30/03/12

PATRÍCIO SEGURA SPORTING

Não fora Rui Patrício, e o Sporting estaria agora numa posição bem difícil para conseguir o acesso às meias-finais da Liga Europa, numa eliminatória em que era (e continua a ser) francamente favorito. À semelhança do que ocorrera frente ao Manchester City, foi o guarda-redes internacional português (no melhor momento da sua carreira, e a prometer um Euro 2012 em grande), o responsável pelo bom resultado da sua equipa, disfarçando, repetidas vezes, as insuficiências defensivas que já noutras ocasiões o Sporting tem revelado.
O penálti, e o golo, no último minuto (aos quais o jovem guarda-redes pouco mais tinha a fazer), retiraram brilho a uma vitória que poderia ter garantido de imediato a qualificação, mas que, por tais números, seria algo injusta face ao que se viu em campo - pois um Metalist muito compacto e muito rápido a sair para o contra-ataque, criou bastantes dificuldades a um Sporting nem sempre esclarecido à procura do domínio do jogo.
Com eficácia assinalável, a equipa de Sá Pinto chegou a 2-0, e depois valeu-se de Patrício para evitar uma reviravolta. Não evitou, contudo, o golo ucraniano, que deixa ainda alguma incerteza para o jogo da segunda mão.
O 2-1 final mantém, contudo, o favoritismo do lado leonino, que em condições normais disputará com o Atlético de Bilbau (equipa empolgante e muito bem orientada por Marcelo Bielsa) o acesso á final de Bucareste.
O futebol tem destas curiosidades. No ano passado tivemos três equipas portuguesas e uma espanhola nas meias-finais desta prova. Este ano podemos ter precisamente o contrário, com três espanholas e uma portuguesa. E já agora, outro dado curioso: na Liga dos Campeões ninguém marcou golos em casa, ao passo que na Liga Europa todos marcaram dois golos.