcha,ate o vinha jogou agora nao sei se foi basquet ou futebol manda vezitas aurevoir

12.2.09  
Anonymous Silva Barqueiro said...

Podemos ver a 'imparcialidad' do LF em casos como o benfica-Braga, onde até o Peter, tal como outros benfiquistas concordam que deveriam ser subtraidos 3 pontos ao benfica mas o LF insiste em dar empate nesse jogo... Se assim fosse ja estaria o benfica empatado com o Porto na C.Real não é? É esse o problema... É que ainda hoje não entendo como se pode ver empate nesse jogo e nunca percbi muito bem o ponto de vista do LF nesse jogo...
Quanto ao resto, temos o LF, que constantemente critica árbitros em geral, bem como nomeações, e semana após semana, insiste em crucificar as arbitragens, a tentar ser mais papista que o Papa...
Não quero com isto dizer que não concorde com parte do post(ai aquela parte do Porto dominar a arbitragem estraga tudo...), mas tem piada ser publicado pelo LF...

12.2.09  
Blogger Vitor Esteves said...

Excelente análise, só falta que se acabe com o escândalo que é o empréstimo de toneladas de jogadores a equipas da mesma divisão, para se respirar muito melhor no campeonato português.
Isto não invalida, que não esqueçamos os erros de gestão que foram e são cometidos no SLB que nos levaram a andar para trás durante muitos anos.

12.2.09  
Blogger M said...

"..Vai ver que quando Pinto da Costa desaparecer, o nosso futebol terá todas as condições para ser credível e insuspeito.
Foi ele que criou este clima, e este clima vai morrer com ele.
Não serão precisos muitos anos, estou em crer..."

sim, esse tempo chegará em breve...



"Dos anos oitenta em diante eu vi. Vi muita coisa. Vi tudo."

também eu, aos e anos nisto...e a coisa continua...e para todos aqueles que se "esqueceram" de ver...

http://tertuliabenfiquista.blogs.sapo.pt/

passem por ali, nao tenham receio de ver os videos, nao tenham receio de mostrar a todos aqueles que se recusam a ver a verdade..neguem vá...

saudaçoes benfiquistas

12.2.09  
Blogger Aurélio Estorninho said...

Caro LUis Fialho:

você só vê aquilo que lhe convem!
é parcial e antiportista primario!

o benfas sempre que teve grandes equipas nos anos oitenta ganhou campeonatos, agora quando começou a comprar kings e paredões, marcelos e paulões era impossivel ganhar o que quer que fosse, e para desculpar as gestões danosas dos vossos presidentes começou-se a inventar os problemas das arbitragens!

12.2.09  
Blogger Aurélio Estorninho said...

Caro M:

você persegue o pinto da costa pq ele bateu o pé ao poder dos clubes da capital, tirou-vos o tapete!

ele como presidente do Porto já deu mais titulos internacionais a Portugal do que o sporting e o benfas juntos, somos um clube que apesar de ser desrespeitado por fedelhos invejosos em Portugal, somos respeitados no resto do mundo.
Só em Portugal é que os mentecaptos é que não reconhecem valor ao clube da avenida Fernão Magalhães que entretanto se transformou num dos melhores clubes do mundo, e leia bem, eu não frisei maior, mas sim melhor!

