06/03/12

CLASSIFICAÇÃO REAL

BENFICA-FC PORTO

Quem for rever aquilo que escrevi ao longo da semana passada, perceberá a preocupação que a nomeação de Pedro Proença para o clássico me causava.

Em relação a Olegário Benquerença, o árbitro lisboeta tem a vantagem de não ser tão exuberante nos propósitos. Mas em efeitos práticos, a coisa anda “ela por ela”.

Não é preciso voltar a recordar a história de Pedro Proença nos jogos com o Benfica, nem a sua estatística em clássicos. Os números são esmagadores. Com ele o Benfica não ganha.

Discordo de qualquer agressão como forma de resolver este tipo de problema. Mas, devo confessar, que também custei a entender o excesso de solidariedade que este indivíduo na altura recebeu de muitos quadrantes benfiquistas. Tem cartão de sócio do Benfica? Bem, eu se quisesse também me poderia associar no FC Porto, e fazer-me passar por portista para qualquer conveniência de ocasião. O que já vi foi uma fotografia dele numa equipa de Andebol das camadas jovens do Sporting. Também o tenho visto aos abraços com o seu grande amigo Domingos Paciência. Percebe-se, sobretudo, que é um homem de muitas cores, e de muitas influências. Se calhar é mesmo assim que se chega ao Europeu.

Desta vez foi o auxiliar (Ricardo Santos, convém que fixemos o nome destas obscuras personalidades) a cometer o erro mais grave, mas quando falo em Proença, falo na sua equipa.


O fora-de-jogo do terceiro golo portista é um erro (vamos chamar-lhe assim por simplificação semântica) que não se desculpa. A bola está parada, o assistente pode ouvir pelo auricular a sinalização do momento em que o livre é marcado, e o seu olhar tem de estar fixo na linha do último defesa. Não tem ninguém a tapar. Como diz Jesus, não marcou porque não quis. Não vejo qualquer outra explicação que me convença.


O futebol português tem tido muito disto. Há trinta anos que é assim. Veja-se bem o que sucedeu no início do campeonato passado, quando se temia o bi benfiquista. Veja-se o que sucedeu em Braga, com a expulsão de Javi Garcia, quando o Benfica, com 18 vitórias consecutivas, voltou a ameaçar. Veja-se, agora, o que aconteceu nas jornadas seguintes ao Gil Vicente-FC Porto, quando os portistas ficaram a cinco pontos. Primeiro o barulho e a pressão, depois…o penálti marcado por Jorge Sousa na Luz a favor do Nacional; em seguida o penálti escamoteado em Guimarães, por falta sobre Rodrigo; mais tarde o penálti claro cometido sobre Aimar em Coimbra (nem falo no corte com a mão de Cedric no mesmo jogo); e agora um fora-de-jogo escandaloso a decidir o clássico, e provavelmente o título.


O sistema existe, trabalha em silêncio nos momentos mortos, mas quando a situação aperta, perde a vergonha e aparece em todo o seu esplendor. E o problema não está na Liga, nem na Olivedesportos, nem em Vítor Pereira. Está nos próprios árbitros e seus assistentes, em pessoa. Sobretudo no lote de árbitros internacionais que provém do “antigo regime” (leia-se, tempos do Apito Dourado), e que mantém uma teia de cumplicidades, amizades e gratidões que subverte totalmente o seu papel de isenção.


Proença marcara o penálti em Braga, situação de que o Benfica já saíra penalizado com a perda de dois pontos. Desta vez, além do erro do auxiliar, deixou passar um corte com o braço de Maicon à entrada da área (que eu não consideraria faltoso, mas que choca com o critério deste mesmo juiz nesse jogo de Braga), e fez vista grossa a um toque no pé de apoio de Witsel, no lance que antecede o segundo golo do FC Porto. Há depois dois dados que explicam cabalmente o que Proença foi fazer ao Estádio da Luz: 1) Janko fez nove faltas (!!!) e não levou um único cartão amarelo, enquanto que Emerson fez uma falta e meia, e foi expulso; 2) A distribuição de faltas e cartões amarelos no tempo de desconto (fazendo-o assim passar de forma ainda mais rápida), mostra uma habilidade que só ilude os mais distraídos.


