14/06/16

O TETRA

O Benfica existe para ganhar. Apenas para ganhar.
Foi a ganhar que cresceu. Foi a ganhar que se tornou popular e gigantesco, que nos cativou e envolveu.
Diz-se que perder e ganhar é desporto. Mas não é de desporto (muito menos de indústria ou de comércio) que se fala quando se fala de Benfica. É de amor. É de paixão. De uma paixão sem limites, que não admite outra coisa que não a vitória, que somente aceita a glória absoluta.
Somos Tri-campeões. Mas se em Maio de 2017 não festejarmos o Tetra, ninguém se lembrará dos maios anteriores. Todas as conquistas passadas serão meras peças de museu. Dignas de orgulho, mas carentes de sentimento. Serão outros a festejar, ou a verde, ou a azul. Já não estamos habituados. Custa-nos, só de imaginar o cenário.
A estes axiomas, que nos moldam a alma, e que nos exigem superação constante, acresce um contexto estratégico muito peculiar. Temos um dos rivais desportivamente moribundo, à procura de uma oportunidade para se reerguer. Temos outro em bicos de pés, a tentar afirmar-se por todos os meios – mesmo os mais estapafúrdios e indecorosos. Depende de nós deixá-los, ou não, renascer das cinzas. Depende de nós estabelecermos, ou não, um ciclo de manifesta hegemonia no futebol português, que pode levar décadas a ser quebrado, mas que, no sopro de uma temporada menos conseguida, rapidamente se esfumará, como areia que se escapa pelos dedos das mãos.

O Benfica não irá certamente ganhar todos os campeonatos até ao fim das nossas vidas. Mas alguns não os poderá perder. O próximo é um deles. 

2 Comments:

Blogger Miguel Costa said...

Sem dúvida! Não só por ser inédito na nossa História, mas pelo contexto desta década é absolutamente decisivo vencermos o próximo Campeonato. BENFICA!RUMO AO TETRA!!

16.6.16  
Anonymous Jogos de Casino Online Betclic said...

Belas e sábias palavras. Está-se a escrever história neste preciso momento, e a história ainda não acabou! Concordo em absoluto que o próximo campeonato é provavelmente o mais importante para o Benfica não só em muitos anos, mas em muitas décadas!

27.6.16  

Enviar um comentário

<< Home