04/04/11

DESFECHO ANUNCIADO


Ponto nº 1) O FC Porto tem uma excelente equipa, tem alguns grandes jogadores (Hulk, Falcão, Moutinho, Helton), conseguiu manter uma regularidade impressionante em toda a temporada, e nas partidas decisivas foi brilhante.

Ponto nº2) Sou um admirador confesso da força mental da equipa portista, que consegue sempre encontrar estímulos para disputar cada jogo como se de uma grande final se tratasse, exibindo índices de concentração pouco comuns, mesmo no âmbito europeu. Eis um aspecto em que o Benfica tinha a ganhar em aprender com o rival.

Ponto nº 3) Sobre a capacidade atlética - ainda mais impressionante - já aqui tenho manifestado as minhas sérias desconfianças. Mas há que reconhecer, no mínimo, a pertinência de uma política que aponta para a contratação preferencial de autênticos gladiadores (Hulk à cabeça, mas também Guarin, Fernando, Rolando, Varela, Otamendi etc), o que permite ao FC Porto superiorizar-se fisicamente a todos os seus adversários domésticos, e bater-se bem com os mais fortes batalhões do futebol internacional.

Ponto nº 4) André Villas-Boas conseguiu, em pouco tempo, colocar a equipa a jogar um futebol razoavelmente bonito e tremendamente eficaz, mostrando tratar-se, na verdade, de um grande treinador. Desconto-lhe os excessos de linguagem, que nem na hora da vitória soube evitar.

Por tudo o que acabei de escrever, esta equipa do FC Porto talvez não merecesse que o seu título ficasse manchado de ilicitude. Podia perfeitamente ter sido campeã de forma limpa, e, se fosse esse o caso, mereceria agora os meus conformados parabéns. Contudo, se a luz se apagou, a memória não se pode apagar. Eu gostava, honestamente, de poder ter a certeza de que, sem aquele avanço inicial oferecido por terceiros, o FC Porto tinha sido capaz de manter o mesmo grau de auto-confiança, de manter a mesma regularidade, a mesma segurança de jogo, e de resistir a um Benfica necessariamente muito mais empolgado, muito mais empertigado e apoiado freneticamente por milhões de adeptos, numa luta muito mais acesa, e, seguramente, também, muito mais bonita. Benquerença, Proença, Cosme, Sousa e Paixão não permitiram que assim fosse, estragando o campeonato logo na sua fase inicial, impedindo uma das equipas de o disputar em igualdade de circunstâncias, e mascarrando indelevelmente o mérito daquela que o acabou por conquistar. Tê-lo ia igualmente conseguido? Nunca ninguém o vai poder demonstrar de forma cabal.

Ao contrário do que André Villas-Boas quis dizer após o triunfo (teoria que alguns jornalistas se apressaram a subscrever), este jogo não provou absolutamente nada. Enquanto o FC Porto tinha a ganhar um título nacional, o Benfica já não tinha a ganhar coisa nenhuma. Maxi Pereira, Carlos Martins e Cardozo foram poupados, e as muitas cadeiras vazias nas bancadas reflectiram bem o estado de resignação do Benfica e dos benfiquistas face ao desfecho deste campeonato.

Seria bonito tentar defender a honra com unhas e dentes como o FC Porto fez há um ano atrás (quando, lembremos, ainda havia possibilidades efectivas de evitar que o Benfica fosse campeão). A Liga Europa, e o compromisso de quinta-feira aconselhavam, contudo, a muita prudência. Essa limitação fez toda a diferença, pois o Benfica foi, ao longo destes noventa minutos, uma equipa quase sempre hesitante, e pouco disponível para uma luta, necessariamente inglória, que lhe pudesse custar mais do que aquilo que já estava, de antemão, perdido.

Enquanto adepto do Benfica sou bastante pragmático. Eu próprio defendi, no jornal do clube, que o jogo de quinta-feira não deveria ser minimamente beliscado por este. Devo dizer agora que, de todas as derrotas que já vi o Benfica sofrer diante do seu grande rival (e já foram algumas) esta terá sido das que menos sofrimento me causou. Para mim foi quase como se de um jogo particular se tratasse, pois na verdade havia muito pouca coisa de palpável em causa. Imagine-se para os jogadores profissionais, que não têm 35 anos de benfiquismo ás costas, que se estão genericamente nas tintas para rivalidades portuguesas, e que querem neste momento, acima de tudo, brilhar na Liga Europa, e vencer as competições que estão sobre a mesa.

Termino elogiando telegraficamente as exibições de Saviola e Fábio Coentrão, e criticando, de igual modo, o critério disciplinar de Duarte Gomes.

