07/02/11

E VÃO 15...

Estávamos no dia 9 de Setembro de 2010 quando uma arbitragem fantasmagórica de Olegário Benquerença ditou a derrota do Benfica em Guimarães. Daí para cá passaram-se já cinco meses, e nos 14 jogos do campeonato entretanto realizados os encarnados venceram 13, perdendo apenas no recinto do primeiro classificado.
Se preferirmos fazer as contas a todas as competições nacionais, desde a derrota no Dragão o Benfica soma 15 triunfos consecutivos, algo que nem na época passada (uma das melhores das últimas décadas) conseguira fazer. Outro número: no ano civil de 2011, já lá vão 10 vitórias, sem qualquer empate ou derrota pelo meio.
Ou seja, para procurarmos as razões do atraso pontual na classificação da Liga, teremos de olhar exclusivamente para o período compreendido entre os dias 15 de Agosto e 9 de Setembro, quando muita coisa estranha se passou, nomeadamente em termos de arbitragens. Daí para cá temos um Benfica fortíssimo, à imagem e semelhança do grande campeão 2009-2010.
Foi pois uma equipa confiante, e super-moralizada por uma categórica vitória a meio da semana para a Taça de Portugal, que chegou ao Estádio do Bonfim para mais uma jornada, sabendo que estava, nesse momento, a 14 pontos da liderança do campeonato. À sua espera estava um Vitória de Setúbal muito organizado, muito combativo, com algumas unidades capazes de criar desequilíbrios, e que no seu estádio tem por hábito criar grandes dificuldades aos clubes lisboetas.
Tem de dizer-se desde já que este não foi um dos melhores jogos do Benfica deste período. A equipa sadina equilibrou quase sempre a partida, criou ocasiões para marcar, e a vantagem benfiquista conseguida num esplêndido golo de Gaitán à beira do intervalo era, nessa altura, algo lisonjeira para aquilo que se tinha passado em campo até então.
Se durante a primeira parte as duas equipas se equivaleram, no início da segunda o Vitória entrou até mais forte, ameaçando seriamente o golo da igualdade. Só na ponta final do desafio – sobretudo após as substituições efectuadas de um e de outro lado – o Benfica tomou definitivamente as rédeas do jogo, deixando uma última imagem de superioridade que não correspondeu inteiramente ao futebol produzido pelos dois conjuntos ao longo de cerca de 70 minutos. Isto não significa que a vitória encarnada tenha sido imerecida – foi-o, quer pelas oportunidades criadas, quer pela qualidade de algumas acções individuais que fizeram a diferença -, mas antes que esteve longe de se traduzir em qualquer tipo de facilidade, ao contrário do que à primeira vista possa parecer.
Talvez o desgaste causado pela partida do Dragão tenha pesado no corpo e na mente dos jogadores. A verdade é que o tipo de pressão e agressividade colocadas nas disputas de bola pouco teve a ver com aquele que o Benfica conseguira desenvolver na partida da Taça com o seu rival. Durante largos minutos prevaleceu a sensação de um Benfica macio, e confiante na sorte e no talento individual das suas principais unidades – sorte e talento que, diga-lhe, acabaram efectivamente por aparecer, resolvendo todos os problemas.
O que fica é contudo mais uma vitória, e a continuação de uma sequência de resultados verdadeiramente notável. Se dará para ainda lutar pelo primeiro lugar? Sabem já a minha opinião. Seja como for, todos estes triunfos não deixam de constituir um óptimo sinal para o futuro próximo, o qual está longe de se circunscrever ao campeonato nacional.
No plano individual há a destacar os autores dos golos (sobretudo Gaitán, que esteve mais tempo em campo, e realizou uma excelente exibição), mas também Luisão e Javi Garcia, ambos em grande momento de forma.
Falta apenas falar de Cosme Machado, que num jogo sem casos demasiado complicados para analisar, acabou por se deixar enlear na sua própria incompetência, cometendo erros que prejudicaram ambas as equipas (sobretudo o Benfica, com um golo mal anulado), e utilizando um estranhíssimo critério disciplinar que penalizou muitas vezes o que não devia, ao mesmo tempo que deixava passar situações de maior gravidade. Enfim, este juiz minhoto é um caso perdido.

