05/04/06

SEM MEDO !

Quando estamos apenas a algumas horas da batalha de Nou Camp, o nervoso miudinho começa a invadir o corpo e a alma dos benfiquistas. Afinal, trata-se de um momento que se pode transformar na mais retumbante glória.
Embora pouco seja exigível aos jogadores do Benfica, a verdade é que, chegados aqui, todos esperamos ainda mais qualquer coisinha. Depois do que já foi alcançado, todos acreditamos firmememnte em que seja possível mais uma proeza.
Se o Benfica for eliminado, apesar da excelente campanha, restará o amargo travo de uma época quase em branco. Se resistir ao Barça, sairá de Nou Camp sobre nuvens, como um dos legítimos pretendentes ao ceptro europeu e com a época absolutamente salva.
Em rigor, não se pode falar em momento histórico. É a décima sexta vez que Benfica disputa os quartos de final, e se os ultrapassar, será a décima vez que estará numas meias finais. Algo natural portanto, não fossem onze os anos que nos separam da última destas ocasiões.
Trata-se pois, isso sim, de um regresso a um glorioso passado que parecia cada vez mais difícil de repetir, e que volta agora ao horizonte dos benfiquistas. Saberemos mais logo até que ponto.
Não é fácil a missão.
É um lugar comum falar em concentração total, auto-confiança e sorte. Elas são sempre imprescindíveis, e seguramente que as duas primeiras estarão presentes em Barcelona, enquanto a terceira só aparece quando e a quem quer.
Que pode então o Benfica fazer mais do que simplesmente esperar pela sentença dos deuses?
Quer-me parecer que estrategicamente a abordagem a este jogo deve ser ligeiramente diferente da de Liverpool, ou da primeira mão destes quartos. Aí o Benfica jogou no erro do adversário, deixando a este a iniciativa de jogo, confiando na sua forte e alta defesa e no seu rápido contra-ataque. Julgo que em Nou Camp o Benfica terá de ser mais afirmativo.
Ao contrário do Liverpool (ou o próprio Manchester United), pouco imaginativo na fase de construção, e algo repetitivo no bombear de bolas para a área contrária – a que Luisão e Anderson respondem na perfeição – o Barça é de uma extrema criatividade ofensiva, os seus avançados são tremendamente tecnicistas e móveis, capazes de criar desequilíbrios e situações de concretização.
Assim sendo, o Benfica não se pode remeter a uma toada estritamente defensiva permitindo que a bola se mantenha muito tempo junto da sua área, pois só por milagre seria dessa forma capaz de evitar o golo, tal a qualidade individual e colectiva dos atacantes catalães, sua mobilidade e eficácia. Os encarnados devem ao invés, procurar sair sempre que possível com a bola controlada para situações de ataque, afastando o jogo da sua área, subindo a sua linha defensiva uns vinte metros, e tentando circular a bola o mais que lhes seja possível, irritando o adversário e o público, nunca deixando de “mostrar os dentes”, se me é permitida a expressão.
Na verdade não me custa a acreditar que o Barcelona venha a ser incapaz de marcar dois golos, mas parece impossível crer que não marque pelo menos um. Logo, é determinante o Benfica ser capaz de criar perigo, pois 1-1 ou 2-2 serão melhores que 0-0, e ao contrário do jogo de Anfield Road, a equipa portuguesa não parte em vantagem.
É imprescindível voltar a anular Ronaldinho e Deco, mas há que dar maior atenção aos espaços criados pela ausência de Ricardo Rocha sempre que tenha de acompanhar o astro brasileiro para a zona central do terreno.