PS: Acidentalmente (tinha ido às bilheteiras da Praça Centenário – para quem não saiba, mesmo defronte do habitual ponto de reunião dos No Name Boys - para saber se já lá havia ingressos para a Taça da Liga) vi-me envolvido nos confrontos entre a polícia e a claque do Benfica. Felizmente sem consequências físicas, pude testemunhar tudo o que se passou, isto antes de, ao som do tiroteio e dos petardos, ter de fugir para fora do recinto do estádio (onde reentrei depois pelos portões do Alto dos Moínhos). Daquilo que vi ressalta algum excesso de zelo das forças policiais em forçar a claque do Benfica a afastar-se para muito longe da zona por onde estavam a entrar os adeptos do FC Porto. Depois, claro, vi excessos de parte a parte, num país onde – ao contrário das séries americanas – nem sempre os polícias são os bons da fita. Gostava também de ter a certeza que os adeptos do Benfica, nas deslocações ao Porto, são tão bem protegidos como o foram os portistas nesta deslocação à Luz. Desconfio que não.

11 Comments:

Anonymous Vitória do Benfica said...

Luis
Subscrevo muito o que diz.
Jogo – Falta ao Benfica força anímica mas isto tem a ver muito com a mentalidade da gente do Norte. Ainda há pouco tempo assisti num almoço de amigos ao comentário “ Eu vou deixar aos meus filhos dinheiro para depois de eu morrer continuarem a pagar as quotas do FCP- Quero esses mouros fora de tudo o que é desporto”

Jogadores – Luís faltou-lhe falar da exibição de Roberto desastrosa nos primeiros minutos. Tenho pena que Roberto não seja um Helton. Falta ao Benfica força anímica quando chega à baliza não é rápido em pensamento, veja-se nos minutos finais final do jogo, toda aquela confusão de certeza que na baliza do Porto isso não se passaria. Como era possível o Varela passear-se sozinho como se nada acontecesse.

Pancadaria - Eu assisti da ponte por cima da claque dos NN à cena de pancadaria, pedradas e aos tiros de balas de borracha. Depois assisti também a um policia completamente fora de controlo á saída da ponte, por cima das bilheteiras. O policia batia com o bastão a quem lhe aparecia por perto. È inadmissível a falta de controlo de alguns agentes da autoridade. Aquilo que se passou não foi mais que a revolta das pessoas contra

4.4.11  
Anonymous Otto said...

E para piorar as coisas em relação ao tratamento dos adeptos, hoje de manhã num dos blocos de notícias de manhã havia a referência a que houve uma detenção de um adepto(benfiquista) por ter arremessado um berlinde em direcção ao banco do FCP, que acabou por atingir um agente de autoridade!!! Um berlinde!!! Bolas de golf, com tipos aparecem, ou melhor, serem captados pelas câmaras da sporttv atingirem um treinador nada...ninguém fez nada!!! Claro que a diferença entre estes dois actos, também se deve ao facto de um jogo ser na Luz e o adepto ser do benfica; no outro caso foi no Dragão e o adepto era do porto!!! O tratamento tem de ser igual, os actos são ambos condenáveis, mas parece que aos olhos das autoridades é mais perigoso ser se do Benfica!!!

4.4.11  
Anonymous Peter said...

Concordo em absoluto com o que diz LF mas devo acrescentar um facto o Roberto não é guarda-redes para o Benfica, e para mim este jogo foi perdido aí, o Roberto tanto faz defesas fantásticas como logo a seguir enterra tudo, faz-me lembrar o Moretto, e o 1º golo do fcp é absolutamente ridículo, o guarin queria centrar nem sequer queria rematar e o Roberto dá um frango daqueles! Depois do início da época de braga e de ontem só resta ao Benfica procurar um novo guarda-redes para a próxima época.

4.4.11  
Anonymous EAGLEHEART said...

Simplesmente uma das maiores HUMILHAÇÔES desportivas de sempre, foi demais para mim. nunca na minha vida irei esquecer esta enorme vergonha, sou um Benfiquista do norte e acreditem isto a nós custa-nos muito mais. quanto ao apagão foi a coisa mais sensata que aconteceu naquele jogo de merda, queriam o que? que os Cabrões dos corruptos festejassem o titulo em pleno solo sagrado com tudo ás claras? é com merdas de mentalidades do somos diferentes deles que eles nos andam a enrabar á 30 anos. só mesmo a vitoria na Liga europa seria capaz de apagar este triste , estupido e patético momento da história do glorioso. estes Cabrões estão muito perto de baterem todos os nossos recordes e vitórias e venham lá com as merdas das historinhas dos arbitros, das putas e da corrupção, hoje foram 11 contra 11 e mais tarde 10 contra 10, com arbitragem isenta e os gajos simplesmente cagaram-nos em cima. estou de rastos, estou morto por dentro.

