UM FIGURÃO: XISTRA, UM DERROTADO: O FUTEBOL

Nunca até hoje qualquer crónica no VEDETA DA BOLA tinha começado pela arbitragem. Desta vez porém, a inacreditável actuação de Carlos Xistra no Estádio da Luz a isso me obriga. Efectivamente, o juiz albicastrense perdeu a cabeça e estragou por completo um espectáculo que até tinha condições para ser agradável, mostrando a sua absoluta falta de categoria para andar na divisão principal do nosso futebol.
Num jogo correcto, Xistra conseguiu a “proeza” de mostrar quinze cartões amarelos e três vermelhos (dois terços dos quais completamente injustificados), parou o jogo por tudo e por nada, errou múltiplas vezes (para ambos os lados), enervou os jogadores e incendiou as bancadas da Luz, onde não me lembro de ver uma tão forte contestação a um árbitro estando o Benfica em vantagem. Xistra não percebeu o jogo, não percebeu o difícil estado do terreno, e talvez nem mesmo perceba as leis do jogo. Não se tratou de prejudicar um ou outro conjunto – apesar de os encarnados se verem privados de Miccoli para o jogo do Dragão -, mas sim de prejudicar o futebol. Foi isto que Xistra fez, e ontem depois do jogo lembrei-me do único aspecto positivo até agora lançado pela direcção de Hermínio Loureiro na Liga de Clubes, que passa por colocar os árbitros a falar dos jogos após os mesmos. Gostava de ouvir o que este indivíduo teria para dizer depois de noventa minutos tão desastrados.
Como pérola de uma actuação suicida, em que foi perdoado um penálti sobre Miccoli (que acabou expulso depois de sofrer uma falta), o árbitro mostrou um amarelo a Tony por falta de … Jordão (que também já tinha, à semelhança de quase todos os jogadores, o seu amarelito), num sinal de completo desnorte fruto dos equívocos que ele bem cedo semeou na partida. Ter-se-á inspirado talvez no russo Ivanov, do Portugal-Holanda do último Mundial, para atirar mais uma pedra ao descredibilizado futebol português.
Enfim, um desastre!
No pouco futebol que Xistra permitiu que se jogasse, o Benfica ganhou com toda a justiça, embora longe de deslumbrar. A equipa de Fernando Santos - reincidindo no 4-4-2 versão losango - começou muito bem, empurrando o Estrela para dentro da sua área e, sob a batuta de Simão e Miccoli, conseguiu criar cinco oportunidades de golo nos primeiros vinte minutos. Paradoxalmente foram os amadorenses a marcar praticamente da primeira vez que ultrapassaram a linha de meio campo, na sequencia de um pontapé de canto ao qual Dário correspondeu, ganhando a Petit nas alturas e cabeceando para o golo.
O Benfica reagiu e acabou por restabelecer a igualdade num belo lance concluído pelo avançado italiano, mas na ponta final da primeira parte perdeu fulgor, mergulhando na tendência depressiva que frequentemente o tem apoquentado esta época, e à qual a despropositada pressão dos adeptos tem dado forte contributo.
Na segunda parte os encarnados acabaram por ter a sorte de marcar cedo, por Simão de penálti, e ver-se na sequência do mesmo lance em superioridade numérica por expulsão de Pedro Simões. Era o tónico de que o Benfica precisava e nos minutos seguintes podia ter dilatado a vantagem e resolvido o jogo.
Depois foi o “festival” Xistra, que cedo acabou com o interesse da partida, deixando apenas tempo para Karyaka abrilhantar o seu regresso aos relvados com um bonito golo de cabeça, fechando o placard e tranquilizando definitivamente a equipa.
De realçar a exibição do capitão Simão Sabrosa, que foi o elemento em maior destaque nos períodos em que o Benfica mais dominou, jogando livre – ora na esquerda ora na direita ora ao centro – e pautando desse modo todo o futebol de ataque dos encarnados. Notas positivas também para Nelson e Miccoli, bem como, ligeiramente abaixo, Katsouranis e Nuno Assis. Destaque também para o regresso de Karyaka depois de longa ausência e quase dispensa, com uma prestação bastante positiva e coroada com o golo. Pelo contrário Petit esteve desastrado, com inúmeras perdas de bola, para além das responsabilidades no golo sofrido (que se passa com ele esta temporada ?), e Nuno Gomes também não foi feliz. A defesa quase não foi posta à prova, mas momentos houve em que foram notórias algumas dificuldades nas transições ataque-defesa, que um adversário mais categorizado (Manchester, Celtic…) poderia ter aproveitado para criar situações de superioridade numérica e consequente perigo para a baliza de Quim. Um aspecto a rever já para a próxima jornada na deslocação ao Porto.
Eis as pontuações: Quim 3, Nelson 4, Luisão 3, R.Rocha 3, Léo 3, Petit 1, Katsouranis 3, Nuno Assis 3, Simão 4, Nuno Gomes 2, Miccoli 4, Beto 2 e Karyaka 3.
Melhor benfiquista em campo: Simão Sabrosa.

