20/12/11

CLASSIFICAÇÃO REAL

BENFICA-RIO AVE


O único caso a justificar análise nesta partida é o do suposto fora-de-jogo de Nolito no lance do seu primeiro golo.


Não creio que, estando os pés do jogador em linha, a cintura do jogador em linha, e porventura apenas um ombro em situação de fora-de-jogo (os braços não contam), e estando ele no lado oposto do campo ao do fiscal-de-linha, encoberto por três ou quatro jogadores do Rio Ave, possamos considerar estar perante um erro. Não é humanamente possível ter qualquer certeza sobre um lance daqueles em movimento rápido, e a regra deve ser beneficiar quem ataca. Até porque, se despirmos as camisolas, e virmos a coisa no abstracto, torna-se absurdo imaginar que exista qualquer vantagem adicional para o atacante que parte de um fora-de-jogo de milímetros. E o espírito da lei é justamente impedir essa vantagem.


Isto é válido aqui, como, por exemplo, também em Barcelos, onde o mesmo jogador teve uma situação semelhante, na altura muito criticada. Desta vez, o resultado não deixa margem a grande polémica, mas o princípio é o mesmo. Foras-de-jogo? Só quando existe certeza absoluta, e em lances como este tal não acontece.


Resultado real: 5-1 (mas quem quiser 4-1, que se sirva à vontade)



FC PORTO-MARÍTIMO


Apenas vi os últimos 15 minutos de jogo, e quando ouvi falar num penálti escandaloso sobre Belluschi, pensei tratar-se de uma rasteira violenta, um empurrão flagrante pelas costas, pensei, enfim, que tivesse acontecido algo parecido com uma dupla falta de Álvaro Pereira, no ano passado, em Vila do Conde, com um dos vários cortes com a mão de Rolando, em toda essa mesma temporada, ou com uma falta do mesmo Belluschi, não sancionada, no jogo com o Feirense.


Afinal, trata-se de um lance que só a repetição televisiva esclarece. Há um choque entre um jogador forte e um jogador frágil, e este cai espalhafatosamente. Aceito que seja penálti, mas erros daqueles têm existido às dúzias, muitos deles favorecendo o FC Porto, ou penalizando o Benfica. Erro? Sim. Escândalo? Nem pensar!


O mais curioso é que este tipo de situações ocorre quase sempre em vitórias do FC Porto. É muito, mas mesmo muito raro, vermos aquele clube perder pontos por via de erros de arbitragem, ao contrário do que acontece frequentemente com os seus rivais.


E Pinto da Costa, que há poucos anos recebia árbitros em casa nas vésperas dos jogos, e que pagava prostitutas aos mesmos após os jogos, devia, em nome do pudor, calar-se sobre o tema para o resto da sua vida. Vergonha, já sabemos que não tem. Mas não queira fazer-nos de idiotas.
Até porque o primeiro cartão amarelo a Roberge deixa também algumas dúvidas.


Resultado real: 3-0



ACADÉMICA-SPORTING


Daquilo que vi, dois lances justificam referência: uma alegada falta sobre Insua na área, e uma entrada violenta do mesmo jogador que justificaria expulsão.


No primeiro caso, não creio que haja motivo para penálti. É um lance dividido, o argentino cai, sem me parecer que exista intenção deliberada de o derrubar. Eu não marcaria, embora aceitasse decisão contrária.


A carga violenta do mesmo jogador não deixa dúvidas, e seria razão para explusão. Aqui sim, trata-se de um erro incompreensível do juiz da partida.


Sobre a expulsão de Elias, nada há a dizer. E também não creio que devamos embarcar em preciosismos no caso do lançamento que origina o golo do Sporting (efectuado cerca de vinte metros antes do local indicado) - ainda que se trate de uma situação irregular, que a passar-se com o Benfica teria sido certamente objecto de grande polémica.


Resultado real: 1-1



CLASSIFICAÇÃO REAL


BENFICA 35 (prejudicado em Braga)


FC Porto 33 (sem prejuízo ou benefício líquido)


Sporting 31 (prejudicado nas primeiras jornadas)

Etiquetas:

9 Comments:

Anonymous Anónimo said...

No caso do lance do SCP, o Adrien corta a bola antes do contacto, facto que, aparentemente, ninguém relevou. Não é que tocar na bola permita tudo, mas neste caso tem relevância para o lance.

20.12.11  
Blogger João said...

Engraçado. O lance o Insúa e o do Belluschi são em tudo iguais. Uma carga para além das leis de jogo, dentro da área, sem qualquer intenção de jogar a bola. Um é penalti, o outro nem por isso...