4.4.11  
Anonymous Pedro said...

Em relação à qualidade da equipa do Porto, há mais casos do mesmo género. Por exemplo, em 2006 na Volta à França o Floyd Landis numa etapa decisiva mostrou uma força física e mental impressionantes, aliadas a uma resistência fantástica e garantiu a vitória na etapa e na prova de forma épica...

Em relação aos confrontos, acho interessante o ênfase que toda a comunicação social está a dar a uma situação que foi criada por eles e pelas autoridades. O Benfica foi atacado uma vez, ninguém foi punido e ainda gozaram com as vitimas, deixou-se passar. À 2ª, ficou um sentimento de revolta, mas deixou-se passar. A partir da 3ª, 4ª e 5ª, atinge-se o limite e é normal que se riposte assim que surja a oportunidade.

Em relação à "vitória" do Porto no campeonato, está à vista de todos como foi conquistada, aliás vê-se até pelos festejos e reacções que as "vitórias" do Porto não têm aquele sabor puro de vitória que têm as de outros clubes que jogam e ganham limpo.

Para acabar, acho que o único elemento do Porto que merece ser felicitado é o João Moutinho, pela coragem que teve de forçar a saída do clube onde estava, onde era capitão e um símbolo da equipa, mas sabia que era impossível ser campeão ali e a sua carreira estava a regredir de forma quase irreversível à conta de goleadas de 12-1, festejos de 2º lugares, fracas exibições, etc. Com esta atitude corajosa, acabou por ganhar um campeonato, de forma ilícita é certo, mas conseguiu valorizar-se como jogador e relançar uma carreira que parecia perdida. Certamente será um exemplo a seguir para muitos jovens do Sporting.

4.4.11  
Blogger José Sousa said...

Caro LF
Antes de mais informo que sou sócio do Benfica e, naturalmente, fiquei triste com o resultado. Mas não posso deixar de condenar o apagão e a ligação do sistema de rega no final do encontro.
Além do perigo que representou, em questão de segurança, indiciou falta de fair-play, de mau perder e, acima de tudo, deu razões para a habitual vitimização que o nosso rival tanto gosta de invocar.
A grandeza do Benfica tem de ser mostrada de outra maneira.
Saudações Benfiquistas

4.4.11  
Anonymous Anónimo said...

Caro Lf explique se souber este acontecimento:
Alguém me sabe explicar o porque na entrada das duas equipas benfica/ porto a equipa do porto não tinha miudos representados???

5.4.11  
Anonymous Anónimo said...

"esta equipa do FC Porto talvez não merecesse que o seu título ficasse manchado de ilicitude. Podia perfeitamente ter sido campeã de forma limpa..."

Onde é que eu já ouvi isto?

Ano após ano é a mesma conversa... Nos últimos 35 anos, só em 2004, com o apito dourado a apertar-lhes as bolas, não foram cobardemente ajudados... Um excelente mas super defensivo Trapatoni e uma boa equipa, muito aquém de muitas outras que o Benfica teve nestes 35 anos, foram suficientes para ganhar o campeonato.

E que fazemos para acabar com o Xistrema? Os estatutos da FPF continuam por aprovar... Continuamos a permitir que árbitros da AFPorko nos arbitrem jogos... Continuamos a não exigir um controle de doping eficaz e não manipulado (lembremos o controle ao Olhanense antes da visita do fócuporko)... Continuamos a não denunciar uma imprensa servil e avençada... Continuamos a permitir que jogadores e treinadores afectos ao fócuporko proliferem de forma a morrerem em campo contra o Glorioso e a abrirem as pernas ao fcp... e continuamos a ser os principais patrocinadores de um futebol rasteiro, mesquinho e criminoso que não nos merece...

FranciscoB

5.4.11  
Anonymous iBenfiquista said...

Vitória, desculpe lá, mas que comentário mais disparatado. Com que então as pessoas do norte tem outra mentalidade, mais força anímica? Eu, que sou do norte, não acho que seja assim. O que existe no norte, e é mais uma prova do seu atraso social, que é real, é a quantidade de pessoas frustradas, ressabiadas, verdadeiros atrasados mentais que odeiam porque culpam outros do seu próprio atraso. E que são profundamente ignorantes.

