19/06/06

POUCO BRASIL

Do Brasil espera-se sempre espectáculo. É a selecção que normalmente reúne maior quantidade de talentos, esteve presente em todas as edições dos Mundiais FIFA, é penta-campeã, e transporta consigo toda uma mística vencedora que faz dela eterna favorita em todas as competições em que participa.
Por tudo isto se exige ao “Escrete Canarinho” bem mais do que a simples vitória. Exige-se show !
Por tudo isto se tem que dizer que, apesar da vitória frente à Austrália e da consequente qualificação para os oitavos-de-final, o Brasil foi mais uma vez uma desilusão.
Já frente à Croácia o Brasil tinha deixado uma imagem bem distante daquilo que o talento dos seus jogadores permitia esperar. Nesta segunda jornada os problemas voltaram a repetir-se.
Emerson e Zé Roberto não chegam manifestamente para segurar um meio campo nem fazer as respectivas compensações defensivas numa equipa com laterais de vocação extremamente ofensiva e com quatro jogadores exclusivamente de “de bola no pé” (o tão falado “Quadrado Mágico”). Por outro lado, os dois pontas de lança têm-se revelado completamente estáticos e pouco combativos - Ronaldo, magro ou gordo, não joga absolutamente nada, à semelhança do que faz no Real Madrid, onde passa mais tempo em iniciativas publicitárias do que a treinar e onde nunca ganhou sequer um título. Por fim e a agravar a situação, Ronaldinho Gaúcho, depois de uma temporada fabulosa no Barcelona parece surgir algo cansado neste Mundial, com muita pena de quem gosta de bom futebol e esperava um Ronaldinho “maradonizado” para este Mundial da Alemanha.
O resultado de tudo isto é uma equipa pouco imaginativa no ataque (salvo um ou outro pormenor de Kaká ou a irreverência de Robinho quando entra), e algo permeável quando perde a bola, o que faz com que os seus adversários consigam construir situações de golo em catadupa, evitadas por um bom desempenho dos centrais e por um inspirado Dida, além naturalmente de alguma sorte.
É claro que basta Ronaldinho Gaúcho emergir deste seu obscuro início de prova para recolocar o Brasil no topo do favoritismo, pois sabemos o que ele é capaz de fazer quando está bem. Parreira aliás, já demonstrou que se alicerça nas suas estrelas para conseguir um bom resultado (que para o Brasil só pode ser o título), submetendo o equilíbrio do conjunto à coabitação de talentos aparentemente sobrepostos. Todavia, a continuar com este semblante acinzentado, o Brasil terá seguramente grandes dificuldades para ultrapassar equipas como a Argentina ou a Alemanha, para não falar já nos oitavos-de-final, onde terá pela frente Itália, Republica Checa ou Gana.
Caso as estrelas insistam em não brilhar, julgo ser de considerar a hipótese de proceder a uma revolução no conceito táctico desta equipa, com o recurso a homens como Gilberto Silva, Juninho Pernanbucano, Robinho ou Fred, pois opções é coisa que não falta no plantel brasileiro. O jogo com o Japão será certamente uma boa oportunidade para as testar.

6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Here are some links that I believe will be interested

6.8.06  
Anonymous Anónimo said...

I like it! Good job. Go on.
»

11.8.06  
Anonymous Anónimo said...

Looks nice! Awesome content. Good job guys.
»

17.8.06  
Anonymous Anónimo said...

Very cool design! Useful information. Go on! » »

2.3.07  
Anonymous Anónimo said...

What a great site » »

5.3.07  
Anonymous Anónimo said...

Enjoyed a lot! Clomid after a cycle Free isps http www.netzero.net plastic surgery Cheap casio digital camera Evaluating portable dvd players buying timeshare data recovery oakville dental product Prescriptions financial aid Free multiplayer craps game interior design school in illinois webhosting http://www.refinancing-68.info New leica digital camera nexium testimony Kalamazoo moving companies local

24.4.07  

Enviar um comentário

<< Home