Enfim. Todo o protagonismo de Pedro Proença na arbitragem portuguesa dava para muitas e muitas páginas. Para já apenas espero que, à semelhança de Benquerença, o Benfica se veja livre deste homem por muito tempo.


E o FC Porto lá continua, sem que a história de trinta anos registe uma única situação em que tenha sido prejudicado em jogos desta natureza.


Resultado Real: 2-2 (admitindo que, mesmo depois da falta sobre Witsel, Gaitán podia e devia ter recuperado a bola antes de James empatar a partida)



V.SETÚBAL-SPORTING


Um penálti por assinalar sobre Matias, e um penálti mal assinalado, que acabou por não ser convertido, orbigam, contas feitas, a dar um ponto aos leões.


Resultado Real: 1-1


CLASSIFICAÇÃO REAL


BENFICA 54


FC Porto 51


Sp.Braga ??


Sporting 43

Etiquetas:

12 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

6.3.12  
Anonymous Anónimo said...

a mao do cardozo não contou para nada né?

6.3.12  
Anonymous Anónimo said...

Eu por acaso acharia piada se lhe partissem a tromba! E tbn sei que não é assim que se resolvem as coisas, mas........

6.3.12  
Blogger jfk said...

LF, o brilhantina cortou todas as recuperações de bola que o benfica fez depois do 2º golo do porto. Todas.

O vitor pedreira fez substituições suícidas porque sabia que as podia fazer, que teria a proteção habitual, não tenho a menor dúvida.

E os golos são todos precedidos de falta. No primeiro sobre Aimar, no segundo sobre Witsel e o terceiro brada aos céus.

A dualidde de critérios para mostrar cartões... Emerson vs djalma ou janko...

Não sei como estes indivíduos têm coragem para andar de cara destapada e cabeça erguida na rua?

6.3.12  
Blogger Paulo Santos said...

Caro camarada de bancada,

A questão aqui que eu não vejo ninguém falar e que é, obviamente, a principal razão de muito do que se está a passar actualmente é a seguinte:

A incompetência (ou não) de quem lidera (?) o Sport Lisboa e Benfica...

Desde Janeiro que os clubes deixaram de ter acesso aos relatórios dos observadores dos árbitros. Porquê perguntarão os mais distraídos...Vítor Pereira terá argumentado com directivas da FIFA...mas o que uma medida destas acarreta é o total desconhecimento por parte de quem é prejudicado se o árbitro que errou foi efectivamente penalizado ou não por esses erros...fica tudo no segredo dos deuses - invariavelmente potenciando a total arbitrariedade nos desempenhos dos árbitros...

Ora bem...desde quando é que o Benfica começou a ser prejudicado? Exactamente desde que a medida entrou em vigor, e por coincidência, desde que LFV apareceu publicamente a dar a entender que provavelmente haverá renegociação de direitos televisivos com a Olivedesportos...coincidência?! Ou talvez não!? É que um clube em 2º ou 3º lugar vale muito menos do que um primeiro classificado...


Abraço

6.3.12  
Blogger LF said...

Caro Paulo,

O que me parece, de facto, é que foi um erro tremendo a postura que o Benfica adoptou ao longo da época em relação às arbitragens.
Era de desconfiar que isto, na hora de verdade, iria acontecer. Sempre foi assim. E não é por estar o Vítor Pereira, ou outro boneco qualquer, que deixará de ser assim.
Enquanto andarem por aí Benquerenças, Proenças, Xistras, Cosmes e Sousas, a coisa vai continuar.
Ao dizer que não iria falar de arbitragens, a direcção encarnada deixou-se ficar numa situação difícil para agora criticar, como se impõe.
Até logo!

6.3.12  
Blogger LF said...

JFK,

A dada altura da segunda parte, e quando ainda estávamos a ganhar, enviei um SMS ao nosso amigo comum Brytto, a dizer que me parecia que o campo estava a começar a ficar inclinado.
Longe estava eu de imaginar o que ainda se iria passar...

