16/05/11

FACADA NA ALMA

Para recomeço, parece-me pertinente trazer aqui o texto que escrevi para o jornal do Benfica na passada semana:


"Digo-o a frio, e sem hesitações: a derrota de Braga significou a maior desilusão desportiva de toda a minha vida.

Nem os 7-1 de Alvalade, nem os 7-0 de Vigo, nem mesmo os penáltis de Estugarda, me feriram mais fundo que a dramática oportunidade perdida que esta maldita meia-final representou. Perante a ocasião histórica de, 21 anos depois, voltar a um grande palco europeu, o Benfica soçobrou diante de uma equipa valiosa, mas que, sobretudo atendendo ao contexto internacional em que a eliminatória se realizava, não deixava de ser um adversário relativamente acessível – mais ainda depois da vantagem, ainda que curta, lograda na partida da primeira-mão.

Há derrotas e derrotas. Algumas esgotam-se em si mesmas, ou, no máximo, na temporada em que decorrem. Outras entram, como uma seta, para a eternidade da dor e das lágrimas. Esta meia-final fará doer a alma sempre que vier a ser evocada, e nem daqui a décadas nos esqueceremos dela. Por isso, por se ter passado precisamente numa esquina da história, ela se tornou tão cruel, e tão difícil de digerir. Por isso, os momentos vividos no estádio, no fim do jogo, e perante a festa bracarense no relvado, foram os mais angustiantes que o futebol alguma vez me proporcionou.

Faltou apenas um golo. Com um simples golo (uma bola dentro de uma baliza), estaríamos agora a preparar-nos para discutir o segundo troféu mais importante da Europa, e prontos para tocar nos céus. Esse golo poderia ter acontecido num dos remates aos postes (Cardozo em Lisboa, Saviola no Minho), podia ter ocorrido no cabeçeamento de Kardec tirado sobre a linha, poderia ter resultado do tiro de Gaitán a que o guarda-redes contrário se opôs com brilho, ou do remate em arco de Jara, que saiu muito perto do poste. Em cada uma dessas situações, uns centímetros mais para um lado, ou mais para o outro, dariam um rumo totalmente diferente à história, e desenhariam as cores da nossa felicidade. Como é ténue a linha que separa a felicidade da tragédia…

É necessário, pois, não desprezarmos o grau de aleatoriedade que o fenómeno desportivo sempre incorpora, e que tantas vezes é incorrectamente negligenciado. É necessário, pois, perceber que com os mesmos jogadores, com o mesmo treinador, com o mesmo sistema táctico, com as mesmas substituições, com o mesmo fulgor físico, poderíamos ter sido bastante mais felizes, e poderíamos estar agora a festejar ardentemente. É assim, afinal, o futebol: ora mágico, ora verdadeiramente bárbaro na forma como, a partir de pequenos detalhes, devasta as nossas emoções até aos limites da mais profunda angústia.

Vamos ter muito tempo para chorar. Não devemos, portanto, precipitar atitudes e comportamentos, nem deixar que sejam as emoções a falar por nós. É preciso não esquecermos que o Benfica perdeu numa meia-final europeia, à qual só chegaram 4 dos 200 clubes que participaram na prova. Não há muitos anos atrás estávamos no 91º lugar do ranking da UEFA, terminávamos o Campeonato Nacional em 6º lugar, e éramos eliminados da Taça de Portugal, em nossa casa, aos pés do modesto Gondomar. Não podemos confundir a tristeza de uma oportunidade desperdiçada (por mais difícil que ela seja de suportar), com qualquer sentimento de humilhação, vergonha ou desonra, palavras que não devem, sequer, ser aqui chamadas.

2010-2011 será, inquestionavelmente, uma temporada traumática para os benfiquistas. Mas é preciso manter a lucidez suficiente para perceber que esse trauma se deveu mais ao modo como se foram desenrolando, e aniquilando, as expectativas de vitória nas várias competições, do que propriamente aos resultados finais em si mesmos – pobres, é certo, mas muito longe de serem os piores dos últimos 15 anos.