12.2.09  
Anonymous GV said...

Caro LF,

Os processos obscuros estão tão enraízados naquela corja, que não obstante o "capo" um dia desaparecer do mapa, virão outros ainda piores!
Repare, meu Caro, que a infiltração encontra-se por todo o lado - juízes, polícias, políticos, advogados, militares, empresários, financeiros, bancários, criminosos, delinquentes, empresários da noite, bruxos, feiticeiros, putas, apresentadoras, escritoras, directores de canais, media, jornalistas, jornaleiros, - é endémico todo este processo, que tem barbas, e que poderá desmoronar-se, na minha opinião, quando o Benfica financeiramente fôr imparável e constituir-se novamente como um grande ganhador de títulos. Aí, talvez. Ainda assim tenho algumas dúvidas.
Como sabe tão bem como eu, a questão é que a estratégia de fundo dessa "corja" é destruir ou enfraquecer brutalmente o Benfica. Fizeram-no no passado, tentem-no no presente, e ainda estamos a pagar essas custas, independentemente de também termos dado alguns tiros nos próprios pés! Estes não seriam de todo suficientes para abanar a estrutura Benfiquista, salvo a era de VA que realmente foi quase que a hecatombe, aí, sim. Mas só aí.
Não tenha ilusões, digo-lhe sinceramente, outra vez.
Mais deixo-lhe aqui um pedido.
Não tenha contemplações com essa corja. Não lhes dê nem um palmo de terreno. Quanto aos vizinhos, quem vai para norte, esses, como já estão em queda, é deixá-los cair.
Cmpts.

12.2.09  
Blogger M said...

nao foi o pé que ele bateu..bateu foi maços de notinhas...

12.2.09  
Blogger jfk said...

LF:

As palavras são bastas vezes mal interpretadas.

Quando falei em coincidência ou não, de forma alguma pretendí insinuar ou afirmar que alguém lhe estaria a ditar o que escrever.

Se há coisa que passa claramente da sua escrita para os leitores (pela parte que me toca) é que está completamente distanciado de qualquer orientação que não as suas próprias opiniões, que são aliás, a par dos números, factos e estatísticas, a grande mais valia do blogue.

Não vejo no entanto qualquer problema em que um colunista simpatize com uma linha de acção ou de pensamento e a possa seguir. Foi neste sentido que me expressei, sem pretender beliscar a sua idoneidade e isenção intelectual.

12.2.09  
Blogger LF said...

Eu sei JFK.
Não interpretei mal, embora possa ter parecido.
Não me senti melindrado, e sei perfeitamente que não foi essa a intenção. Apenas aproveitei para clarificar as coisas.

12.2.09  
Anonymous Anónimo said...

Tomem lá, filhos da fruta
Pinto da Costa não vai a julgamento pela situação que ficou conhecida como "caso da fruta". Este desfecho não surpreende ninguém. Pelo menos quem tenha dois dedos de testa. A argumentação é lógica, o resultado só poderia ser este. Só espero que agora A Bola e demais pasquins dêem mais destaque a este não deferimento do recurso do Ministério Público do que aquele que deram à notícia do arquivamento pelo TIC do Porto, em Junho de 2008. Já nessa altura, escrevi o seguinte:

"Na mesma edição de A Bola, a notícia do arquivamento do "caso da fruta" é quase ficção, atirada para a última página. A diferença entre o destaque dado às notícias da acusação e da condenação pela justiça desportiva, há umas semanas atrás, e a este arquivamento é abissal. Apesar disso, vão-se escrevendo umas verdades: o juiz "entendeu não haver nexo de causalidade entre os factos, uma vez que as perícias não detectaram qualquer atropelo à verdade desportiva." Pois, já sabiamos disso. Aliás, toda a gente sabia disso, mesmo o mais empedernido e acéfalo benfiquista. Chega-se agora também à conclusão de que o depoimento de Carolina Salgado é falso, tendo o tribunal apurado que, por exemplo, a senhora não estava presente quando e onde disse que estava. Espero que alguém se lembre de traduzir esta notícia ao Platini."

E agora? Como justificar a punição da Comissão Disciplinar da Liga? Quem vai ressarcir Pinto da Costa desta alarvidade que contra ele foi cometida? Quem nos vai devolver os pontos que nos roubaram? Estamos conversados quanto à credibilidade de Carolina Salgado pelo que que as suas declarações sobre o famoso envelope do jogo com o Beira-Mar - jogo em que, mais uma vez, não se provou a actuação do árbitro a favor do FC Porto - devem ter o mesmo tratamento que as referentes ao "caso da fruta" tiveram.

Quanto à não validade das escutas telefónicas, se há alguém de quem dela beneficia, esse alguém chama-se Luis Filipe Vieira, que confessou, como todo um país viu, num programa com Judite de Sousa, ter escolhido o árbitro para um jogo da Taça de Portugal. Esse, sim, rejeitou e escolheu os árbitros que quis sem que, até hoje, alguém pusesse em causa esta conduta corrupta e anti-desportiva.

