26/03/09

OS PERSONAGENS, POR ORDEM DE ENTRADA EM CENA

LUCÍLIO BAPTISTA – Foi o grande protagonista da novela. Errou, como muitas vezes ao longo da carreira, mas desta vez penalizando o Sporting, e logo numa final com o Benfica (uii…). Voltou a errar no dia seguinte, aceitando uma entrevista televisiva para a qual não estava manifestamente preparado.
Tenho para mim que Lucílio Baptista terá ficado com dúvidas no lance do David Luíz, ocorrido pouco antes, e não quis correr riscos de deixar dois penáltis por assinalar contra a mesma equipa. É claro que muitas das decisões dos árbitros são tomadas por intuição – só por ingenuidade o poderemos negar – e o que é certo é que ninguém pode afirmar com honestidade que teve certezas antes de ver as repetições televisivas. Mas as justificações dadas pelo árbitro não o ajudaram nada.
Viu, com este jogo, a sua carreira posta em causa, mas nenhum dos grandes clubes irá chorar uma lágrima por ele.

PEDRO SILVA – O que ele fez não tem perdão, e só a má consciência de Lucílio Baptista o poderá poupar a uma punição exemplar.
Compreende-se o seu desespero, e até se entenderia a destemperada reacção inicial. Mas, passada mais de meia hora, fazer novo número de circo atirando a medalha ao ar, desrespeitando liga, espectadores, patrocinadores, adversários e colegas, já é mais difícil de aceitar.
Três mesinhos sem jogar só lhe fariam bem, e talvez percebesse que um profissional de futebol tem responsabilidades éticas e de comportamento que não pode nunca pôr de lado. Veja-se o comportamento de Yebda no jogo do Dragão, e perceba-se a diferença.
Também a declaração sobre o filho era dispensável, fazendo lembrar as ridículas juras pintodacostistas.

PAULO BENTO – Desde que o vi ter o desplante de vociferar contra uma arbitragem numa flash interview, apenas cinco minutos depois de Moutinho rasteirar impunemente Adu dentro da área do Sporting num dos últimos derbies na Luz, perdi todo o respeito pelas suas considerações sobre o tema. Nunca disfarçou – nem muito menos agora – que, conhecendo bem o futebol português, utiliza os microfones para tentar influenciar as arbitragens futuras, e foi ele o único treinador que falou das mesmas antes ainda de se iniciar o campeonato. Foi ele também o único personagem desta história a falar objectivamente do segundo lugar, como que a pedi-lo em jeito de indemnização.
A sua voz não tem pois credibilidade alguma em matéria de arbitragem, e está mais do que gasta. É um excelente treinador, mas devia falar menos.

QUIQUE FLORES – Se o tenho criticado pelo comportamento da equipa em campo, a sua atitude fora dele é absolutamente exemplar.
Tem, como ninguém, a autoridade moral de levantar a taça sem baixar a cabeça, pois nunca, desde que está em Portugal, falou de qualquer arbitragem. E motivos não lhe faltaram.

LIEDSON – Acabou por ser, de entre as vozes leoninas, o que mais ponderação teve no que disse. Lamentou o prejuízo, mas, mesmo falando a quente, foi capaz de olhar para a frente e não só para trás. Uma postura surpreendente de quem, no passado, nem sempre primou pelo desportivismo.
DI MARIA – No meio do caldeirão criado, chegou a pedir-se um castigo para o jovem argentino por ter reclamado um penálti que as repetições vieram depois a demonstrar não existir.
Só quem nunca tenha visto futebol, ou queira fazer dos outros parvos, pode afirmar tal coisa, como se simular faltas fosse o mesmo que reclamá-las.

SOARES FRANCO – Nunca perdeu a compostura, o que abona em seu favor. Excedeu-se nas palavras, mas isso percebe-se face à frustração que, como todos os sportinguistas, naturalmente sentiu, e também à conjuntura leonina – vésperas de congresso, período eleitorial, naufrágio europeu etc.
Errou ao exigir uma reacção a quem não tinha nada para dizer: Luís Filipe Vieira. Mas errou sobretudo ao confundir questões estruturais (presença na Liga, credibilização do futebol etc) com um simples penálti mal assinalado.