No miolo de terreno talvez não fosse de descartar a utilização de Karagounis (em vez de um Geovanni longe do seu melhor), elemento capaz de temporizar o jogo, manter a posse de bola, lançar o ataque e ainda rematar de meia distância. Com Karagounis, Beto, Manuel Fernandes e Petit o Benfica marcaria uma inegável superioridade numérica na zona nevrálgica do terreno, superioridade essa imprescindível para a manutenção e circulação da bola longe da sua baliza, garantido maior facilidade nas transições, enervando o adversário, não o deixando empolgar, pressionando o seu desfalcado meio campo defensivo, e procurando uma oportunidade para marcar. No fundo, tratar-se-ia de reforçar o meio campo para jogar mais ao ataque, o que podendo parecer paradoxal, não o é. Resta saber que condição física apresenta o grego, pois este jogo vai ser de uma intensidade tremenda, e só alguém no seu melhor a ele pode resistir com êxito.
Deste modo o meu onze seria o seguinte: Moretto, Ricardo Rocha, Anderson, Luisão, Léo, Petit, Manuel Fernandes, Beto (desta vez a fechar na direita), Karagounis, Miccoli e Simão
O Barça seguramente que alinhará do seguinte modo: Valdés, Belletti, Puyol, Oleguer, Van Bronkhorst, Iniesta, Van Bommel, Deco, Larsson, Eto’o e Ronaldinho.
Tenho confiança no Benfica.
Acho que já provou ser equipa para as grandes ocasiões (com um plantel pouco dado a um patamar de rendimento regular, mas capaz do mais cintilante brilhantismo, logo grandemente talhado para este tipo de competições), e como disse Koeman, eles só têm duas pernas (embora quanto a braços possam existir algumas diferenças como vimos na primeira mão), ao que eu posso acrescentar que são apenas onze.
Estes combates de David contra Golias, pendem muitas vezes para os Davides. Basta passar um olhar sobre os sites dos principais jornais catalães para perceber que por aqueles lados ninguém tem a menor dúvida que o Barcelona seguirá em frente. O optimismo chega ao ponto de quase se preocuparem mais com o Milan-Lyon, de onde sairá, dizem eles, o próximo adversário do Barça. Existe mesmo um inquérito onde quase cinquenta por cento das respostas apontava para uma goleada (e evidentemente a quase totalidade para a passagem da eliminatória).
Se este sentimento fosse extensível ao plantel "azulgrana", estaria certo de que o Benfica teria fortes hipóteses de seguir em frente. Mas normalmente as grandes equipas, e o Barcelona é das maiores, são imunes a este tipo de sentimentos sobranceiros. De qualquer forma, os homens não são máquinas, e há sempre algo que fica do ruído exterior.
Acredito que Lubos Michel possa ser um árbitro isento, ao contrário do que foi o seu colega inglês na primeira mão.
Faltam noventa minutos, e tudo pode acontecer.
Sem medo, à conquista da Europa !
Força Campeões ! Que Deus esteja convosco !
Viva o Benfica !
Viva Portugal !

8 Comments:

Anonymous Eusebio said...

1-1 golo de Miccoli, e tá no papo
Força SLB

5.4.06  
Anonymous Roberto Baggio said...

Não acho que jogue o Karagounis de inicio. Não aguenta os 90 m.
Para mim deve entrar o Geovanni e depois, quando o Barça estiver cansado de correr, então o grego

5.4.06  
Anonymous Xinfrim said...

Mas o Geo também n aguenta o jogo todo.....

5.4.06  
Anonymous Roberto Baggio said...

Mesmo por isso.
Corre para os cansar e depois Karagounis brilha. Trigo limpo farinha amparo

5.4.06  
Anonymous LF said...

Segundo as últimas notícias (RTP), julgo que será o Geovanni a entrar de início.

5.4.06  
Anonymous cajo said...

2-0 ronaldinho e eto'o

6.4.06  
Anonymous otragal said...

Ainda dizem que prognosticos só depois do jogo.

6.4.06  
Anonymous LF said...

Só quem não arrisca é que nunca erra.
De qualquer modo, enquanto o palpite no Inter era racional, tratando-se portanto de um erro de análise, o do Benfica era naturalmente mais fruto do coração do que da cabeça....

6.4.06  

Enviar um comentário

<< Home