02/03/07

UM ÍDOLO !

Despertei para o futebol era Bento guarda-redes do Benfica. Foi-o até aos meus vinte anos, altura em que abandonou a carreira depois de vencer 8 campeonatos e 6 taças.
Ainda tive a felicidade de o ver jogar ao vivo em quatro ocasiões. Frente ao Altay em 1980 (o primeiro jogo do Benfica a que assisti), V.Setúbal em 83 e 85, e com o Sporting em 1986, pouco antes da sua grave lesão no mundial mexicano.
Bento foi juntamente com Humberto Coelho, Toni, Nené, Sheu ou Chalana, uma das razões de eu ser benfiquista. Foi um dos interpretes do que de mais profundo tem a minha relação com o futebol. Um ídolo. Uma referência como o futebol actual já não permite.
Recordo também duas esplendorosas exibições ao serviço da selecção nacional, onde foi indiscutível durante uma década - na Escócia em 1980 (0-0), e nas meias-finais do europeu de França em 1984.
Em 1983 Bento deu-me um autógrafo junto aos balneários do antigo estádio após um treino. Recordo a sua simpatia e simplicidade.
Muitos anos depois cruzei-me com ele algumas vezes perto do relvado sintético da nova Luz onde ele preparava os guarda-redes do futuro.
O Benfica e o futebol português ficaram hoje mais pobres. Mas Manuel Galrinho Bento estará eternamente na baliza da nossa memória.
Até sempre Campeão!

6 Comments:

Anonymous Brytto said...

Adeus Campeão!

2.3.07  
Anonymous Otragal said...

Juntou-se ao Damas, seu eterno rival e amigo

2.3.07  
Blogger LF said...

Dois grandes guarda-redes. Os melhores dos últimos 40 anos, não interessando agora discutir se um era melhor que outro ou vice-versa.
Damas teve uma fase melhor (71-77)e Bento teve outra (77-86).

Eram figuras do nosso imaginário infantil. Rostos dos clubes. Verdadeiros Cromos da Bola, no melhor e mais carinhoso sentido da palavra.

Quando se assiste à morte de vedetas dos anos 40 ou 50 tomamo-las como normais.
Bento, como Damas, são figuras muito mais próximas, que nos ensinaram a gostar de futebol. ídolos de infância.

Bento representava também como poucos o verdadeiro espírito benfiquista e mesmo popular português.
Desde a bigodaça, ao facto de ir para os treinos na carrinha do peixe do seu negócio, até a uma ou outra atitude mais irreflectida.
Era o benfiquista e o português no seu estado mais puro.

Será imortal na história do Benfica e da selecção nacional, onde jogou 63 vezes (!!)e da qual foi capitão em muitas delas.

3.3.07  
Anonymous catn said...

LF

O país desportivo ficou mais pobre, para todos nós, que aprendemos a gostar do Benfica através destes craques, sentimos esta morte como uma perda pessoal

Adorava ve-lo jogar, para mim o melhor de sempre, penso que ainda poderia dar muitos ensinamentos aos mais jovens e transmitir a mistica do Benfica, mas não foi possivel durante mais tempo, ele foi levado, mas será recordado sempre como um campeão, como um homem que não teve medo de dar a cara pelos outros, como um grande Benfiquista, embora pequeno de estatura, ele foi o maior entre os postes de uma baliza

Só lhe posso desejar, esteja ele onde estiver, paz para a sua alma e descanso eterno

3.3.07  
Blogger cj said...

"Bento representava também como poucos o verdadeiro espírito benfiquista e mesmo popular português.
Desde a bigodaça, ao facto de ir para os treinos na carrinha do peixe do seu negócio, até a uma ou outra atitude mais irreflectida.
Era o benfiquista e o português no seu estado mais puro."

está tudo dito aqui.

3.3.07  
Anonymous Otragal said...

Por falar em atitude mais irreflectida, lembro-me de uma cabeçada ao Manuel Fernandes em plena grande área com a bola na mão, foi expulso e assinalada a respectiva grande penalidade. Noutra ocasião justificou um frango com o facto de ter ficado encadeado pelos holofotes. Sempre foi o jogador do Benfica que me mereceu maior simpatia.

6.3.07  

Enviar um comentário

<< Home