20.12.11  
Anonymous Anónimo said...

João: dizer que o jogador da Académica se faz ao lance "sem qualquer intenção de jogar a bola" é falso. Reveja as imagens e confira: o Adrien tira a bola ao jogador do SCP.

20.12.11  
Anonymous Anónimo said...

Portanto, o Belluschi pode ser completamente abalroado dentro da área que é um lance duvidoso. É um "choque".
Por outro lado, vÊ-se bem que o árbitro apenas prejudica o FCP naquele lance pq tinha certeza que o Porto ainda ia marcar antes do fim e o Danilo ia enviar uma bola à barra. Tudo feito, com grande profissionalismo.
O que o sr devia ver é que o Porto geralmente ganha os seus jogos mesmo qdo a arbitragem o prejudica e por isso n precisa de andar por aí a fazer figuras tristes de coitadinho. O benfica q aprenda se quiser.

P.S.- Este arbitro no Benfica Guimaraes marcou um penalti qdo a bola bateu na barriga de um jogador, outro penalti qdo a bola bateu na cabeça de outro jogador, e ainda um 3º penalti qdo houve um (cito aqui palavras do sr LF) "choque" entre um matulão do guimaraes e o fragilzinho Saviola. Lá está, tudo está bem qdo acaba bem!

20.12.11  
Anonymous Anónimo said...

2 jogos, 2 penalties por marcar. Fosse de outra forma e o LF já andava a questionar os leitores sobre se este era o campeonato mais adulterado dos ultimos 50 anos.

20.12.11  
Blogger Manuel said...

Quando vi o lance achei que não era penalty, tive a mesma percepção que o árbitro. Seria um choque lateral entre 2 jogadores, sendo que o jogador do Marítimo bastante mais alto e pesado, fez "mais estragos". Na repetição, a que o árbitro não tem acesso, vê-se que o defesa para além do choque dá um ligeiro empurrão, ajudando a queda. Por isso, penalty.

Quanto ao jogo do Benfica-Guimarães, convém contar a verdade toda de outro modo estamos a mentir, uma ocupação que os andrades se dedicam com todo o gosto e dedicação, especialmente quando lhes convém distorcer a realidade. Houve um primeiro penalty, o mais óbvio que não foi marcado, por mão na bola do Alex que seria a expulsão do jogador.
Houve de facto um falso penalty, quando o defesa saltou com as mãos no ar enganando o árbitro do ângulo em que estava, batendo a bola na cabeça. Foi um mero engano, toda a gente se engana. Os outros 2 penalties penso que não suscitaram qualquer dúvida.

Quanto ao Duarte Gomes, a azia do Corrupto Mor é o facto de o tipo já ter estado debaixo do chapéu da corrupção mas pelos vistos já não está, e isso deixa todo o mafioso furibundo. Na Máfia, costumam matar os traidores. Como aqui não o podem fazer, vêm para a TV tentar queimar o tipo. Deixo alguma informação sobre o "benfiquista" Duarte Gomes:


"Afilhado de Guilherme Aguiar quando este era Secretário Técnico da Liga.
Visitou a casa de Pinto da Costa na Madalena para combinar o resultado e garantir em caso de vitória do Sporting sobre o Boavista um resultado favorável ao FC Porto, e como garantia desse resultado favorável receber um envolope vazio com 2500 euros do costume.
Um dos muitos árbitros que conhecem e sabem de cor o caminho para a casa de Pinto da Costa na Madalena. A visita de Duarte Gomes à casa de Pinto da Costa, consta dos dossiers e escutas que o Ministério Público entregou aos Juízes do caso Apito Dourado, escutas essas que a imprensa nacional teima em omitir e esquecer e permite os mesmos de sempre continuarem a apitar pelos estádios da principal liga do Futebol Português."


Mais palavras para quê? Será que Pinto da Costa se sente "atraiçoado"? Será mais um que lhe enfiou os cornos?

21.12.11  
Anonymous Anónimo said...

Os portistas adoram ter razão episódica de queixa do apito. Serve para lavar mais branco tudo o resto.

21.12.11  
Anonymous Vitória do Benfica said...

Espero que em cinco anos estes tipos de post não se escrevam. Porquê?? Espero que as novas tecnologias entrem de forma definitiva no relvado

21.12.11  
Anonymous Nuno said...

Amigo, não são os ombros que estarão à frente... é a cabeça. E a cabeça conta (o jogador está inclinado para a frente).
Ele ESTÁ fora de jogo.

Agora, claro que é impossível de descortinar, e deve-se beneficiar quem ataca, por isso não pode ser considerado erro "grosseiro"

22.12.11  

Enviar um comentário

<< Home