05/01/09

DE QUE RIA ELE ?

Por norma, tendo sempre a defender os jogadores. São eles os meus ídolos, são eles a razão porque gosto de futebol, são eles os intérpretes dos meus sonhos enquanto adepto apaixonado. Quando envergam a camisola do Benfica tornam-se para mim numa espécie de semi-deuses, e quem lê o que escrevo sabe que é muito raro apontar-lhes seja o que for. Há no entanto coisas que não admito nem posso deixar passar em claro.
Ontem, no momento de uma das derrotas mais duras e inesperadas dos últimos tempos, fiquei boquiaberto ao ver Yebda a trocar sorrisos com um jogador do Trofense à saída do relvado.
Eu não ganho um tostão com o futebol, estava em casa a ver o jogo pela televisão, e naquele momento teria dificuldade até em sorrir para o meu filho. Não posso aceitar que um profissional encare a derrota de forma tão … descontraída, eu diria mesmo, leviana, e se ria dela na cara de todos nós.
É também esta revolução de mentalidades que se tem de fazer no Benfica. Já não é a primeira vez que isto sucede, e o francês não foi o único a ter um comportamento deste tipo. Não vejo isso noutros clubes, e talvez esteja também aqui uma das razões de os títulos fugirem ao Benfica há tanto tempo.

12 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Já somos dois (fiz referência num comentário ao post da derrota na Trofa). É simplesmente vergonhoso. É também por isso que não conquistamos títulos. São jogadores que não têm fome de títulos, ganhar ou perder é igual para eles. Era tudo corrido. Como eu disse, não jogava mais esta época.

5.1.09  
Anonymous Peter said...

Quando vi essa cena também fiquei chocado. Lá está mais um aspecto que o Quique Flores tem que trabalhar porque não se admite, até no ano que fomos campeões o R.Rocha fez uma igual após perdermos com o Penafiel.

5.1.09  
Blogger LF said...

Lembro-me perfeitamente do R.Rocha.
E no ano passado foi o Cardozo a dizer numa flash interview que estava "muy contento", num jogo em que tinha marcado um golo mas tinhamos empatado em casa.
Verdade seja dita, no Porto tal coisa era inimaginável.

Não acho que seja motivo para Yebda não jogar mais, mas penso que deve ser chamado à atenção.

5.1.09  
Anonymous Peter said...

Caro LF você escreve para o Benfica e tem acesso provávelmente ao Rui Costa, você diga-lhe estas coisas, a crítica quando é construtiva não faz mal a ninguém.

6.1.09  
Blogger Aurélio Estorninho said...

LF, O FC PORTO é um clube com ALMA...
o benfas, ja teve alma, mas perdeu-a nos anos 60...
o ultimo com uma restia de alma ainda era o Costa...

6.1.09  
Blogger marley said...

Comentei isso mesmo num outro blog. Sou do tempo em que os ogadores fdo Benfica,quando perdiam, choravam. Isso hoje não existe. Como referi nesse blogue ,os jogadores do Benfica de hoje não sentem a camisola. Estão-se nas tintas. Restamos nós, os adeptos, que amamos o nosso querido clube e que ainda ficamos com os olhos rasos de água quando assistimos a tristezas como a de ontem
Um bom 2009 para todos

