27/04/06

É SEMPRE A MESMA CANTIGA

Não me chocaram particularmente os cânticos dos jogadores portistas entoados durante as comemorações do título. Para dizer a verdade, enquanto benfiquista, até me sinto de algum modo orgulhoso pelo facto de o meu clube nunca ser esquecido, quer se esteja a disputar uma final da Liga dos Campeões em Gelsenkirchen, quer se jogue a vitória na Uefa em Sevilha ou em Alvalade, quer se jogue qualquer competição de qualquer modalidade em qualquer recinto do país, algo que dificilmente seria possível com outro qualquer clube mundial.
Deixando de lado estas observações, feitas sob uma perspectiva clubista, importa dizer que os jogadores de futebol são jovens, e que aqueles momentos proporcionam sempre alguns excessos. Há que aceitar estas coisas como parte integrante do futebol e não as dramatizar.
Assim como achei por bem não crucificar Cristiano Ronaldo pelas suas atitudes na Luz, também não me parece que os benfiquistas devam agora “tomar de ponta” Ricardo Quaresma, que não deixa de ser um jogador de selecção, e que pode muito bem dar-nos (também aos benfiquistas) grandes alegrias dentro de menos de dois meses na Alemanha, se for convocado para o mundial.
Na minha opinião, não seria pois de dar grande importância a este incidente, muito embora ache que são os próprios jogadores (neste caso Quaresma, o único que vi a cantar veementemente a conhecida cantiga) que saem prejudicados destas ocorrências, pois além de nunca se saber o dia de amanhã (e a verdade é que nem me importaria que Quaresma viesse um dia a ser jogador do Benfica), estes jovens são hoje um apetecido produto publicitário, aspecto com o qual esta não é decididamente a melhor forma de lidar.

1 Comments:

Anonymous Xinfrim said...

Vindo de adeptos compreende-se. Dos jogadores é inaceitável.

27.4.06  

Enviar um comentário

<< Home