16/03/10

CLASSIFICAÇÃO REAL

Se a polémica em torno das arbitragens fosse proporcional ao número e à gravidade dos erros cometidos, ao longo de toda esta semana não se falaria noutra coisa. Contudo, sendo FC Porto e Sporting os mais beneficiados nesta ronda, estando afastados da discussão do título, e de algum modo resignados com a forte possibilidade de o Benfica o conquistar, tudo parece bem mais pacificado.

SP.BRAGA-RIO AVE
Só vi os últimos minutos do jogo, e quero acreditar que antes não se tenha passado nada que belisque a sofrida vitória bracarense.
Resultado Real: 1-0

ACADÉMICA-FC PORTO
Arbitragem desastrada de João Capela, cometendo erros graves em série, sobretudo em prejuízo da Académica. Vejamo-los:
- Tudo começa com um penálti por assinalar a favor da equipa de Villas-Boas, por toque de Miguel Lopes no pé de apoio de Sogou.
- O penálti favorável à Académica, as dúvidas que possam subsistir prendem-se mais com a qualidade da transmissão televisiva. É que no meu ponto de vista existe claramente um empurrão pelas costas de Bruno Alves ao avançado estudante, mas a realização televisiva fez o “favor” de omitir os melhores ângulos para se perceber a falta. Um caso que já originou protestos em vários quadrantes.
- Já o penálti assinalado a favor do FC Porto deixa muitas dúvidas. Rui Neréu parece tentar evitar o contacto, e é Falcão que força a queda. Escreveu-se direito por linhas tortas, e o colombiano falhou.
- Pelo meio, creio que o golo do empate portista é ilegal. Não por fora-de-jogo, pois a bola vem de um defesa da Académica, mas por carga de Bruno Alves quando salta com o outro defensor sobre a linha de baliza, impedindo-o com o braço de chegar à bola.
- Há ainda um lance de dúvida envolvendo Ruben Micael, mas parece-me ser o madeirense a forçar a queda.
Resultado Real: um golo ilegal para o Porto, um penálti por marcar para a Académica e temos o resultado ao contrário, 2-1.

SPORTING-V.GUIMARÃES
Em Alvalade, Bruno Paixão e os seus auxiliares não estiveram melhor.
Nunca compreendi como é que Pedro Henriques, que quase não marca faltas, assinalou aquela mão de Miguel Vítor no Benfica-Nacional do ano passado. Da mesma forma, custo a entender que Bruno Paixão, que assinala 40 faltas por jogo, deixe passar em claro duas grandes penalidades claras contra o Sporting, ambas por mão na área (a primeira de Polga, a segunda creio que de Saleiro). A menos que se tratasse de cumprir a missão patriótica de ajudar a motivar a equipa de Carvalhar para o jogo de quinta-feira.
Um dos fiscais-de-linha acompanhou o árbitro no desnorte. No primeiro golo Grimi está em fora-de-jogo, e pouco depois foi anulado um golo a Saleiro com este em posição legal. Se neste último particular as contas se equilibram, com os penáltis que ficaram por marcar o Guimarães poderia ter conquistado um ponto.
E Miguel Veloso ficou por expulsar…
Resultado Real: 3-3

NACIONAL-BENFICA
A mentira choca-me sempre. Mas quando é tão absurda, quando está à vista de todos, quando nem se preocupa em disfarçar-se de verdade, além de detestável torna-se também ridícula.
Miguel Sousa Tavares escreve hoje n’“A Bola” que o golo de Cardozo foi obtido em fora-de-jogo. Ou ele não viu bem as imagens, ou pensa que os leitores não as viram (pelo menos a parte deles que ele tenta enganar). Quando Ruben Amorim faz o passe está para lá da linha de pequena área, e Cardozo está um bom metro atrás dela, pelo que o golo é legalíssimo, e nem Manuel Machado protestou.
Já no lance do penálti parece-me que Paulo Baptista errou. Há falta, mas dá a sensação de ser cometida fora da área, embora na posição em que o árbitro se encontra se perceba o equívoco. É um lance difícil de avaliar, e mais uma vez a realização televisiva poderia ter feito muito melhor. De qualquer modo, o falhanço de Cardozo retirou protagonismo ao caso.
De resto, um livre mal assinalado por alegada mão de David Luíz, e outro por assinalar por corte com o cotovelo de Cardozo, ambos sobre a linha da área benfiquista, e ambos na ponta final do desafio, equilibram-se no deve e haver das equipas.
Resultado Real: 0-1

CLASSIFICAÇÃO REAL
BENFICA 63
Sp.Braga 48
FC Porto 44
Sporting 39

Etiquetas:

15 Comments:

Blogger preto said...

