01/09/06

QUO VADIS

Não ata nem desata.
O Caso Mateus ameaça poder tornar-se num enorme pesadelo para o futebol português.
Mais do que identificar culpados, importa neste momento encontrar uma qualquer rápida saída para o imbróglio que a extrema e absurda complexidade da teia juridica, e a absoluta incompetência de quem nela actua, originaram.
Parece claro que António Fiúza e Valentim Loureiro (que há muito deveria, por muitíssimos motivos, estar afastado do futebol) surgem à cabeça como os maiores responsáveis por esta surrealista situação. Mas também Laurentino Dias e Hermínio Loureiro, por omissão, terão de se juntar ao rol.
Vítimas só há uma: o futebol português.
Numa altura em que a selecção nacional conseguira uma classificação histórica no Mundial, e em que os três grandes garantiram todos, pela primeira vez, presença na Liga dos Campeões, só mesmo este grotesco caso para nos devolver ao nosso triste fado. O fado da palhaçada, do caciquismo, da incompetência, do tráfico de influências e da corrupção.
Se ninguém tem força ou vontade para colocar o insignificante Gil Vicente no seu devido lugar, como esperar que casos como o Apito Dourado tenham um desenlace positivo e regenerador ?

2 Comments:

Anonymous catn said...

LF

Eu acho incrivel este "caso Mateus", do que está á espera a LPFP e o seu presidente Valentin Loureiro para suspender o Gil Vicente das provas profissionais

O que quer o Presidente do Gil Vicente ?, então o Gil, não tem um contrato assinado e em vigor com o Sr. Mateus ?, então o Sr. Mateus não está a treinar e o Gil não lhe está a pagar, o contrato esta legal, não percebo, esta é a parte não desportiva do "caso" e pelos vistos está tudo correcto

Agora a inscrição na FPF e na LPFP, é um caso estritamente desportivo e que se rege pelas leis da FPF e da LPFP e da propria FIFA

O Gil Vicente tem um contrato de trabalho com o Sr. Mateus, o que não obriga á sua inscrição na LPFP, o Presidente Fiuza sabia que faltava a aceitação da LPFP, portanto, devia fazer as coisas dentro dos Estatutos da entidade organizadora dos jogos, sem esta aceitação o jogador não podia jogar

Eu não percebo, o porque de recorrer aos tribunais comuns, se o trabalhador tem um contrato de trabalho correcto

Lembra-se do Benfica, ter jogadores com contrato de trabalho e não estavam inscritos na LPFP, por isso o que quer o Gil Vicente

2.9.06  
Anonymous LF said...

O presidente do Gil Vicente cometeu um erro grave e agora está, em sucessivas fugas para a frente, a tentar salvar a face perante os adeptos do seu clube.
Veremos onde isto vai parar, por agora ainda não quero acreditar no pior...

Acho uma irresponsabilidade tremenda certos comentadores, sabendo o que está em causa (e que vai muito para além da querela entre Gil e Belenenses) ainda serem capazes de promover a ideia de que o Gil Vicente deve ir até ao fim.
Penso que seria altura de o país em peso, procurar convencer os gilistas (já que na cabeça do seu presidente parece que não entra grande coisa) das gravíssimas consequências do caso.
Afinal todos somos de uma ou outra forma adeptos do Benfica, Porto ou Sporting, e principalmente, todos somos da selecção nacional.

Ainda tenho esperança que o povo de Barcelos, os sócios do Gil possam dar quinta feira uma prova de grande maturidade, bom senso e inteligência. Têm essa oportunidade.
Caso contrário, temo o caos total, pois a FIFA não brinca.

Teria vergonha de ver o futebol português devastado por um vendedor de peúgas de Barcelos, perante a total cegueira ou mesmo insanidade de várias pessoas com responsabilidades.

Este caso , com franqueza, mete-me nojo.

4.9.06  

Enviar um comentário

<< Home