23/10/17

NORMALIDADE

Não foi um triunfo brilhante. Mas foi justo.
Rui Vitória surpreendeu ao deixar Pizzi no banco. Manteve, no entanto, Svilar, Ruben Dias e Diogo Gonçalves. Seferovic regressou depois de alguns jogos no banco.
O Benfica entrou bem (como, de resto, tem sido hábito), marcou de penálti, dominou toda a primeira parte, e logo à entrada da segunda aumentou a contagem. Tudo parecia decidido.
O golo do Aves criou alguma expectativa, mas de imediato, em nova grande penalidade, Jonas fixou o resultado, e descansou os adeptos.
Diogo Gonçalves esteve em evidência na primeira parte (e Krovinovic entrou muito bem), mas foi Jonas - como quase sempre - quem mais brilhou ao longo dos noventa minutos. O brasileiro marcou em todas as jornadas, excepto em Chaves, e lidera destacado a lista de marcadores do campeonato.
A arbitragem errou ao não assinalar a falta de Jonas que antecede o segundo penálti (lance a meio-campo, que ninguém imaginaria resultar em golo). De resto, nada a apontar.