Obviamente que haverá quem ache que "de outra coisa não se estava à espera" porque o sistema judicial é todo ele corrupto e porque Pinto da Costa controla tudo (Sócrates e Cavaco não escapam) e porque a vida é injusta e o mundo em geral é cruel. São os mesmos que acharam a UEFA fantástica quando proibiu o FC Porto de jogar a Champions League e agora acham que Pinto da Costa controla também o TAS. Para além de controlar o Pedro Proença, claro.

13.2.09  
Anonymous Anónimo said...

o artigo até começa bem, trilhando o caminho de uma análise objectiva e lúcida, mas não passa, infelizmente, de sol de pouca dura; não muitas sílabas depois, ei-la, a bilis; vá lá, vem aí o dia de São Valentim....

13.2.09  
Anonymous Benfiquista com orgulho said...

Caro Aurélio,

Acho que ninguém aqui desrespeita o FCP.

Não existe e nem pode existir é respeito pela forma que é gerido esse clube e através de influências do poder que rege o futebol e os seus vários orgãos.

Desporto deveria significar, entre outras coisas:
- verdade desportiva;
- desportivismo;
- respeito pelo próximo;
- fair-play;

Coisas, que como sabe, não existe nesse clube, que de facto, é grande, mas é gerido por gente sem escrúpulos, mesquinha e com complexos de inferioridade.

Complexos esses criados pelo vosso presidente, que faz do futebol uma guerra. Como é que um país tão pequeno, tão cheio de dificuldades nos damos ao luxo das pessoas do Norte odiarem o Sul e vice-versa devido apenas ao futebol?

Se pusermos de lado os principios com os quais nos devemos reger e não olharmos a meios para atingirmos os fins, utilizando todos os meios disponiveis ao nosso alcançe, sejam eles legais ou não, sejam eles honestos ou não, concordo plenamente consigo quando diz que o FCP é um dos melhores clubes do mundo. Nesse capitulo, sem dúvida, não tem adversário à altura. Simplesmente desconheço.

Sabe também, tão ou melhor do que nós que se o FCP não fosse beneficiado ao longo dos anos, hoje certamente, não estaria tão forte e poderoso como está, em termos financeiros, claro.
Mas também lhe garanto uma coisa, caso o FCP esteja 2, 3 anos sem ganhar nada, esse clube vai abaixo. É uma questão de tempo o presidente e toda a corja cair e nessa altura, irá-se descobrir onde param todos esses milhões dos ganhos da Liga dos Campeões e da venda de jogadores.

Logo essas conquistas a que se refere, não seriam bem assim. Até poderia acontecer, claro, mas não era assim tão fácil. Obviamente que estas ausências de titulos levaram aos rivais do seu FCP a várias crises. Quem beneficia? Quem está há vários anos com presença constante na Liga dos Campeões? Com todas as benéces que daí advém?

E diz-me o Sr.. Mas o FCP ganhou uma taça uefa. De facto é verdade caro amigo, mas permite-me recordar-lhe o seguinte:
No ano anterior a esse, quantos admiradores/sócios/simpatizantes do FCP estavam a iniciar uma campanha de difamação ao vosso presidente devido ao facto do FCP não ganhar um campeonato alguns anos consecutivos? Já diziam que o presidente estava velho, caquético e que era tempo de dar o lugar a gente nova. Estamos a falar nos anos que ganhou o SCP e o Boavista o campeonato nacional, portanto num passado não muito distante.
Saiu a sorte grande ao vosso presidente quando o Mourinho foi substituir o famoso Octávio Machado, pessoa que ficou tão queimada que ainda hoje ninguém fala nele.