ADEPTOS DO SPORTING – Entende-se a sua revolta, pois ninguém gosta de ser prejudicado pelas arbitragens, sobretudo numa final contra um rival.
Não quiseram entender porém, na sua cegueira clubista, que o erro cometido foi absolutamente normal, e igual a tantos outros que acontecem em vários estádios de vários países.
Os que têm presença no espaço mediático (Dias Ferreira, Eduardo Barroso, Rui Oliveira e Costa etc) reagiram de forma ainda mais violenta do que se esperava. As suas vozes valem o que valem, mas os disparates foram tantos que acabaram por marcar a semana pelo ridículo. Desde pedir a repetição do jogo (!!??!!), até indemnizações, tudo foi lançado para o ar.

COMUNICAÇÃO SOCIAL – Aproveitou a polémica para aumentar as vendas – até o nosso VEDETA DA BOLA bateu recordes… -, o que é legítimo. Mas aqui e ali abusou um pouco, sobretudo quando deixou que certos jornalistas dessem largas às suas parciais opiniões, ora em reportagens, ora em noticiários que se queriam isentos.
Sondagens a sugerir a repetição do jogo vão ficar como um dos momentos mais caricatos dos programas desportivos da nossa televisão nos últimos tempos.

JOÃO GABRIEL – Não consegue evitar um certo ar de malandreco-que-acaba-de-fazer-uma-partida-sem-ser-apanhado. Mas a verdade é que, de tudo o que ele disse, eu apenas não subscreveria a questão do segundo e do primeiro lugares – na verdade, jogavam os dois para o primeiro, mas vão inevitavelmente lutar pelo segundo.
A taça ao seu lado também era escusada, mas entende-se o objectivo – mostrar, e bem, que o Benfica não tem vergonha de a ter conquistado.

HERMÍNIO LOUREIRO – É uma pessoa estimável, e tem desenvolvido grandes esforços para lavar a cara ao futebol profissional português. Não merecia isto.
As suas declarações foram certeiras, mas a caldeira já estava a ferver demasiado. Sai deste folhetim como o mais injustiçado de todos os que, de algum modo, o protagonizaram. Ainda por cima, coitado, é sportinguista…

RUI COSTA – Colocou água na fervura, evidenciando a classe a que nos habituou quando estava nos relvados, e que mantém, agora fora deles.
Disse entender a frustração, mas apelou à calma e criticou exageros. Pode-se dizer que é fácil ter calma quando se ganha, mas… o que poderia mais ele fazer?

CARLOS MARTINS – Li toda a sua entrevista, e concluí que a manchete feita a partir da mesma é manifestamente abusiva. Não desrespeitou minimamente o Sporting, que julgo ser o seu clube de coração.Enquanto profissional, fez o que devia, e o que os benfiquistas dele esperam.

SÁ PINTO - Só faltava mesmo este vir atear ainda mais o fogo. Ele que sempre foi um exemplo de desportivismo. Ele que agrediu um seleccionador. Ele que terminou a carreira como merecia - com um cartão vermelho.

A TAÇA – Se em polémica se tornou uma autêntica bomba, a verdade é que a Carlsberg Cup tomou entre nós, para o bem e para o mal, um mediatismo comparável a uma final da Liga dos Campeões. Foi, como eu suspeitava, um dos momentos futebolísticos do ano, senão mesmo o principal de todos eles.
Terá que acertar os seus regulamentos mas, pelas pessoas que arrastou, pela visibilidade que teve, pela importância que assumiu, ficou a certeza de que tem tudo para se tornar uma competição de referência do futebol português.

