24/11/11

UMA FALSA QUESTÃO

Desde que foi inaugurado em 2003, assisti a 156 jogos de futebol no novo estádio da Luz. Vi jogos em todos os pisos, em todas as bancadas, no interior de ambas as claques, em vários camarotes e até na tribuna presidencial. Além de futebol, vi 137 partidas das mais diversas modalidades nos dois pavilhões, já estive nas piscinas, nas salas de ténis de mesa e bilhar, fui dezenas de vezes às instalações do jornal e da Benfica TV, estive em diversos gabinetes da SAD, estive nos balneários, nos túneis, na sala de imprensa, em todos os parques de estacionamento, nos bancos de suplentes, e até no relvado, isto para não falar nas compras na “Media Markt”, na “Adidas” ou na loja do Benfica, ou nos jantares da Catedral da Cerveja e Terceiro Anel. Sei por onde entram os adeptos dos clubes adversários, que percurso fazem, que portas utilizam. Sei por onde entram as equipas, onde estacionam os autocarros, como chegam ao balneário, e como entram em campo. Ou seja, conheço tudo aquilo quase como se fosse a minha casa, e embora não seja perito em questões de segurança, sei a história do estádio, e tudo o que pode eventualmente trazer perigos para quem lá vai.


Há algum tempo que se percebe o intuito de o Benfica colocar os adeptos das equipas visitantes no piso 3, e não no piso 0, como tem sido habitual. Existem várias explicações para isso, que vão desde evitar a proximidade de claques adversárias com os jogadores, até à dificuldade que ali existe para as isolar convenientemente dos sócios benfiquistas cujos lugares sejam contíguos, e que nalguns casos até têm entrada pelas mesmas portas (obrigando a cordões policiais desnecessários, em zonas apertadas e sem espaço suficiente para uma acção adequada). Depois de várias experiências em jogos internacionais (lembro-me, assim de repente, do Celtic, do Liverpool e do Manchester United), os responsáveis benfiquistas tentaram, julgo que em 2007-08, colocar também os adeptos do FC Porto no piso superior, evitando os problemas atrás descritos. O resultado foi dramático, com o constante envio de petardos e tochas para os sectores abaixo, onde ficaram famosas as imagens de pais assustadíssimos a saírem com crianças ao colo. O projecto ficou na gaveta.


Recentemente, a exemplo do que se vê em muitos dos estádios estrangeiros que o Benfica visita, surgiu a ideia de, através de uma rede, resolver o problema que esse jogo com o FC Porto expôs, e simultaneamente aqueles que anteriormente se verificavam. Havia que a testar, e não seria obviamente com o Feirense que se poderiam tirar conclusões. O primeiro grande clássico a nível nacional, envolvendo claques e rivalidades, é o “dérbi” do próximo sábado, e será esse, como é óbvio, o momento adequado para estrear a rede.


Se eu estivesse na pele de quem tomou as decisões, provavelmente teria contactado previamente os dirigentes do Sporting, explicando a situação, e ceifando, à partida, qualquer polémica em redor do caso. Se isso não foi feito, ou tentado, residirá aí a minha única crítica à direcção encarnada neste assunto. O resto é, segundo a minha interpretação, pura mistificação, que apenas pretende exacerbar os estímulos da equipa de Domingos Paciência (que não deixará de utilizar o tema) para o jogo.

7 Comments:

Blogger João said...

Como adepto do Sporting, não vou ao estádio por opção pessoal, mas concordo plenamente com as medidas que estão a ser impostas, a rede não faz mais do que protecção a quem está na sua casa. E quanto a mim não deveria ser nem tema de discussão.
Sendo que vai ser utilizada uma rede não existe qualquer limitação acustica no apoio à equipa por parte dos adeptos adversários.

O grande problema e o foco de discussão que acho que existe, é que os dois clubes, que até ultimamente tinham vindo a estreitar relações (e bem), deviam ter-se sentado à mesa e discutir a situação, com certeza que seria tudo muito mais sereno sem este clima que já existe de pré-guerra.

A não discussão do tema gera mal-entendidos e desconfiança.

Acima de tudo espero que todos se portem condignamente com o poderio das duas instituições.

Não vou dizer que ganhe o melhor, porque quero sempre que o Sporting ganhe. Mas que seja um grande espectáculo de futebol.

25.11.11  
Anonymous Carlos Góis said...

Parabéns João por essa lucidez e capacidade de distanciar os assuntos.Subscrevo tudo menos na parte do vencedor, como é óbvio desejo que seja o SLBenfica.

25.11.11  
Anonymous moondog said...

A minha alma está parva! Um sportinguista (e não um lagarto, aqueles tais que antes de o Sporting ganhar, desejam que o Benfica perca) sensato! :O

Sem querer estar a criar polémica, a minha opinião é a de que o Benfica não tinha de pedir a opinião a ninguém. Está em casa, o estádio é seu e faz o que quiser com ele. O clima de pré-guerra existe porque é isso mesmo que convém a alguns idiotas que, com a escola corrupta que frequentaram, vêem nisso um motivo para conseguir motivar as suas tropas.

Ou alguém acredita que se esta medida tivesse sido tomada no FC Corrupção e o Sporting fosse lá disputar o jogo iria haver algum tipo de polémica?

25.11.11  
Blogger Luis Rosario said...

É isto.

Claro, racional, objectivo.

Não se percebe os lagartos com este festival todo...

25.11.11  
Blogger João said...

Moondog claro que o Benfica não tem que pedir opinião a ninguém, em minha casa também faço o que eu quiser e quem a visita ou gosta e fica ou não gosta e sai.

O problema é que enquanto visitado gosto que os visitantes se sintam bem e à vontade e para isso para se sentirem ainda melhor peço a sua opinião em algumas questões, claro que no final prevalecerá a minha opinião e não receber motivos suficientemente válidos para a mudar.

Ah e já agora Moondog, nem todos os Sportinguistas são "Lagartos" como nem todos os Benfiquistas são "Lampiões" ;)

25.11.11  
Anonymous Brytto said...

Nem mais... e a razão é precisamente essa: levar os adeptos das equipas adversárias para o último piso!
O resto é vitimização e complexos de inferioridade.

25.11.11  
Anonymous Nuno Figo said...

Há vitimização e aproveitamento da direção do Sporting para criar "um facto" antes do jogo.

Eu sinceramente estou curioso para ver o que são efetivamente as medidas de proteção. Pelo que já li das fontes benfiquistas, será uma rede sem qualquer impacto para o espetáculo dos visitantes (e pago pelos mesmos - haja respeito por eles). Já pelo que li do lado do sporting, é uma espécie de jaula zoológica...

Só vendo.

Sei que há uma coisa positiva: estão criadas as condições para o espetáculo, dentro do estádio (fora é outra brincadeira), ser seguro para todos os espetadores.

26.11.11  

Enviar um comentário

<< Home