12/02/09

A CRISE PODE ESPERAR

Face à profunda revolução que Carlos Queiroz decidiu implementar nas convocatórias da Selecção Nacional, temia-se que este jogo particular com a Finlândia, ao invés de servir para uma maior mecanização colectiva, pudesse redundar num acréscimo de perturbação e desconfiança no seio da equipa e em redor dela. Um eventual mau resultado seria (mais) um inegável passo atrás na consolidação de um projecto cujo objectivo é – supõe-se – a presença no Mundial 2010.
Nesta perspectiva tem de dizer-se que o seleccionador nacional (mais penálti, menos penálti) venceu a aposta, e pode, para já, respirar de alívio. Portugal venceu, e realizou uma exibição bem melhor que aquelas que tinha realizado nos seus últimos jogos. O resultado tangencial é manifestamente magro para aquilo que a equipa nacional produziu, ainda que o desperdício de oportunidades seja algo que não convenha repetir quando voltarem os jogos a sério, nomeadamente no próximo dia 28 de Março diante da Suécia.
Dos jogadores que se estrearam, há que realçar a exibição de Duda no flanco esquerdo da defesa - no plano ofensivo esteve muito bem, faltando-lhe ainda, todavia, uma prova de fogo, frente a um adversário mais exigente, para se saber como se comporta a defender. Também Orlando Sá deixou boas indicações. Falhou dois golos, mas a forma como se desmarcou e apareceu em posição de remate define a sua categoria. Como alguém já disse um dia, ponta-de-lança que falhe muitos golos nunca é um mau ponta-de-lança.
De resto viu-se uma equipa empenhada, trabalhadora e motivada, tal como Queiroz pedira. Nomes como Ricardo Carvalho e Simão Sabrosa ainda caberão certamente neste onze, a aposta em Pepe para o meio-campo não parece desajustada – tendo em conta as alternativas que existem no centro da defesa, e a escassez de jogadores para a posição seis -, e assim parecem criadas as condições para a nossa selecção começar a inverter a tendência dos últimos resultados, e correr para ultrapassar a difícil situação em que se encontra na classificação do grupo de apuramento. A tarefa não é fácil, mas a esperança renasceu ligeiramente.

7 Comments:

Anonymous Silva Barqueiro said...

E só temos que acreditar, ao contrário de criticar incessantemente...
Ainda ontem me meteu nervos começar a ouvir o publico algarvio assobiar logo no primeiro quarto de hora. Isso não resolve nada, pois os jogadores vão-se enervar e as coisas correm pior...

12.2.09  
Anonymous Anónimo said...

"Ascenção e queda

O inespugnabile aventou uma das faces de declínio do porto, a Arquitectura.

É um bom ponto de análise, quiçá representativo de mais alguma coisa: O Aburguesamento.
O porto tornou-se um clubito burguês que, como toda a burguesia histórica assentou o seu desenvolvimento na base popular.

Problema 1: A base popular do porto é ínfima e local.

Problema 2: O desenvolvimento baseou-se numa cultura de ódio com raízes políticas que tiveram o seu apogeu nos governos PSD, o PS querendo largar a base eleitoral fomentou e financiou a ascenção ao poder Autárquico de figuras do clubito. Agora o PS é Governo, quer continuar a sê-lo e a base de impunidade partidária ao nível da negociata esgotou-se, muito por via da necessidade de não alienação de eleitorado a sul de Gaia. Como veio a suceder com os Governos minoritários de Guterres e Durão/ Santana.

Problema 3: As fundações de 30 anos na AF porto, CJ, CD e Liga não se apagam de uma momento para o outro,por isso Manini também tem razão, a arbitragem não pode ser factor de valoração de mérito competitivo, é uma circunstância. Circunstância com a qual temos de contar à priori.

Problema 4: A subida da taxa de literacia na zona do grande porto causa um embaraço relativamente à gestão do ódio cego pelo Sul. A bandeira esboroa-se lentamente.

Problema 5: Como todas as estruturas assentes em figuras carismáticas, estas identificam-se não com a sua essência, mas sim com a do líder. Felizmente as pessoas não são eternas! Logo...

Problema 6: Basta haver uma expectativa realisticamente fundada na capacidade do Benfica de suster as avançadas obscuras(como se verificou no domingo), que toda a política é posta em cheque pela mole cega que sustenta a burguesia instalada.

Quer isto dizer que os dias contam-se, escorrem e as areias da ampulheta não se sustêm. Não havendo mudanças da nossa parte em função das circunstâncias, direi muito calmamente que esta vergonha de compadrio do poder político e judicial, desportivo e público, terminará quando o fiel depositário dos podres da classe política ficar xéxé.

Porque ao contrário do porto, o Sport Lisboa e Benfica sempre fez do povo a sua base, e nunca perdeu identidade ( A não ser com Vale, mas nem por isso soçobrou).

O Benfica é maior que as indvidualidades. Alimenta-se delas ao serviço de algo maior. No porto, a individualidade é a identidade, daí ter, irremediavelmente, os dias contados.

Não basta no entanto esperar pela queda, é preciso forçá-la. Far-se-à isso da única maneira possivel: Correndo mais, marcando 4, ganhando 6 jogos seguidos, o resto cairá de tão podre que está.

A LUTA CONTINUA! VENCEREMOS!"

12.2.09  
Anonymous Anónimo said...

"Na mesma edição de A Bola, a notícia do arquivamento do "caso da fruta" é quase ficção, atirada para a última página. A diferença entre o destaque dado às notícias da acusação e da condenação pela justiça desportiva, há umas semanas atrás, e a este arquivamento é abissal. Apesar disso, vão-se escrevendo umas verdades: o juiz "entendeu não haver nexo de causalidade entre os factos, uma vez que as perícias não detectaram qualquer atropelo à verdade desportiva." Pois, já sabiamos disso. Aliás, toda a gente sabia disso, mesmo o mais empedernido e acéfalo benfiquista. Chega-se agora também à conclusão de que o depoimento de Carolina Salgado é falso, tendo o tribunal apurado que, por exemplo, a senhora não estava presente quando e onde disse que estava. Espero que alguém se lembre de traduzir esta notícia ao Platini."

13.2.09  
Anonymous Silva Barqueiro said...

E viva o comunismo!

13.2.09  
Blogger Sérgio_alj said...

Visitem:

http://geoalj.blogspot.com/
Tudo sobre a NBA, os Hornets e as equipas algarvias!

13.2.09  
Anonymous Peter said...

A selecção pecou na finalização mas tendo em conta a remodelação que foi feita para este jogo tb não se pode pedir mais. O Orlando Sá tem pinta de ponta-de-lança só tem é que melhorar a finalização para tirar o lugar ao H.Almeida que é uma boa opção para o banco e não para titular. Ainda não está tudo perdido temos que continuar a acreditar e ter paciência.

13.2.09  
Anonymous Anónimo said...

se a carolina menti deve ir presa ou ele ja lhe passou a mao no cabelo,este pinto da costa tem pata com o diabo este gajo devia ser era primeiro ministro talvez o pais estivesse melhor

13.2.09  

Enviar um comentário

<< Home