13 comentários:

Xistra disse...

O 2º Amarelo ao Miccoli é mal mostrado? Não respondeu à falta do adversário? Incorrendo em comportamento no minimo incorrecto e passivel de acção disciplinar?
Com um critério mais estreito podia ter levado o vermelho directo. Nas explusões do Estrela tive mais dúvidas.

LF disse...

Já o primeiro amarelo fora mal mostrado, mas tambem o segundo é, na minha perspectiva, bastante exagerado.

Se os árbitros mostrassem amarelos por todas as reações daquele género, poucos jogos acabavam. Há que ter bom senso e não prejudicar o espectáculo com decisões folclóricas de afirmação gratuita e exibicionista de autoridade.

Infelizmente parece que amarelos por situações daquelas só são mostrados aos jogadores do Benfica : veja-se o caso de Léo em Paços de Ferreira.


Miccoli foi expulso sem ter feito uma única falta e sem ter aberto a boca.

Quanto aos jogadores do Estrela também muitos amarelos foram mal mostrados, mas ressaltou-me aos olhos aquele que referi para Tony numa falta de Jordão.
Jordão seria também expulso, acabando o Estrela com 8.

Esta arbitragem foi estúpida, foi absurda. Do pior que me lembro nos tempos mais recentes.
Nem vou por suspeitas de que o critério utilizado desde o início fosse deliberadamente para afastar jogadores da próxima jornada.
Apenas digo que Xistra foi demasiado incompetente para andar no futebol.
Ele, como outros, deviam-se dedicar a outra actividade.

Anónimo disse...

Esta arbitragem para além de péssima teve a arte e o engenho de enervar e prejudicar fosse qual fosse. Vejam a actuação de Petit, estava de tal modo intranquilo(percebeu muito bem onde o árbitro queria chegar) que errou passes, nem jogou o seu normal...
Mas, como benfiquista crente, espero uma resposta no Dragão, uma resposta surpresa, tipo Manú, Paulo Jorge ou Kariaka.
Se FS entender que mais vale um menos "vedeta" com garra do que um valor do plantel, pode baralhar o pseudointelectual da bola JF e os sempre reis do gamanço.
Vai haver surpresa!
O loiro do ano anterior surpreendeu e venceu, o engenheiro precisa de tranquilidade e, sobretudo, assumir uma aventura, trocar os olhos ao colega contrário.
Força,Benfica.
Não acredito em goleadas, mas acho que desta vez vamos calar bocas.

LF disse...

Não estou assim tão optimista, mas, ao contrário da opinião generalizada, também acho que Miccoli não irá fazer muita falta.
Não me parece que seja o estilo de jogo em que ele é mais decisivo, pois iria ter pouca bola.
Além do mais a sua presença induziria Fernando Santos a utilizar dois pontas de lança, o que me parece demasiado para jogar fora com o Porto.

Terei tempo de falar no jogo, mas ainda no estádio, ontem, pensei logo na subida de Simão para segundo avançado, e na inclusão de mais um médio. Porque não Karyaka ?
É um jogador frio e experimentado, o que pode ser útil num ambiente tão hostil.

catn disse...