Esta época trouxe-nos emoções extremamente negativas, mas não foi uma época extremamente negativa. A nossa angústia provém mais dessas emoções, do que dos resultados que lhes deram origem. Provém mais da forma, do que do conteúdo.

Foi, de facto, a forma como nos vimos afastados do Campeonato (vendo o principal rival festejá-lo em nossa casa), da Taça de Portugal (deitando para o lixo uma vantagem de 2-0 obtida fora), e da Liga Europa (com uma equipa portuguesa, teoricamente mais modesta, e depois de um triunfo na primeira-mão), que nos deixou destroçados, pois Campeonatos perdidos houve, infelizmente, muitos nas duas últimas décadas, finais de Taça já não as temos há seis anos, e meias-finais europeias não as disputávamos desde 1994. Sobrou ainda assim uma Taça da Liga, uma qualificação para a Champions, uma subida no ranking da UEFA, um recorde de vitórias consecutivas, e momentos de futebol espectáculo que as últimas semanas não podem fazer esquecer.

Qualquer análise objectiva à presente temporada terá de contemplar todos estes aspectos, e relativizar os estados de alma decorrentes de elevadas expectativas que não se puderam concretizar."


LF jornal "O Benfica" 13/05/2011

10 Comments:

Anonymous Anselmo Damásio said...

Subscrevo.
SAUDAÇÕES GLORIOSAS

16.5.11  
Anonymous Vitória do Benfica said...

Já tinha lido o texto no jornal " O Benfica" subscrevo em absoluto foi umas das derrotas mais duras e mais dificieis de engolir.

Mas uma pergunta fica no ar. Por onde anda Rui Costa?

16.5.11  
Anonymous Anónimo said...

parabens lf, conseguiu escrever um texto para esse jornaleco sem mencionar o fcp e os arbitros. esta a melhorar

16.5.11  
Anonymous Peter said...

Tem que se analisar meu caro LF com seriedade e independência tudo o que correu de mal nesta época responsabilizar os responsáveis, para que estes não cometam os mesmos erros sem medo de os melindrar porque eles foram eleitos foi para por o Benfica no topo e não no tipo de resultados que aconteceram nesta época, não devemos ser passivos e conformarmo-nos dizendo apenas que já tivemos épocas piores, isso desculpe-me que lhe diga mas é o modus operandi de alguns sportinguistas que até são figuras públicas.Até não desgostei da entrevista do presidente embora tb não a visse toda, no entanto tenho que dizer isto, detesto ouvir o meu presidente dizer uma coisa e o treinador dizer outra isto desculpe-me que lhe diga é falta de organização, um clube tem que ser um todo, as linhas orientadoras tem que ser traçadas e todos os elementos que a compõe tem que as cumprir religiosamente, senão é o caos, anarquia e desorganização.E na minha opinião as razões desta má época foram:1-Excesso de confiança por parte dos dirigentes e do treinador e principalmente deste último.2-Plantel mal estruturado nunca houve alternativas ao Salvio e ao Gaitan que diga-se de passagem tb só começaram a jogar bem ao fim de 3 meses da época estar a decorrer.3- Apoio irresponsável e irracional a um novo presidente da Liga ex-admnistrador da sad do fcp, e nas arbitragens notou-se bem esse erro, fcp quando em dificuldades sempre beneficiado, Benfica quase sempre prejudicado.4-A complacência com aquilo que é notório que é uma aliança fcp-braga, o Benfica devia cortar relações com o braga depois do que se passou no braga-Benfica para a Liga.5-As incompreensíveis más épocas de jogadores nucleares na época passada e dou como o exemplo o caso Saviola, um completo deserto de ideias e de golos comparado com a sua época transacta.Se fosse 1 jogador que tivesse estado no Mundial eu até compreenderia mas como não esteve para mim não tem desculpa, mas com isto que digo não quero de forma alguma que o jogador saia porque ele tem valor agora tem é que ser potenciado.6-A contratação do Roberto um dos maiores fiascos da história do Benfica pelo preço que custou deveria ter feito mais, não é que não lhe reconheça qualidades mas o problema é a sua irregularidade que transmite tb insegurança ao resto da equipa, ainda por cima falhou quase sempre em momentos chave, deveria ser emprestado.7- A má rotação de jogadores ou ausência dela como queira efectuada pelo treinador que rebentou com a equipa no final de fevereiro principio de Março.E relembro que muitos jogadores que foram alternativas válidas na época anterior praticamente não jogaram esta época, o Nuno Gomes (que não deve ser dispensado)e o Weldon que tão boa conta de si deram quando foram chamados na época anterior e no caso do Nuno tb esta época (sempre eficaz).8- Faz-me extrema confusão como é que 1 jogador como o Urreta não faz parte do plantel do Benfica, acho que o M.Vítor deveria regressar porque o Jardel ainda não me convenceu e dar uma oportunidade ao D.Simão, porque alternativas o Benfica até as tem mas o treinador é um bocadinho casmurro, gosto do ver o Benfica a jogar desde que o JJ chegou ao Benfica (quando está bem)mas tem teimosias que tb não lembram a ninguém, e muitas vezes nas conferências de imprensa é um desastre, mas alguém dentro do Benfica o devia ajudar até nisso, afinal os directores de comunicação estão lá para quê?

