PIZZI E MAIS DEZ

Depois de uma primeira parte medonha, o Benfica, conduzido pelo "comandante" Pizzi renasceu das cinzas e conseguiu a sua décima vitória nos primeiros onze jogos - registo que só encontra paralelo em...1983. 
Ficou demonstrado que Pizzi é indispensável nesta equipa, mais a mais dada a ausência prolongada de Rafa. O transmontano é, neste momento, o único que dá critério ao meio-campo ofensivo do Benfica, além de que vai mantendo a veia goleadora que faz dele o líder dos artilheiros.
Ninguém sabe se, com ele em campo desde início, a história de Lyon poderia ou não ter sido diferente. Mas não havia necessidade de ter essa dúvida, pois não?

3 comentários:

joão carlos disse...

sobre a parte de lyon não concordo porque ele não é um jogador de equilibrismos nem de capacidade de luta coisa que é necessário na lc, alias ele tinha jogado em casa contra o lyon, entrado quando em vantagem, e estava a fazer um jogo péssimo quando aproveito, e de maneira excelente , o brinde do lopes.
portanto só foi decisivo na aflição como foi em lyon.
até porque ele na lc não tem a mesma capacidade de finalização, alias aquele golo ao lyon foi o primeiro dele na prova, ou assistências que tem nas competições nacionais.

dezazucr disse...

Sem desprimor para a utilidade do jogador, com ele em campo perdemos os 2 primeiros jogos da Champions. Estas equipas são o seu campeonato e aí é rei e útil. Sempre que o nível sobe (porto, champions), desaparece.

Dr. Ghozé Pablito disse...

Pizzi é um grande jogador!