VÍTOR PEREIRA – É sportinguista, é emblema de ouro, e é, creio, uma pessoa séria. Tem feito algumas nomeações difíceis de entender – e esta foi uma delas -, mas não tenho dúvidas de que põe as melhores intenções no trabalho que faz.
Neste caso particular, talvez lhe tivesse ficado bem uma declaração pública, até para proteger o árbitro (completamente imolado nas chamas da comunicação social).

LUÍS FILIPE VIEIRA – Esteve bem ao não falar, pois não haveria nada para dizer.
Não comemorou efusivamente – o que poderia ser mal interpretado -, mas, seguramente, não se esperaria que fosse pedir desculpas por um crime que não cometeu.
Ele até tinha criticado Lucílio antes do jogo…

23 Comments:

Anonymous Anónimo said...

um grande grupo de corruptos do futebol portugues...
vocE^deve ser fresco...

26.3.09  
Anonymous Peter said...

Excelente LF, ó anónimo palermo é a norte.

26.3.09  
Blogger angelodias said...

"Se em polémica se tornou uma autêntica bomba, a verdade é que a Carlsberg Cup tomou entre nós, para o bem e para o mal, um mediatismo comparável a uma final da Liga dos Campeões. Foi, como eu suspeitava, um dos momentos futebolísticos do ano, senão mesmo o principal de todos eles."

Ainda não percebeste que só se fala dessa taça que apura o vencedor para o torneio do Guadiana simplesmente pela roubalheira que foi?
Sabias que o Lucilio até podia ter marcado 20 penalties mal marcados e não lhe pode acontecer nada? Nessa dita Taça NÂO há observadores para os árbitros...

26.3.09  
Blogger abidos said...

Um reparo ao João Gabriel, não foi ele que levantou a questão do segundo lugar, foi o proprio Paulo Bento que disse no final da partida:
"Deixem-nos chegar ao segundo lugar"!!!

26.3.09  
Anonymous Anónimo said...

"TAÇA – Se em polémica se tornou uma autêntica bomba, a verdade é que a Carlsberg Cup tomou entre nós, para o bem e para o mal, um mediatismo comparável a uma final da Liga dos Campeões. Foi, como eu suspeitava, um dos momentos futebolísticos do ano, senão mesmo o principal de todos eles.
Terá que acertar os seus regulamentos mas, pelas pessoas que arrastou, pela visibilidade que teve, pela importância que assumiu, ficou a certeza de que tem tudo para se tornar uma competição de referência do futebol português."

O LF só pode ser humorista! Primeiro compara a taça da Liga com a Liga dos Campeões!:D Tem razao LF, quem precisa da Liga dos Campeoes qdo tem a taça da Liga???
Depois, efectivamente a taça da Liga tem tudo para ser referencia no futebol tuga, basta continuar a ter "arbitragens" vergonhosas como tem tido para ser um sucesso! Lá para o Linhó ou assim...

26.3.09  
Blogger LF said...

Angelo Dias,

Julgo ter sido a primeira vez nesta temporada que um estádio esgotou a lotação em Portugal.
Talvez só no Porto-Benfica isso tenha acontecido.

A audiência foi a segunda maior da época, entre todos os jogos transmitidos pela televisão em Portugal.

Eu sei que agora custará ao FC Porto ver o erro que cometeu ao desvalorizar esta prova, na expectativa que isso levasse a uma final Paços de Ferreira-Nacional ou coisa do género.
Saiu o tiro pela culatra.

Para 4/5 dos adeptos do futebol em Portugal, este foi provavelmente o momento mais importante do ano.
Queiram vocês ou não.

26.3.09  
Blogger LF said...

Abidos,

Tens razão.
Mas ele poderia ter evitado dizer aquilo naqueles termos.

26.3.09  
Anonymous Vitoria do Benfica said...

Boa Tarde Luis Fialho e restantes visitantes do blogue

Não concordo consigo nas apreciações que faz sobre o João Gabriel. Penso que, esteve muito bem na conferência de imprensa, é o melhor Director de Comunicação que o Benfica já teve. è um homem com um grande sentido de justiça e que conhece bem os meandros do futebol politico.

