10/01/12

CLASSIFICAÇÃO REAL

SPORTING-FC PORTO

Dois casos merecem análise: Polga deveria ter sido expulso com segundo cartão amarelo, e ficam dúvidas num possível empurrão a Otamendi na área do Sporting.

Os cartões não contam para efeitos de classificação real. Quanto ao eventual penálti, como tenho poucas certezas (é dos muitos lances que se analisam conforme as cores das camisolas), e como o central portista nem sequer reclamou, vou dar o benefício da dúvida a Pedro Proença.

A foras-de-jogo mal tirados não dou importância. Acontecem aos magotes, e ninguém pode provar que originariam golos. Sabe-se que em Alvalade há uma sensibilidade especial a qualquer cócega que os árbitros não decidam a favor do Sporting, mas isso, a mim, não me impressiona.

Resultado Real: 0-0


U.LEIRIA-BENFICA

Javi Garcia viu o cartão amarelo no lance errado. Quando Cosme Machado lhe o mostrou, o médio espanhol nem tocara no adversário. Pelo contrário, numa entrada às canelas do jogador leiriense ficou impune.

Além disso, e de um livre sobre a linha da área que ficou por marcar por falta sobre Saviola, não houve mais casos dignos de nota.

Resultado Real: 0-4


CLASSIFICAÇÃO REAL

BENFICA 38

FC Porto 34

Sporting 32


Como se vê, estão aqui espelhados os pontos (não mais de quatro) em que o Sporting foi penalizado nas primeiras jornadas. Daí para cá, nomeadamente em questões disciplinares, os leões têm beneficiado de uma enorme protecção das arbitragens, coisa que, pela sua subjectividade, não entra nestes números.

É normal que uns vejam o copo meio cheio (golos mal anulados com Olhanense e Marítimo nas primeiras jornadas), e outros o copo meio vazio (expulsões injustas de adversários, e vermelhos por mostrar a Jeffren, Onyewu, João Pereira, Carriço e Polga, desde então). Mas dizer-se, à boca cheia, que o Sporting não lidera o campeonato por causa das arbitragens... raia a demência.

Etiquetas:

2 Comments:

Anonymous Vitória do Benfica said...

Bem eu acabava com os arbitros e implementava as novas tecnologias. È verdade que ser arbitro é muito complicado, fiscal de linha também. Mas se neste sistema até os honestos falham o que se dirá desta gente com esta justiça com alguns dirigentes.

Ainda não o ouvi sobre os irmãos Oliveira, isto parece quase um caso de maçonaria entre dois grupos do PSD

10.1.12  
Blogger LF said...

Os Oliveiras é mais um caso tipo zanga de comadres (neste caso irmãos).
Tenho a pior impressão possível de um e de outro, que representam tudo aquilo que eu abomino no futebol português, e, de certa forma, na sociedade portuguesa: o chicoespertismo, o arrivismo e o golpismo.
O que o ele diz é verdade, mas esquece-se que também só foi seleccionador, e por duas vezes, devido às influências que movia.

Enfim, estão bem um para o outro, e espero que o Benfica se afaste de ambos.


Quanto à maçonaria, creio que é necessário separarmos o trigo do joio. Há figuras respeitabilíssimas na maçonaria. Há um papel histórico de relevo dos maçons, por exemplo, na luta contra o fascismo (não só em Portugal). A própria ideia maçonica tem aspectos fascinantes - e quando oiço falar em maçonaria, lembro-me muitas vezes da Flauta Mágica, do Mozart.

Há, também, por outro lado, muita gente que, sem qualquer intuito filosófico, se serve das lojas maçonicas, do seu secretismo, e das suas teias de influência, para subir na vida. Infelizmente, estes são cada vez mais.

10.1.12  

Enviar um comentário

<< Home