LF

Vamos agora falar do Sr. Xistra e dos seus auxiliares

A passagem deste Sr. pela catedral da Luz, como foi referido pela totalidade da comunicação social e comentadores dos vários programas desportivos, foi uma vergonha e um desrespeito ao futebol, quem não viu o jogo pensa automáticamente que foi uma batalha, com entradas durissimas e agressões de ambas as partes

Este Sr. ainda tem a "lata" de dizer á RR, que depois de ver o jogo em video, acha que fez uma boa arbitragem e que não exagerou em nada

A este Sr. só lhe desejava a profissionalização dos arbitros, mas com penalização nos vencimentos, em caso de erros graves e de arranjos premeditados como foi o caso, os arranjos não são invalidar um golo, ou marcar ou não marcar penaltis

Isto que se passou na luz, foi não deixar jogar, foi intimidar os jogadores, principalmente os do Benfica, pois todos sabiam que o jogo contra o fcp era importante e estavam sempre com medo de levar o segundo amarelo, as jogadas eram disputadas a medo e quem perdeu foi o publico, que viu um jogo mau e sem ritmo

Agora ficamos á espera do relatório do observador e da nota atribuida ao Sr. Xistra e restante equipa

LF disse...

Dessa não sabia eu.

Ele ainda acha que fez um bom trabalho ???????????
Eu diria antes que fez um "bonito serviço"....

-Cortou dois foras de jogo inexistentes com jogadores isolados (embora aí a culpa seja dos assistentes).

-Perdoou um penalty sobre Miccoli.

-Evitou o segundo amarelo a Jordão do Estrela, mostrando-o a Tony que nada tinha feito.

-Sem falar mais nos quinze amarelos e três vermelhos mostrados num jogo correctíssimo, sobre os quais já muito disse na crónica.

À excepção de Olegário Benquerença, não me lembro de uma arbitragem tão má na Liga Portuguesa. Foi um completo desnorte. Uma palhaçada !

Enquanto isso, a 2000 metros de distância, eram perdoadas expulsões a Paulo Assunção e Quaresma, por um árbitro com critério extremamente benevolente.

É assim a liga dos Loureiros.

LF disse...

É preciso dizer também que este senhor Xistra, esta anedota da arbitragem, foi o mesmo que no ano passado assinalou penalti a um corte de cabeça de um jogador do Maritimo. Onde ? No Estádio do Dragão, claro !

Já em 2004-2005 perdoara um penalty sobre o jogador do Belenenses Lourenço, a 8 minutos do fim de um jogo no Restelo cujo resultado era 0-1. Contra quem ?
F.C.Porto, claro !

Na época passada, num Benfica-Naval na Luz, não viu um penalti do tamanho do estádio sobre Léo também a poucos minutos do final do jogo quando o resultado estava 0-0.



Espero bem que sejam desenvolvidos esforços no sentido de nunca mais ser permitido a este individuo apitar jogos do Benfica. Acho mesmo que não tem categoria para apitar jogos do escalão principal.

Já houve arbitragens que prejudicaram muito mais o clube, mas arbitragens tão absurdas, tão desorientadas não me lembro de muitas (à excepção de Benquerença).


Estou curioso por ver quem é que os Loureiros vão indicar para o jogo do Dragão...
Só aceito de bom grado Pedro Henriques ou Paulo Baptista.


Desculpem os desabafos, mas isto de facto foi demais.

Otragal disse...

Num jogo em que o Benfica esteve a perder durante quase ½ hora e apenas marcou o golo da tranquilidade no último minuto, beneficiando de uma penalidade (não muito obvia) e terminando o adversário com 9, não deixa de ser curioso que as criticas ao árbitro tenham assumido esta dimensão. Não terá o Estrela mais razões de queixa? O Benfica alega que foi prejudicado, porque o Miccoli não joga o clássico! Mas não saiu beneficiado no jogo em questão? Uma vez que o resultado ainda estava em aberto.. Para mim este alarido é apenas uma forma muito utilizada pelo Benfica de pressionar as arbitragens. As declarações do Engº (estatuozinho que não renega) são curiosas! Saberia o dito Engº do que estava a falar? Terá sido por isso que se juntou aos sócios do FCP e velhos amigos do Papa?