Faltou falar do 2º amarelo ao Bruno Alves que ficou no bolso!

16.3.10  
Anonymous Mário said...

Caro LF se a mão do Polga é falta, penso então que a mão do jogador do Braga contra o rio Ave também seria. Foi já mesmo no final do jogo deve ter visto.

Esse lance do cardozo que refere para mim não é falta.

Saudações Benfiquistas

16.3.10  
Anonymous Vitória do Benfica said...

Os dilates de Sousa Tavares são um atentado á honestidade intelectual de cada um. Eu deixei de ler ou ouvir o que dizem os colunistas do Porto. Não sei de Francisco Jodé Viegas, mas penso ser o único que não alinha com o amigo da rapariga que agora compra Dior e há vinte horas vestia na Rocinha

16.3.10  
Anonymous Anónimo said...

LF, não acho que o lance do Saleiro seja penalti, na verdade o jogador do guimarães salta sobre ele e o Saleiro encolhe-se (nem está a olhar para a bola). Depois a bola vai contra o braço...

16.3.10  
Anonymous David said...

O 2º amarelo por mostrar ao Bruno Alves já é um clássico! Nem vale a pena falar nisso, o homem tem um estatuto qualquer de imunidade às expulsões.

Só vi o jogo do Benfica e discordo muito da análise do LF. Não consigo vislumbrar qualquer falta sobre o David Luiz no lance do penalti (embora à primeira vista a queda tenha sido tão convincente que pensei mesmo que havia falta). Na minha opinião não há mão do David Luiz, nem do Cardozo. Em ambos os lances os jogadores têm o braço junto ao corpo, não aumentando o raio de acção, e não há qualquer intencionalidade. Isto para mim é mais do que suficiente para não haver falta. Aliás, para mim também não há falta do Polga, num lance que por acaso vi ontem num zapping. Se estes lances são falta, o futebol torna-se muito mais aleatório. As mãos e os braços fazem parte do corpo e é natural que a bola vá lá bater quando os jogadores se fazem aos lances. O que não é natural é obrigá-los a esconder os braços.

Conseguir encontrar alguma irregularidade no golo do Benfica só está ao alcance de mentes muito perturbadas!

16.3.10  
Blogger PedroBM said...

Porque nao muda o nome deste segmento de "Classificacao Real" para "Classificacao Benfiquista"? - ao menos os leitores que possam achar que este blogue e imparcial ja perceberiam melhor...

Concordo que no golo do benfica nao ha fora de jogo, agora as reviravoltas necessarias para achar que o Porto foi beneficiado... Entao as imagens nao mostram falta, mas voce acha que foi e por isso tem de ser falta??? Ou sera que voce queria ver falta e ve-a mesmo quando nao existe?
E ja que leu o MST, nao se lembrou do jogador da Academica que deveria ser expulso? Ou nao refere que o treinador da Academica (como o do Nacional) nao se queixou da arbitragem?

16.3.10  
Blogger LF said...

Pedro,

Eu n�o disse que as imagens n�o mostram falta.
Disse que s�o de m� qualidade, o que adensa as d�vidas.

Para fazer a classifica�o tenho, tamb�m eu, de tomar decis�es. Daquilo que se v� parece-me existir um empurr�o de Bruno Alves pelas costas do advers�rio.

O que n�o se v� mas suspeito, � que a falta de repeti�es tem como objectivo lan�ar a d�vida num lance com tudo para ser claro.

16.3.10  
Blogger LF said...

Este comentário foi removido pelo autor.

16.3.10  
Blogger LF said...

As mãos na bola e bolas na mão são difíceis de avaliar.

Para mim, sempre que o contacto da bola com a mão a retira da sua trajectória natural, acho que é para se marcar falta.
Não é possível saber se há ou não intenção, pois só o próprio jogador o saberá.

Mas aceito que os árbitros tenham outro critério. Devem é mantê-lo sempre equilibrado.


Segundo o meu, aceito que o lance do Braga também seja penálti. Mas como praticamente não vi repetições, não o pude levar em conta.

16.3.10  
Anonymous David said...

«Para mim, sempre que o contacto da bola com a mão a retira da sua trajectória natural, acho que é para se marcar falta.
Não é possível saber se há ou não intenção, pois só o próprio jogador o saberá.»

Ok, é um critério válido e talvez o mais fácil de implementar. À luz desse critério já entendo melhor a tua análise aos lances desta jornada.

