13/09/06

VENHAM MAIS DUAS VITÓRIAS !

Depois da assente a poeira sobre a épica vitória do Sporting diante do Inter, é agora a vez de Benfica e F.C.Porto entrarem em campo para as suas estreias na Liga Milionária.
Os portistas recebem o difícil C.S.K.A.de Moscovo, equipa que nunca perdeu em Portugal (0-0 no Dragão, 1-1- na Luz e 3-1 em Alvalade), e que conta com executantes de elevadíssima craveira como são os casos dos brasileiros Vagner Love, Jô e Daniel Carvalho, para além de vários jogadores da selecção russa. Todavia, apesar da qualidade do adversário, um F.C.Porto ao que parece já minimamente familiarizado com as ideias de Jesualdo Ferreira e jogando em sua casa, não pode deixar de ser considerado favorito.
Trata-se de um jogo chave para os dragões, quer pelo facto de ser o primeiro – quase sempre marcante em competições como esta -, quer por ter pela frente aquele que será eventualmente o adversário mais directo dos portistas, levando em linha de conta que o Arsenal não deverá deixar escapar um lugar nos oitavos-de-final e o Hamburgo será a equipa menos cotada do grupo. Uma vitória em casa é fundamental para o F.C.Porto abrir de forma positiva a sua participação na Champions e posicionar-se desde já como favorito ao apuramento. O Benfica, por seu turno, tem na Dinamarca a oportunidade de se reconciliar com os bons resultados e com os seus adeptos, depois de uma entrada em falso no campeonato português. Ao defrontar a equipa teoricamente mais acessível do grupo – pelo menos a avaliar pelos rankings – o Benfica deverá procurar uma vitória, que poderá ser um importante passo rumo ao apuramento. Se não conseguir mais que o empate, não se poderá dizer que tenha comprometido as suas aspirações, mas uma derrota pode complicar muito as contas e sobretudo representar um dramático golpe nos índices de confiança de um grupo que ainda não parece ter sido capaz de superar os vários contratempos que o têm afligido desde que regressou ao trabalho no início de Julho.
A equipa dinamarquesa, sendo efectivamente a menos cotada do grupo e quiçá de toda a Champions League, conta contudo com jogadores de bom nível – internacionais suecos como Linderoth, Bergdolmo ou Allback, o ganês Pimpong e sobretudo o ex Chelsea Gronkjaer - e apresenta, ao bom estilo nórdico, uma grande compleição atlética, estando longe de constituir um adversário dócil. É certamente muitíssimo superior ao Áustria de Viena que o Benfica afastou tranquilamente na pré-eliminatória.
O que espera o Benfica não são portanto facilidades, mas tendo em conta a valia técnica e a experiência dos encarnados, há que abordar esta jornada com algum optimismo, sabendo-se que para alcançar um resultado positivo será necessário muito mais suor (e sorte) que aquele que foi dispendido frente ao Boavista.
A equipa inicial provável que tem sido aventada pela comunicação social, vai de encontro àquilo que seria de esperar depois da hecatombe de sábado passado. Saem Nelson, Anderson, Rui Costa (por lesão), Manu e Miguelito, entrando Alcides, Ricardo Rocha, Nuno Assis, Paulo Jorge e Simão, cuja estreia é aguardada com grande expectativa, depois de toda a novela em torno da sua fracassada transferência. Mais uma vez - no meu ponto de vista tem sido assim - Fernando Santos faz aquilo que manda a razão.
Vamos então ver até que ponto o episódio do Bessa foi passageiro, ou se o problema da equipa da Luz tem maior profundidade.

14 Comments:

Blogger O LEÃO DA ESTRELA said...

Confesso que não estava à espera de uma vitória sobre o poderoso Inter de Milão. Por várias razões. O Sporting é uma equipa jovem e sem grande experiência internacional ao mais alto nível e apresentava-se desfalcado de jogadores nucleares na zona central do campo. A repetição do 0-0 do jogo da pré-temporada já seria, por isso, "um bom resultado". Mas os 90 minutos de um jogo intenso e disputado a grande ritmo revelaram um Sporting quase perfeito, a jogar um futebol total, atacando e defendendo em bloco, um Sporting combativo, competitivo e harmonioso, capaz de justificar a vitória por 1-0, conquistada através de um golo estupendo de Marco Caneira.
A partir de hoje, há leõezinhos à solta na Europa do futebol. A partir de hoje, os holofotes do futebol internacional voltam-se para Lisboa e Alcochete. Importa não perder o pé e continuar a trabalhar com afinco e humildade. Importa interpretar correctamente o discurso sereno e realista do treinador Paulo Bento, interiorizando as ideias centrais. Afinal, o Sporting tem seis pontos da Superliga e três pontos na Liga dos Campeões, mas ainda não ganhou nada. Um discurso talvez pouco adequado a uma noite de glória como esta, tal a valia e o poder do adversário italiano que hoje caiu em Alvalade. Mas um discurso cem por cento certo para que a equipa leonina continue com os pés assentes no chão, semeando qualidade e profissionalismo por essa Europa fora e demonstrando que o futebol português que acontece dentro das quatro linhas não tem nada a ver com quem o dirige e o regula fora delas.