Faltou-lhe, caro Luis, mencionar Mourinho NÂO HAVIA NECESSIDADE de se solidarizar com Paulo Bento, depois de ter recebido um Doutoramento Honoris Causa esperava mais que pelo menos fosse mais comedido.

Saudações Benfiquistas

26.3.09  
Blogger LF said...

Anónimo,

Era bom que lessem as coisas com atenção. E que não utilizassem uma prática recorrente, que é a de pegar numa ponta do que foi dito, e estendê-la até aquilo que não foi dito, para depois contrapôr.

Eu não comparei a Taça da Liga à Liga dos Campeões - destas temos duas, e daquelas só uma - nem a importância de uma e outra.
Apenas disse que o mediatismo que esta taça tomou no nosso país, foi comparável ao da Liga dos Campeões.
Mérito também de quem a promoveu.

Penalti mais absurdo ainda que este foi marcado no Dragão a favor do Porto. Sem ele se calhar o lider da liga era outro.

26.3.09  
Blogger angelodias said...

Obviamente que esgotou a capacidade. Bilhetes baratíssimos comparados por exemplo com um Benfica-Porto,excelentes condições atmosféricas e pessoal que não vê um jogo decente ( equipas da Primeira Liga claro, porque o jogo foi monótono de mais) há anos e anos. Não sendo muito valorizada até pelo próprio presidente do Benfica, esta taça tornou-se um refúgio para duas equipas que podiam acabar a época sem qualquer alegria.
A Média de espectadores no dragão de há algumas épocas para cá é bem maior que os 30 mil que assistiram a essa final.
Logo se a capacidade do dragão fosse de 30 mil espectadores estava sempre esgotado...

Cumps.

26.3.09  
Anonymous Anónimo said...

o LF é um brincalhão; deve ser o L de Lucílio que o anima;
Na final da taça da liga só o erro clamoroso do árbitro foi notícia e causa única exclusiva do falatório (e este só existe porque a imprensa o agarrou para aumentar as tiragens e audiências); tirando isto, que interesse e/ou dimensão teve? não vislumbro...
Estádio cheio? Esse é um grande feito, se considerarmos a lotação do estádio em causa: 120.000 pessoas; como, ai não leva tantas? como, quantas? 30.000? só?!!!
Então, LF, vai-te catar com a tua conversa.

26.3.09  
Anonymous Anónimo said...

"Penalti mais absurdo ainda que este foi marcado no Dragão a favor do Porto. Sem ele se calhar o lider da liga era outro."
Por acaso o lider até era o mesmo

26.3.09  
Anonymous Tiago Pereira said...

A taça da liga apenas tomou estas dimensões mediáticas, porque naqueles 90 minutos foram jogados a salvação da época de uma e outra equipa e não por aquilo que a taça realmente vale em termos desportivos.

26.3.09  
Blogger LF said...

Vitória,

Não critiquei o João Gabriel.
Só naquele aspecto em particular.
Revejo-me em tudo o resto que ele disse.

26.3.09  
Anonymous Anónimo said...

Ó anónimo lava a boca antes de falar do DRAGÃO, e não branqueies os factos; não deverás esquecer que antes desse penalty de que falas houve um outro que o árbitro viu e não assinalou (sobre Lucho)....
sê sério!...

26.3.09  
Blogger LF said...

Angelo Dias,

Claro que tudo isso é verdade.
Mas os bilhetes baratos, a final no Algarve etc, são méritos de quem soube promover o jogo. Embora os bilhetes tenham sido todos vendidos em Lisboa.

O facto de ser um refúgio é relativo, pois não estando as equipas bem os adeptos tenderiam a ir menos.

26.3.09  
Blogger LF said...

Anónimo,

Não sei como seria o campeonato se o Benfica tem saido do Dragão em primeiro lugar.
Talvez não perdesse com o Guimarães, talvez o Porto perdesse mais uns pontinhos.
Quem sabe?