6.3.12  
Blogger Paulo Santos said...

Curiosamente acaba de sair esta notícia...http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/Benfica/interior.aspx?content_id=744806

6.3.12  
Blogger Um Estranho said...

O que me parece é que, cada vez mais, estamos a ficar como o aquela equipa que se veste , tipo, bandeira de praia...
Independentemente do Proença, não foi o FCP que ganhou, fomos nós que o perdemos...
E quando ficamos a reclamar da arbitragem e não reconhecemos os nosso erros, muito mal estamos...
Poderia enumerar tantos erros que cometemos neste jogo...
Mas, se quisermos pensar, que perdemos este jogo SÓ por causa do árbitro, estamos muito longe daquilo que, pelo menos eu quero, queremos para o nosso Glorioso...

Abraço,

Rui Serra

6.3.12  
Blogger Manuel said...

Nós não perdemos APENAS por causa do árbitro, perdemos ACIMA DE TUDO por causa da arbitragem.

É muito difícil, se não impossível, não cometer erros (jogadores e treinadores) quando os jogadores SENTEM, e eles sentem, quando estão a ser prejudicados pelos árbitros. Perguntem a qualquer jogador. Se nós que estamos fora reparamos nisso imaginem quem está lá dentro e sente na pele as injustiças que eles, porque estão perto, vêm como ninguém. Apontar erros internos é muito fácil, porque erros cometem-se SEMPRE, por todas as pessoas em todas as organizações. Mas convém fazer o diagnóstico e a análise CERTOS. Apontar apenas um lado é erro grave.

Agora, quando existe um SISTEMA implantado há anos que toda a gente conhece e que foi muito bem explicado pelo LF, penso que não há muito mais a dizer. Por mais que alguns adeptos, apenas para laurear a pevide e mostrar que também percebem de futebol, outros por mera estupidez, gostam de apontar defeitos dizendo que se não corrigirmos os erros internos nunca conseguiremos ganhar.

Quem diz isso não percebe nada de organização nem de gestão de empresas. É lógico que as empresas devem ter uma estratégia ganhadora, mas quando existem cartéis (ilegais) exteriores que impedem a sã concorrência, que combinam resultados, é impossível por melhor que seja a estratégia e a competência dos gestores, de ganhar quota de mercado. E não há organizações perfeitas. Isso nem no céu. O mesmo se aplica ao Benfica.

Deixo um exemplo para aqueles mais lentos de compreensão, que são bastantes. Abram uma empresa no sul de Itália, indo concorrer com interesses da máfia, e vejam se conseguem ter sucesso. E podem acusar os gestores da empresa dos erros que quiserem que os desgraçados não irão ter sucesso. Por mais bem gerida e livre de erros que seja a sua gestão. E já não estou a referir o facto de correrem o risco de irem parar a alguma valeta da berma da estrada. E bem podem vir depois para os jornais tentar apontar erros à gestão da empresa com palpites e sugestões que para esses brilhantes críticos são óbvios!

PS1. Atacam-se os árbitros com alguma razão, mas esquecemo-nos muitas vezes dos grandes prevaricadores, dos grandes corruptos, que são os fiscais de linha. No blogue Antitripa está uma imagem com os dois off-sides ESCANDALOSOS que deram origem às DUAS vitórias dos andrades na Luz dos últimos 2 anos. O do ano passado, do Hulk, é ainda mais escandaloso. E de quem foi a culpa? DOS FISCAISI!!

PS2. Investiguem os cursos de fiscais de linha feitos na AFP pelo Adriano Pinto e que despejou dezenas de fiscais com as insígnias da FIFA no mercado de futebol português, fiscais esses que ainda estão em "funcionamento".

7.3.12  
Anonymous Nuno Figo said...

Excelente comentário, Manuel.

Nada a acrescentar, tudo certinho.

Caro LF, até merecia ser postado no blog! ;)

9.3.12  
Anonymous Anónimo said...

Sou portista.
Reconheço que o 3.º golo foi em fora de jogo. Quanto à apreciação do P.Proença, permito-me transcrever o seguinte: "Pois é. No estádio nem me passou pela cabeça, nas primeiras imagens que vi não me apercebi, mas a verdade é que o golo do Benfica foi obtido de forma irregular. É um lance extremamente difícil de analisar pelo que se compreende o erro do árbitro assistente, que por acaso até é portuense e portista.".
Sabem onde esta prosa foi escrita? Neste mesmo blog, em 4-4-2007, a seguir a um slb-fcp, arbitrado por ... nem mais,P.Proença.

9.3.12  

Enviar um comentário

<< Home