13.9.06  
Anonymous Brytto said...

Vitória histórica, sem dúvida, dada a pouca projecção internacional do Sporting, mas não me pareceu que o Sporting tivesse feito um jogo brilhante - praticamente não criou uma oportunidade de golo, a não ser depois do golo... Mas a vitória aceita-se perfeitamente e foi merecida: o Inter não jogou absolutamente nada, um empate seria premiar uma equipa que nada fez para ganhar…

13.9.06  
Blogger LF said...

Leão da Estrela,

Belo texto de um sportinguista orgulhoso (e com razão).
Parabéns pela fantástica vitória

13.9.06  
Blogger LF said...

Brytto,

Não concordo contigo.
Acho que o Sporting fez uma exibição de luxo.
Foi o Sporting que manietou o Inter, não o deixando quase respirar a partir do meio campo.

Temos de analisar as exibições de acordo com os adversários que estão por diante.
Não se pode jogar frente ao Inter, ou ao Manchester, ou ao Barcelona, da mesma forma que se enfrenta a Naval ou o Aves.

São jogos mais calculistas, onde não se ataca tanto e tão descuidadamente, e onde há que, em primeiro lugar, anular o adversário.
Mas é óbvio que se o Inter fizesse uma exibição esplendorosa, praticamente ninguém lhe conseguiria ganhar. O futebol é assim.

Voltamos a uma velha discussão, agora com o Sporting como pano de fundo...

13.9.06  
Blogger Marcel Jabbour said...

Avante Benfica!!Meu time do outro lado do Atlântico!!

PS:.A LIGA PORTUGUESA SERÁ TRANSMITIDA PELO BANDSPORTS AQUI NO BRASIL!OTÍMA CHANCE DE ACOMPANHAR MEU NOVO CLUBE DO CORAÇÃO!

Abraços

13.9.06  
Blogger LF said...

Bem vindo ao benfiquismo Marcel.
Embora as coisas não estejam por agora a correr muito bem, melhores dias virão... Quem sabe já hoje ?

Boa sorte também para o Corinthians, que ainda no último domingo fez um jogo verdadeiramente heróico com o São Paulo, e que também segui por aqui com todo o entusiasmo.

13.9.06  
Anonymous Brytto said...

O Sporting ganhou bem e com mérito, isso não coloco em questão. O que discordo é que tenha feito uma exibição maravilhosa, como referi, praticamente não criou uma oportunidade e marcou o seu golo por onde menos se esperava: por intermédio de um defesa e de longa distância! No fundo, o Inter veio jogar da mesma forma como jogou à uns anos com o Benfica (lembras-te?), na retranca, só que nessa vez o milagre não surgiu nas também poucas oportunidades que tivemos.
Agora se pensarmos que a equipa que apresentou é constituída, quase no seu todo, por jovens da sua cantera, então ainda mais mérito lhes devemos atribuir.
Não confundir: ao não atribuir ao Sporting uma exibição de sonho, não estou a concluir que não mereceu a vitória.
Dir-se-ia o mesmo da exibição se o empate tivesse sido o resultado final?! Ou dir-se-ia que o Sporting tinha dominado (por consentimento do Inter), mas não tinha tido profundidade no seu ataque, blá, blá, etc. O que eu sempre critiquei, vedeta, foi a tua propensão genética para abordares os jogos única e exclusivamente em função do resultado, nada mais. Em resumo, se uma equipa ganha, mas não joga nada, tu apelida-as de exibição calculista, matreira; se joga bem, mas empata ou perde, de exibição naif, de futebol romântico, etc.

13.9.06  
Anonymous catn said...

LF

Foi sem duvida um bom jogo do SCP, mas tambem concordo que o Inter jogou pouco para as grandes vedetas que tem

Em relação á pouca idade de alguns jogadores do SCP, acho que foi o que lhes valeu, a irreverencia e a força física é propria dos jovens

Este SCP, é bastante complicado, mas julgo que vai ser um pouco irregular ao longo da época

14.9.06  
Anonymous cj said...

irregulares vão ser eles todos.
o inter é uma equipa fraquinha, é, é, só conseguiu jogar o que o sporting deixou...
uma exibição maravilhosa é aquela em que se defende bem e quando tem que se defender, se circula bem a bola a meio campo, defendendo e atacando conforme o jogo e atacar com perigo e fazer golo quando a oportunidade surge.
obviamente que com o sarilhense é mais fácil, mas com o inter não são todos que o fazem da forma como o sporting o fez.
desculpas para más exibições há sempre, então sejamos coerentes e exultemos com as grandes vitórias - merecidas, diga-se - ainda para mais mostrando um fulgor que dá gosto, ao invés de uma equipa lenta e pesada como é o inter, mas carregada de classe, que não restam dúvidas.