26.3.09  
Blogger LF said...

Tiago Pereira,

Em parte é verdade.
Se tivessem chegado à final o Belenenses e o Rio Ave, tudo seria diferente.

Mas esta prova tem todas as condições para se situar praticamente ao nível da Taça de Portugal no calendário português. Assim tenha um regulamento mais cuidado, e mais sorte com as arbitragens.

26.3.09  
Anonymous Anónimo said...

São uns crentes, disso não restam dúvidas...
se, se, se, se, se a vossa avó fosse viva....
o que devem afirmar, isso sim, é que se os resultados que o benfica tem tido na quase totalidade dos jogos da presente época correspondessem ao efectivo rendimento e qualidade do seu futebol, estaríamos a falar de uma posição nunca acima do meio da tabela...

26.3.09  
Anonymous Anónimo said...

"Não quiseram entender porém, na sua cegueira clubista, que o erro cometido foi absolutamente normal, e igual a tantos outros que acontecem em vários estádios de vários países."

Normal? em poucos segundos que envolve o lance há três partes:
1º pé em riste do di maria ao carriço
2º a bola bate no peito
3º é fora da área

normal?

"LUÍS FILIPE VIEIRA – Esteve bem ao não falar, pois não haveria nada para dizer.
Não comemorou efusivamente – o que poderia ser mal interpretado -, mas, seguramente, não se esperaria que fosse pedir desculpas por um crime que não cometeu.
Ele até tinha criticado Lucílio antes do jogo…"

fossem vocês os prejudicados, era o 1º a falar, alias julgo que foi ele que disse "eu nem quero acreditar"

devia ser o 1º a pedir desculpa,pela pressão que fez, e quase todos os benfiquistas fizeram... e também pela suspeita de doping lançada sobre o Sporting, relativamente ao banho de bola que vocês levaram em Alvalade. Curioso é terem falado nisso na semana anterior
à Final, e nã logo depois do jogo em Alvalade...

não vi ninguém do Benfica preocupado com doping quando deram 6 ao Marítimo...

e já agora, lições de doping vindo do Benfica?
1º Veloso
2ª Hernani
3º Calado
4º Nuno Assis

4-0 para vocês

27.3.09  
Anonymous Anónimo said...

O povo continuará faminto.de comida, de seriedade, de respeito e de justiça.
Mas justiça SEMPRE não quando convém aos camaleões!(querem guerra) Qual e o problema, comigo era no mesmo dia QUE FALTA FAZ uns JAGUNÇOS TRAIÇOEIROS para o S.L.BENFICA . Andamos a muito a ser COMIDOS POR ESSE bêbado e covarde presidente dos viscondes!
Na minha minha opinião o S.L.BENFICA ganhou, e GANHOU bem e mais nada!
O resto são vozes de kakas que não chegam lá cima!

aguiaR.........

27.3.09  
Anonymous Anónimo said...

Um dos argumentos de alguns, nomeadamente dos jogadores "daquela coisa", é que, mesmo sem a roubalheira do lucilio, nada nos diz que "aquela coisa" não marcasse e ganhasse o jogo de qualquer das maneiras.

pergunta: o Sporting também poderia ter marcado mais golos nesse periodo, ou não?

conclusão:
o jogo ficou marcado pela decisão errada de lucilio e isso fez toda a diferença;
que o guarda-redes "daquela coisa" tenha defendido 3 penaltis é mérito que aconteceu devido a UM ERRO que deu o empate; isto são factos.



40 postas pescada

27.3.09  
Anonymous Anónimo said...

LF, acho que criticas ao Paulo Bento e elogias à postura de Rui Costa são uma contradição. É que, que me recorde, o vosso director desportivo já foi castigado,pelo menos, duas vezes esta época por comportamento incorrecto (entra pela cabine dos árbitros dentro e tudo, não sei o que lhes dirá, mas serão certamente elogios). A diferença entre um e outro será a frontalidade de o fazer em frente a todos ou no recolhimento de uma zona menos acessível de um estádio...

27.3.09  

Enviar um comentário

<< Home