13/01/15

UM ANO INESQUECÍVEL


O ano de 2014 entrou para a galeria dos mais empolgantes da história recente do Benfica.

É verdade que começou de forma triste, com o desaparecimento de duas lendas do futebol português e mundial, que tantas saudades nos deixaram. Eusébio e Coluna partiram, e, infelizmente, já não puderam desfrutar dos triunfos com que o clube que tanto amavam, e ao qual tanto deram, varreu o país.

Certamente que a magnitude do seu legado serviu de inspiração aos atletas encarnados que, ao longo dos meses seguintes, nas várias modalidades e escalões, fizeram de 2014 um ano para recordar. Desde logo, no Futebol.

Campeonato Nacional, Taça de Portugal, Taça da Liga e Supertaça. Tudo ficou nas nossas mãos. Mais títulos nacionais houvesse, mais títulos seriam conquistados. Foi, como se costuma dizer, uma limpeza.  

Só um árbitro alemão de má memória impediu a nossa equipa de alcançar a consagração internacional que tanto merecia. Os penáltis de Turim foram, sem dúvida, o momento desportivo mais doloroso de 2014, não só pela perda de algo que parecia estar perfeitamente ao nosso alcance, como pelo sentimento de injustiça face à forma obtusa como tal desfecho se concretizou.

Já na nova temporada, as treze vitórias em quinze jogos do Campeonato, a clara vitória no Estádio do Dragão, e os seis pontos de vantagem na tabela classificativa, indiciam que o sonho do “Bi” está bem vivo. É esse o grande desejo de todos nós para 2015. É esse o desígnio que terá de nortear a família benfiquista durante os próximos cinco meses. Unidos, enchendo estádios, criando uma avassaladora onda vermelha em torno da equipa e de cada partida, estou seguro de que voltaremos ao Marquês.

Também nas restantes modalidades o Benfica deu cartas em 2014. Campeão de Basquetebol, Atletismo e Voleibol, vencedor da Taça de Portugal em Hóquei em Patins, líder nas várias frentes em que participa nesta nova época, o último ano evidenciou um Benfica altamente competitivo, e predominantemente ganhador. Também no ecletismo, 2015 promete.