14.9.06  
Blogger Na Cara do Gol said...

Bela vitória do Sporting contra a Inter, é um time com bons jogadores e que pode chegar bem à próxima fase. Já o Porto, acho que tem um time fraco, que não deve chegar longe.
Depois deixe seu comentário Na Cara do Gol. Abraço!

Vinicius Grissi

14.9.06  
Anonymous LF said...

Brytto,

É claro que o resultado condiciona a análise que se faz de um jogo.
(Por exemplo, se uma equipa estiver a ganhar faz um tipo de jogo diferente de uma que está a perder e tem de correr mais riscos, parecendo com isso que joga melhor).
Neste caso concreto o empate seria também um bom resultado para o Sporting, pelo que seria também motivo de elogio caso Caneira não tivesse obtido aquele fabuloso golo (que para ti parece não fazer parte do jogo...)

O objectivo do futebol é marcar golos e não os sofrer, não é propriamente como uma exibição de patinagem artística que tem um juri a avaliar a beleza das provas.
Assim sendo, se uma equipa consegue os seus objectivos tem grandes probabilidades de ter sido melhor do que o adversário e de ter feito bem o seu trabalho.
Nenhuma análise rigorosa pode esquecer esse aspecto, que ao fim e ao cabo é a essência do futebol, e a única questão objectivizavel do mesmo.

É claro que existe também o factor sorte, como em tudo na vida, mas se centrarmos a nossa análise na sorte e no azar não valia a pena fazer nem ler comentários futebolísticos, e toda a discussão deixava de ter razão de ser.

Independentemente de tudo isso, julgo que para avaliar a exibição de uma equipa tem de se ter em conta o adversário.
No futebol actual, mais do que jogar e atacar, o que interessa em primeiro lugar é evitar que o adversário jogue e ataque.
Viu-se no Mundial, já se havia visto no Europeu, vê-se todas as semanas em toda a Europa, como se joga futebol hoje em dia.

O tempo do Eusébio, dos Violinos etc, já acabou.
Hoje não se joga assim, o que não significa que as equipas actuais não ganhassem facilmente a essas (e eu estou convencido que o fariam, graças a um muitíssimo maior poder físico, velocidade de processos, capacidade de choque, rigor táctico etc, que fazem do futebol aquilo que ele hoje é).

À luz destes conceitos o Sporting fez uma extraordinária exibição.
Aliás, não me lembro de há muitos anos para cá de um Sporting tão consistente como este (o de Peseiro chegou a ser brilhante, mas nunca foi seguro, e este, não sendo talvez tão audaz, é certamente muito mais sólido ; o de Jardel e João Pinto dependia das individualidades).
Eu diria mesmo mais: Desde o Porto de Mourinho que não via uma equipa tão forte em Portugal, e vai ser muito problemático evitar que sejam campeões nacionais.
O que é uma chatice...

14.9.06  
Anonymous LF said...

Catn,

É verdade que o Inter não esteve bem. Mas eu acho que isso aconteceu em larga medida porque o Sporting faz no seu meio campo (uns metros mais abaixo do que fazia Mourinho no Porto) uma pressão asfixiante que não deixa ninguém jogar.
Se repararmos bem, cada vez que um jogador do Inter recebia a bola à entrada do meio campo leonino, caiam-lhe dois e três adversários como feras (por vezes um dos centrais, mais Veloso, mais um dos interiores, Nani ou Moutinho), que nem sequer davam tempo para pensar o jogo.
O Inter ficou sem reacção, só conseguindo libertar-se um pouco nos últimos minutos, quando algum (natural) nervosismo tomou conta do SPorting.

Quanto ao Sporting vir a ser irregular, lamento mas não me parece que isso vá acontecer.
É uma equipa fresca, com muitas soluções, com um treinador de personalidade muito forte e cheio de ambição.
O Sporting fez no ano passado uma segunda volta fantástica, e já anunciava um pouco isto que está a acontecer.

A unica hipoitese que vejo de vacilarem é caso alguns jogadores fulcrais se lesionem (por exemplo Liedson, por exemplo os centrais)

14.9.06  
Anonymous LF said...

Cj,

Como ficou claro nos comentários anteriores, concordo com tudo o que dizes a este respeito.

14.9.06  
Anonymous LF said...

Vinicius,

Obrigado pela visita. Visitarei o seu espaço também.

Quanto ao Sporting já está tudo dito.
Em relação ao Porto não concordo consigo, pois além de ser o actual titular de todas as competições profissionais de Portugal (Liga, Taça e Supertaça), é o clube português com maior orçamento (o dobro do do SPorting e quase o dobro do do Benfica) tem grandes jogadores e um excelente treinador.

O Porto tem individualidades como Quaresma, Lucho Gonzalez, Anderson , mas sobretudo tem muitas opções de banco, sobretudo do meio campo para a frente.
É uma equipa jovem e fresca também.

Todavia, neste momento o Sporting parece-me indiscutivelmente mais forte.
Já o havia considerado favorito em Agosto, antes das competições começarem.

Um abraço

14.9.06  

Enviar um comentário

<< Home