Mas também me parece um critério que pode contribuir para que a aleatoriedade decida jogos. Eu preferia ver implementado um critério oposto. Para mim seria falta sempre que o braço ou a mão estivessem numa posição anormal que aumente o raio de acção do corpo ou sempre que haja intenção clara. Aqui a questão é distinguir entre intenção de jogar a bola e intenção de jogar a bola com o braço. O lance do Polga é um bom exemplo. É óbvio que o Polga pretendia interceptar a bola e faz-se ao lance nesse sentido. Dá o corpo à bola e esta acaba por atingir o braço que está ao longo do corpo, numa posição normal. Que ele tinha intenção de jogar a bola é claro. Mas será que tinha intenção de a jogar especificamente com o braço? Não me parece.

Outro bom exemplo é o lance do Abel Xavier no Euro2000. Ele dá o corpo à bola, mas ao perceber que não vai conseguir interceptá-la, afasta ligeiramente o antebraço do corpo com intenção (consciente ou inconsciente) de cortar o lance. Após ver as repetições fica claro que é um penalti bem assinalado, se bem que, segundo o meu critério, não me chocaria que o árbitro não o assinalasse após ver o lance corrido uma única vez.

Mas esta é realmente uma questão complicada e o que aborrece é que não há um critério claro para analisar estes lances. Cada árbitro e cada comentador analisa segundo a conveniência e cor das camisolas.

16.3.10  
Anonymous Anónimo said...

vitoria, os seus comentarios tambem sao um atentado ao futebol e mesmo assim continua a vir para aqui escrever as baboseiras que escreve.

LF, o lance do golo do porto é falta do bruno alves? tenha juizo. que culpa tem ele de saltar muito mais que o adversario? se fosse o luisao ou david luiz a fazer aquilo teria o mesmo julgamento? n me parece muito sinceramente. Disse que tem de tomar decisoes, entao porque k as suas decisoes sao sempre iguais em caso de duvida? em caso de duvida poe o porto a ser beneficiado e o benfica sempre prejudicado. para se fazer algo como quer fazer é necessário ter uma imparcialidade que voce nao consegue ter neste momento

16.3.10  
Anonymous Anónimo said...

LF, o seu critério, com o devido respeito, leva a que praticamente toda e qualquer bola na mão seja penalti, porque quase todas alteram a trajectória natural da bola.

Por exemplo o lance do Katsouranis contra o Sporting, aquele em que ele coloca os braços junto ao corpo, altera a trajectória da bola (ia a movimentar-se e parou), devo depreender, por isso, que se trata de penalti segundo o seu critério (trata-se de uma pequena provocação...):)

Agora mais a sério, o critério, no meu entender, tem de ser o que consta das regras, se as regras mandam atender à intenção, então temos de tentar perceber se houve intenção ou não... qualquer outro critério, por não aplicar de forma correcta as regras, tenho-o como "ilegal". São decisões díficeis, certamente, mas não vamos deixar de aplicar a lei apenas porque é mais cómodo ajuizar de outra forma (ou melhor, com outro critério).

17.3.10  
Anonymous xupa térêsa said...

Finalmente o nosso amigo LF já percebeu porque é que o Pedro Henriques marcou mão ao Miguel Vitor, no famoso jogo contra o Nacional, Aleluia! O golo foi anulado precisamente porque, a bola ao bater no braço do MV mudou a sua trajectória natural e benificiou os lampiões!
Também adoro a sua classificação "real" ou lá o que lhe chama. Farto-me de rir com aquilo (não estou a brincar, é mesmo verdade). Tenho duas sugestões para si:
1- atribua já 90 pontos aos lampiões e fica livre desse post até ao final da época.
2- marque uma consulta com o seu psicólogo.
Adeus e tenha calma porque, qualquer dia destes dá-lhe uma coisa má.

17.3.10  
Anonymous Nuno said...

Na minha opinião (sportinguista), o lance do Polga é falta. Ao contrário do que se diz, não é por mudar a trajectória da bola (não é isso que diz a Lei... mas o que é a "Lei"), mas porque o jogador movimenta o braço e corta o lance. E não sendo à queima-roupa... Embora se possa discutir que o braço está numa posição natural, ao contrário do lance do Cardozo, em que os braços estão estendidos... ainda assim, acho que é falta.
No do Saleiro, dizer que aquilo é falta não é facciosismo ou parcialidade... é mesmo desonestidade. Ou estupidez. O jogador do Guimarães está empoleirado nele, a bola bate-lhe no braço... e é penalty? LF, contrate um exorcista, porque o espírito do MST apoderou-se de si.

17.3.10  
Blogger GT Abarth said...

Quem esteve em Alvalade e viu o jogo, apanhar aqui com um 3-3 é de bradar aos céus.

Saleiro sofre falta. IRRA!

Não se fala, mas dois jogadores do Guimarães vinham para a rua com 2 amarelos cada.

18.3.10  

Enviar um comentário

<< Home