O ano em que o FCP estava no seu melhor (Taça UEFA) queria também relembrar-lhe, que apesar de ter ganho esse mesmo troféu, quem foram os adversários do seu FCP?
Eu relembro-lhe:
Polónia de Varsóvia; 1ª Elim
Áustria de Viena; 2ª Elim
Lens; 3ª Elim
Denizlispor; 1/8 final
Panathinaikos; 1/4 final (resolveram no prolongamento)
Lázio; (o mais complicado) 1/2 final
Celtic. final

Com isto, não pretendo retirar valor ao facto do FCP ter ganho essa taça, contudo, lembro-lhe que nunca tiveram um verdadeiro adversário pela frente.

O SLB tem 2 conquistas frente ao Barcelona (1961) e ao Real Madrid (1962). É o vencedor das finais vencidas onde esteve presente frente a:
- AC Milan (1963);
- Inter (1965) (perdemos o Guarda-redes aos 57' e como sabe não havia substituições);
- Manchester United (1968) (MU com Bobby Charlton e George Best);
- Anderlecht (1983) (1-0 e 1-1);
- PSV (1988) Penalties; Jogo bastante disputado, com o PSV cheio de talentos. Relembro que o FCP, no ano a seguir, portanto em 89 nos 1/8 de final foram humilhados, levando 5-0 (fora) e ganhando 2-0 em casa com o mesmo PSV;
- AC Milan (1990); Se calhar uma das melhores equipas do AC de todos os tempos;
Portanto, 2 vezes campeão europeu, 3 vezes vice-campeão europeu e 1 vez vice-campeão da taça uefa.
Espero que não nos esteja a dizer que o SLB dominou a arbitragem, mesmo a nível internacional, porque, em caso afirmativo, o rotulo que nos colocou quando diz "...fedelhos invejosos em Portugal..." essas palavras enquadram-se a pessoas adeptas do seu clube que partilhem dessa mesma filosofia.
O maior sucesso do SLB era no seu futebol, não como quer fazer julgar a nível de arbitragens.

Infelizmente o SLB tem muito que se queixar, ano após ano, porque para ganhar temos de lutar contra tudo e contra todos porque o FCP faz tudo (legal e ilegal) o que puder para ganhar... Quando digo tudo, é mesmo tudo, nem que seja necessário comprar arbitros (há várias provas do mesmo) ameaçar jogadores e treinadores (do próprio clube) à porta do centro de estágios, nas viagens de avião, agredir jornalistas e tudo o que lhes aparecer à frente. Se decidir investigar um pouco o passado e presente do seu clube, perceberá com muita facilidade do que eu me estou a referir.
Basta retirarem as palas que vos impedem de ver.
Ao contrário de voçês, não vos desejamos mal, é-nos indiferente.
A única coisa que queremos é que a verdade desportiva venha ao de cima, nada mais.
Que os culpados (caso os haja) sejam punidos duma vez por todas.
Os nossos momentos, sejam vitórias do derrotas são nossos exclusivamente ao contrário de voçês, que cantam sempre o cantico insultuoso que voçê sabe. E os "fedelhos invejosos em Portugal" somos nós? Não consigo perceber a ligação.
Mas bem haja pela sua presença e desde já as minhas desculpas se o meu post for considerado ofensivo, o que não é esse o caso.

Cumps

13.2.09  
Anonymous Anónimo said...

foram as escutas que provaram que carolina nao assistiu 'a tal conversa incriminatoria da fruta.... tudo dito

13.2.09  
Anonymous Anónimo said...

Neste seu post ressalta alguma falta de coerência sobre a forma como encara as arbitragens. Neste, parece o mais compreensivo dos analistas, é muito crítico dos que fazem da arbitragem a motivação maior do jogo etc. Mas não é LF o autor das classificações reais, tendo por base os erros dos árbitros,aliás de uma forma enviezada?
Não foi LF que antes do jogo analisou
a tendência do Proença para prejudicar o Benfica?
Também eu só me apercebi da ilegalidade do golo do David Luiz
ao Braga,fora do Estádio. Mas eu não estava na posição correcta para o ajuizar,enquanto o árbitro assistente tem obrigação de estar bem posicionado. Sejamos racionais e coerentes, o que não me pareceu ser desta vez.
M.Vieira

15.2.09  

Enviar um comentário

<< Home