6.1.09  
Blogger jsbmj@clix.pt said...

LF como estás? Bom Ano antes de mais.
LF, sabes, na verdade o futebol não é realmente um tema de vida ou de morte, tal como Shankly estou de acordo com essa parte da frase. Dar-vos-ei outro ponto-de-vista: o Yebda ontem quando sorri no fim do jogo: porque não haveria ele de sorrir, num gesto simpático de uns recém-chegados, de um clube modesto, à I Liga? Porque não pode o Yebda ser simpático com aqueles que ao fim de 90 minutos concretizaram o sonho de uma vida de jogar contra o Benfica, uma vez que fosse? Tu não seria simpático, se fosses tu o Yebda 8que é um homem de família e me parece - até agora, pelo menos - ser um rapaz normal de comportamento nos dias que correm? O Ronaldinho, o Cristian Ronaldo, o... Fehér (pauso, emociona...) sorriem até dentro do campo, durante a luta. Que mal tem o Yebda sorrir quando a luta acaba? É a constantação da veracidade da frase do Shankly que tens no topo do teu blog: o futebol é muito mais que isso (a vida ou morte, apenas...).
O problema meu caro LF é que duante os 90 minutos, durante a luta, sorrindo ou não, os jogadores do Benfica têm dias não têm um pingo de carácter futebolistico na ideia, e durante a luta, durante os 90 minutos, são nulos...
Agora sorrir depois de um jogo de futebol... Sorrissem todos assim muitas vezes, e o futebol (e o Mundo) não seriam assim como se vê nos Telejornais...
O problema está lá dentro, dentro dos 90 minutos, está na luta que não está no carácter nem no sangue dos jogadores do Benfica... Bom regresso e um grande abraço.

6.1.09  
Anonymous djeiti said...

No dia do jogo nao tinha reparado, mas ontem no noticiario vi essa cena e tambem fiquei espantado/revoltado. Como é possivel que eu nem consiga falar com nenhum amigo, colega ou familiar nas horas seguintes e nao consiga dormir, quando um jogador com culpas no estado em que me deixou se fica a sorrir todo bem disposto?...Será que se deu conta do que acabou de acontecer com o seu contributo ou está senil em estado de choque?... Gostei de ver o post atento que aqui colocaste LF. Mas agora mais a frio e mais calmo tambem acabei por concordar com o sensato comentario do "jsbmj".

6.1.09  
Blogger jsbmj@clix.pt said...

nada se retira à mediocre exibição do Benfica, estamos todos de acordo; e longe de mim achar que o atento (como sempre) comentário do LF não fosse sensato; e obr ao djeiti pela sua nota; eu sinceramente entendo que sorrir no final de um jogo (ganhes ou percas) é o "muito mais que isso" que o Bill Shankly imortalizou

6.1.09  
Blogger LF said...

Caro Jsbmj,

Apesar de a frase que aparece junto ao título deste blogue, quem me lê sabe perfeitamente que a mesma deve ser lida em sentido figurado, e mais como sinónimo de paixão, de amor, e nunca de guerra, sangue ou morte.

Acredito que possam existir jogadores que deixem tudo em campo e sejam capazes friamente de sorrir no fim do jogo após a derrota.
O que me parece é que se trata também de uma questão de respeito pelos sócios e adeptos.
Até porque neste caso concreto não se tratou de uma derrota causada por mera infelicidade, por erros do árbitro, por bolas no poste, ou qualquer sortilégio da fortuna. Tratou-se de uma exibição deplorável, onde a entrega e a combatividade dos jogadores ficaram bem patentes.

Eu sei o que sofro com as derrotas, e custa-me muito a admitir que jogadores que ganham 100 mil euros por mês para as evitar, as encarem com tanta naturalidade.

São aspectos como este que fazem a mística dos campeões.

6.1.09  
Anonymous Anónimo said...

Também lamentei essa "risada" no comentário que fiz no Blog "Novo Benfica" ao post sempre excepcional do Pedro Fonseca.
Lamentável.
jraugusto

6.1.09  
Blogger jsbmj@clix.pt said...

Caro LF, claro que todos entendem o porquê da frase, e de a teres no teu blog. Tal não está em discussão, nunca da minha parte pelo menos, nem nunca se interpretou como guerra, sangue ou morte.
O que é interessante e constatar os diferentes pontos de vista de cada uma, e isso é a riqueza do teu blog.
Enquanto alguns veem na atitude de Yebda (pf notem: no final do jogo) algo negativo, outros veem tal como um gesto de simpatia.
Volto ao mesmo, é uma opinião (a minha, tal e como se respeita todas as vossas), é a atitude dentro do campo que fica mal ao Yebda e a todos os outros jogaores do Benfica, não o sorrirem no final de (apenas) um jogo de futebol...

6.1.09  

Enviar um comentário

<< Home