LF disse...

Eu, e ao que parece também a estrutura do Benfica, não tenho por hábito falar das arbitragens só quando o Benfica perde, mas sim quando são simplesmente más.
Esta foi uma péssima arbitragem, e eu tive o cuidado de dizer que prejudicou as duas equipas, sendo para o caso irrelevante contabilizar se cometeu cinco erros para o Benfica e seis para o Estrela ou vice versa.

Já na época passada me insurgi contra a arbitragem de Paulo Costa, curiosamente na Amadora, em jogo que o Benfica também ganhou, claramente contra a vontade do árbitro do Porto.

Ao contrário de outros que só se queixam quando perdem, pois quando ganham, mesmo se com ajudas, está tudo bem, eu queixo-me quando vou ao futebol e verifico que há um interveniente que me estraga por completo todo o prazer do espectáculo.

catn disse...

LF

O OTRAGAL pergunta, se o Engº sabia do que estava a falar, é muito claro que sabe, se restassem duvidas, bastava ter visto o programa da Sic Noticias " o Dia Seguinte " para ver o representante do fcp, furibundo com essas declarações do FS

Quem passou pelo fcp, sabe das artimanhas do Pinto da Costa, do Reinaldo Teles e até do Guilherme Aguiar, enquanto dirigente da Liga de Clubes, é facil perceber o nervosismo deste ultimo no dito programa, falava, falava para os outros não poderem dar a sua opinião

Há muita gente que sabe do "Modus operandis" do Presidente do fcp, da facilidade como consegue intimidar os Arbitros e os seus Dirigentes, das chantagem que são sujeitos, todas estas situações vão-se refletir nas classificações dos Arbitros e nos "tachos" dos observadores

O FS esteve lá, o Veiga também esteve lá, só que agora estão do outro lado e metem a "boca no Trombone" e começa a andar muita gente nervosa, por enquanto conseguem travar o " apito dourado", mas eu deixo uma pergunta :

Até quando ?

LF disse...

Completamente de acordo Catn.

Bastará ler ou reler o "golpe de Estádio" que publiquei na íntegra para se perceber quase tudo.
Juntando as escutas do "Apito DOurado", eis a verdade do futebol português dos últimos 30 anos.
Desde que Pinto da Costa a ele chegou.

pedro disse...

Boa noite,

Como foi referido num comentário anterior, e devido a uma referencia neste blog ao programa 'O Dia Seguinte' também comecei a ver o programa de à duas semanas para cá, também pude constatar esse tal nervosismo de que fala o catn do comentador do lado dos portistas. É obvio que não se sentem bem, quando as verdades vêm ao de cima. Como foi referido, e bem, o Fernando Santos e o José Veiga já estiveram do outro lado da barricada, logo sabem muito bem o que a casa gasta, portanto, acredito que ambos sabem muito bem daquilo que falam. Quanto à actuação do Sr. Carlos Xistra, infelizmente não tive oportunidade de ver o jogo do 'meu' Benfica integra, mas pelas imagens dos resumos do jogo penso que é uam vergonha esse Sr. continuar a arbitrar no principal escalão do nosso futebol...como é que é possível um árbitro neste escalão se equívocar a dar um amarelo a um jogador?eu cá chamaria-lhe uma coisa do outro mundo...este foi o pormenor que me saltou mais à vista, pois como já disse não tive oportunidade de ver o jogo na integra. Num dos comentários também se fala do penalty que este Sr. não assinalou a favor do Benfica num jogo da época passada ao Leo no jogo Benfica - Naval o qual presenciei no estádio e sinceramente é impressionante como o árbitro não ocnsegue ver (ou não quer ver) a grande penalidade..enfim..parecem-me coincidências a mais não?

Para terminar um abraço ao LF, que não conheço pessoalmente mas que está a fazer um excelente trabalho no blog, pois proporciona sempre uma agradável leitura a quem está 'do outro lado', já para não falar nas excelentes crónicas que faz!Continua o bom trabalho!

LF disse...

Caro Pedro,

Obrigado pelas palavras. Espero que continue sempre a aparecer por aqui.