8 Comments:

Blogger chi dura vince said...

A operação vindima deixou marcas bem profundas....

7.2.11  
Anonymous Anónimo said...

Caro Lf,

Falamos durante esta semana sobre se beluschi e cardozo nao deveiam ter sdo expulsos por agressao. Eu dei a minha opiniao, a cerca desse assunto e voce disse que para si os amarelos estavam justos pois hvia entradas as pernas mais perigosas. Concordo consigo, ha entradas a matar que merecem mais vermelho do que um agressao ou tentativa de agressao. No entanto, gostaria de lhe perguntar se viu a entrada do saviola ainda na primeira parte, lance que depois o miguelito corta a bola em cima da linha de golo, e do cesar peixoto que entrou a mostrar os pitoes ja no fim da partida e viu amarelo. De resto, parece-me que o benfica nao esteve tao bem como nos ultimos jogos, 2-0 parece-me pesdo e sim, o golo parece-me mal anulado tambem.

Cumprimentos

7.2.11  
Blogger Rui said...

e contra a academica? etc etc

7.2.11  
Blogger LF said...

"ao mesmo tempo que deixava passar situações de maior gravidade"

Quando escrevi isto estava-me a lembrar também desses lances.

Aceitaria efectivamente melhor uma expulsão num destes lances, do que naquele de Cardozo no Dragão.

7.2.11  
Anonymous Peter said...

Um jogo dificil o vitoria e uma boa equipa e ja no dragao o tinha demonstrado so que nesse jogo foi muitissimo prejudicado pela arbitragem. Apesar de o jogo ter sido bastante equilibrado e o Benfica ter passado em determinados periodos por algum sufoco, a verdade e que soube resistir a adversidade, acho sinceramente que o JJ e o LF tem razao a equipa estava algo desgastada devido ao jogo de 4ªfeira passada. Neste momento tb concordo que o Benfica e a melhor equipa em Portugal no entanto a verdade e que apesar das fracas exibiçoes o fcp la vai vencendo os seus jogos, resta-nos continuar a acreditar e esperar por alguns deslizes (se os arbitros deixarem)para diminuirmos a desvantagem.No entanto acho que o mais importante e manter esta toada vitoriosa em todas as competiçoes e se possivel a qualidade de jogo ser ainda melhor, tb concordo que o Luisao e o Javi estao em grande momento de forma.

7.2.11  
Anonymous Anónimo said...

O mais importante, é que consigamos lá chegar ou não, os adeptos do Benfica estejam, e estão, com a equipa, gostem do que veêm e da atitude em cada jogo e que apoiem sempre esta equipa tecnica e estes jogadores, pois apesar da dificuldade em chegar ao primeiro lugar ha um estatuto para manter e varias competicoes para ganhar e chegar longe.Força Benfica, sempre contigo.

7.2.11  
Anonymous Anónimo said...

Pronto Lf, era so isso. Só nao sabia se se lembrava desses lances, apenas fiz um comentario, estava so a espera que fizesse o que faz quando se trata do fcp, em analisar os lances um a um em vez de ser geral. Mas pronto, reconhece que poderiam ter sido expulsos. estava so a espera que fizesse referencia na classifica~çao real, uma vez que a falta a que me refiro de saviola ocorreu com o jogo empatado a zero.

cumprimentos

8.2.11  
Anonymous Vitória do Benfica said...

Não adianta falar, porque enquanto for esta a direcção do FCP o futebol português terá sempre arbitros da qualidade e Cosme Machado. O importante é fortalecer o Benfica, porque Pinto da Costa não queria LFV no Benfica ele sabia bem porquê, as razões estão á vista de todos, com um Benfica assim, não voltará a haver pentas ou tetras ou mesmos tri.

8.2.11  

Enviar um comentário

<< Home