17.5.11  
Anonymous O GLORIOSO said...

Está a ver Luis Fialho como é assim que se defende o nosso Benfica.
Custou muito, caro a epoca deste ano mas desistir do nosso Glorioso nunca. Estamos na luta e o Benfiquismo é isso mesmo lutar e elevar o nome do clube. Ano negro para lembrar por muito tempo. Não repetir os mesmos erros e voltar cada vez mais forte. Confio no Presidente, no Rui e no Mestre Jesus são os mesmo que no ano passado nos deram o titulo e um futebol de sonho.
Cada vez tenho mais orgulho em ser do SPORT LISBOA E BENFICA

17.5.11  
Anonymous frank said...

Luis welcome back adorei ler o texto uma semana foi muito tempo sem ler a quem tao bem o sabe fazer,tambem essa derrota de braga para mim foi a mais dolorosa ,mas tambem a eliminacao com o Porto doeu que se fartou,o penalti falhado do Veloso tambem doeu muito,aquela final dos campeoes europeus perdida com o Manchester united em wembly 1-1 no tempo regulamentar em que o nosso Eusebio falha um golo certo mesmo acabar o tempo doeu que se fartou era eu um jovem mas marcou-me muito essa final,como me doeu aquela final perdida em S.Ciro com o Inter debaixo de chuva torrencial em que o germano foi para a baliza para o lugar de Costa Pereira,enfim os lagartos chegaram-me atirar a cara que nos eramos o clube mais leiteiro que podia existir no planeta, pura mentira temos sofrido mais que ninguem por causa da malvada sorte que nos tem perseguido atravez dos anos mas sou feliz por ter nascido Benfiquista viva o Benfica um dia vamos dar um pontape nessa maldita sorte para sempre.

17.5.11  
Anonymous Anónimo said...

Algo para reflectir:
nas ultimas duas participações do Porto na taça UEFA/Liga Europa, ganharam uma e chegam à final de outra. Qtas oportunidades, nesse intervalo de tempo, o Benfica teve de fazer semelhante? Pq n fez? Foram os árbitros?

17.5.11  
Blogger condor said...

Deixa lá oh eleefesito!
Vai ouvir as escutas!
Agora há um video novinho que o teu clube comprou e realizou!

17.5.11  
Anonymous xupa térêsa said...

Ora aí está ele de volta! Conseguiu aguentar 10 dias sem escrever sobre o sl e padeiros? Faço ideia qual não foi o sacrificío... Só não acerto no totoloto! Mas esta era fácil pois, não existe um lampião que consiga viver sem o seu clube, a familia que se lixe o slb é que interessa!!! Depois diga que não consegue viver sem a paixão pelo desporto eh eh eh. Como se sabe desporto (ou futebol) para um lampião é igual a sl e padeiros. É só rir eh eh eh. Aceite os meus cumprimentos e as suas melhoras.
AMOCHA BENFICA

17.5.11  
Blogger madne0 said...

Subscrevo completamente.

Pior coisa que o Benfica me fez sentir em toda a minha vida.

18.5.11  

Enviar um comentário

<< Home