Sabia que os genes dos Mouros estão predominantemente, e quase exclusivamente, no norte de Portugal? Se quiser publico-lhe aqui um investigação feita, ironia das ironias, na Universidade do Porto, que corrobora precisamente isso.

Eu por vezes comparo essa maneira de pensar aos nazis, que culpavam os judeus pelas suas próprias frustrações. E aproveitavam-se disso para os roubar (Onde é que eu já vi isto?). Reservadas as distâncias, a psicologia subjacente é exactamente a mesma.

Eles estão conscientes do seu atraso. Como essa pessoa que disse, "quer ver os mouros de fora de tudo o que é desporto". Isso é uma frase racista e xenófoba. Acha que isso é para ser levado a sério? Isso é terrivelmente censurável.

Se os "talibans" dissessem que querem ver os imperialistas americanos de fora de tudo o que é país, iria dizer que eles têm mais força anímica, ou mesmo que têm razão? Só se essa força for retirada do seu fanatismo. Mas não é nada que nós, pessoas civilizadas, ambicionemos ou admiremos. Isso são atitudes de gente social e mentalmente atrasada e que deve ser sempre repudiada.

5.4.11  
Anonymous iBenfiquista said...

E já agora, um comentário que fiz noutro blogue.

"Nem me apetece comentar, mas tenho de molhar o bico...

Em primeiro lugar acho que os dois penalties e as duas expulsões foram correctas. O Cardoso perdeu a cabeça à semelhança do Luisão lá. Enfim, só a perde quem anda no campo, mas estou convencido que se temos continuado com ele, tínhamos empatado.

Os andrades entraram relaxados, empurrados por 13 pontos de vantagem, enquanto o Benfica entrou ansioso, angustiado e muito inseguro. Notou-se bem nos jogadores. E não houve tempo para acalmar, pois sofremos um golo cedo.

Para além de concordar que o Javi devia ter tido ajuda no meio campo (o JJ "is too bullish", demasiado optimista), os andrades jogaram sempre no nosso erro e aproveitaram-se bem desses erros para fazerem os golos. Mais uma vez o JJ não foi precavido nem sagaz.

Tirando as escorregadelas que deram origem a contra ataques (Javi duas vezes), a entrega de bolas ao adversário (Sidney) e o frango (Roberto), quem mais ocasiões é que criaram? O Hulk, o jogador mais fantástico do universo, foi uma verdadeira nódoa! Aliás o Hulk na minha opinião não passa de um bluff. Sempre que é bem marcado, quando lhe tiram os espaços, não faz nada. Absolutamente nada! E não é a primeira vez. O próprio Falcão, a melhor ocasião foi uma oferta do Sidney.

Eles tiveram ocasião para marcar muitos? Ai sim? E nós? Quantas ocasiões, em jogo jogado, criámos?

Tivemos 6 remates à baliza (o mesmo que eles) e um na trave. Mas dos 6 remates deles, um foi penalty (jogada oferecida), outro frango, dois ou três de jogadas oferecidas (erros nossos).

Estou convencido que se tivéssemos marcado primeiro tínhamos ganho o jogo facilmente. Relaxávamos e eles enervavam-se. A nossa angustia e ansiedade desapareciam como que por encanto.

Enfim, não vale a pena bater mais no ceguinho. Temos ainda muito pela frente. Temos de recuperar os jogadores para 5ª feira, muito importante, e temos mais um jogo com os andrades que nos dará uma nova final. Este sim, é importante.


Outra coisa: os benfiquistas são bipolares, são esquizofrénicos, são ou oito ou oitenta. Agora já começam a "EXIGIR" a vitória na Liga Europa? Mas estarão bons da cabeça? Acham que estamos a jogar sozinhos? Tenham lá calma. Vamos jogo a jogo.

Nesse aspecto, os nossos inimigos e adversários têm razão. Por vezes, embora o não sejamos, parecemos de facto arrogantes.

Aspiremos, sonhemos, desejemos, tudo que quiserem, ganhar. Sonhemos acordados, mas CALADOS!

PS. Sim, também tinha preferido o Luis Filipe a lateral direito."

5.4.11  
Anonymous Peter said...

Concordo em absoluto com o IBenfifiquista e como FramciscoB, em relação ao que o José Sousa diz devo só recordar que o fcp fez o mesmo ao Benfica para a taça de Portugal,claro que a comunicação social do porto esconde tudo do Benfica não se pode fazer nada que cai logo o carmo e a trindade, em relação aos miúdos entrarem com as duas equipas, o fcp recusou-se a entrar com crianças vestidas á Benfica.

5.4.11  

Enviar um comentário

<< Home