07/07/11

FACES OCULTAS

"O ciclismo é uma das modalidades que mais me apaixona, e é ele que me preenche o vazio dos meses de defeso, sobretudo quando o maravilhoso “Tour de France” sai para as estradas.

Desde que me lembro, o desporto velocipédico é também aquele que, aparentemente, mais propenso se mostra ao fenómeno do doping. Está em andamento um processo que pode vir a suspender Alberto Contador (indiscutivelmente o melhor da actualidade), há denúncias comprometedoras para Lance Armstrong (outro grande campeão), e todo o espaço desta coluna não daria para enumerar os ciclistas castigados por práticas de dopagem – sobretudo após o eclodir dos casos “Festina”, em 1998, e “Operação Porto” (que nome?!), alguns anos mais tarde.

Por vezes interrogo-me se o ciclismo será mesmo a modalidade onde o doping mais prolifera, ou apenas a mais controlada, e, como tal, aquela em que mais casos dão à costa. É possível que a resposta esteja algures a meio, mas o que é indesmentível é que o tipo de controlo feito no ciclismo nada tem a ver, por exemplo, com o do futebol.

Actualmente, cada ciclista está obrigado a uma espécie de passaporte biológico, constituído por análises sanguíneas regulares, onde ficam registadas todas as suas variações hematológicas. À mais pequena anomalia, segue-se uma bateria de exames complementares, e as correspondentes explicações médicas.

Esta evolução surgiu porque as novas formas de dopagem já não eram detectáveis através das tradicionais análises à urina. O tempo das anfetaminas já lá vai. Hoje existem a EPO, a CERA, as hormonas de crescimento, as auto-transfusões, e já se fala de doping genético.Neste contexto, que motivos temos nós para acreditar que o futebol - que movimenta muito maiores interesses, e muito mais milhões - permaneça imune a estas práticas? E sem um rigoroso despiste sanguíneo, que garantias podemos ter de que grandes vitórias de certos clubes (sobretudo os que já se mostraram capazes de recorrer a outros meios ilícitos) não escondam tenebrosos esqueletos nos seus armários?"

LF no jornal "O Benfica" de 17/06/2011

6 Comments:

Anonymous Brytto said...

Eu olho para o Barcelona e penso mts vezes nisso... como é possível?!!!!!!!!! Há 3 ou 4 anos que os jogadores praticamente não têm férias, sempre jogando ao mais alto nível, seja pela selecção espanhola(venceram o europeu e mundial com a base do Barcelona), seja na liga espanhola, seja na liga dos campeões, seja na taça do rei, seja nas qualificações das várias selecções, como será isso possível?!!!!!! Não me admira nada o Real ter levantado as suspeitas...
Cá dentro, claro, tb tenho as minhas suspeitas...

7.7.11  
Anonymous Anónimo said...

patriarca disse:


Excelente e oportuno Texto, que resume de facto o que no Desporto se passa, no Ciclismo, mas TENHO A CERTEZA que no Futebol ainda mais a DOPAGEM É EFECTIVA e QUASE CONTÍNUA em determinados Clubes, Clubes esse que até SABE ANTECIPADAMENTE quando os "VAMPIROS" lá vão fazer ou fazer que fazem os testes e nada cái do Céu por não ter unhas. Por exemplo do Porco que a época passada ATÉ MANDOU os Gajos da Anti-Dopagem a Olhão, dado que na semana a seguir iam lá jogar e ELES NÉSPIA nem uma analise LICITA, portanto o que frisas no Texto tem TODA a razão de ser e dado que daqui a pouco tempo vai iniciar-se mais um campeonato era bom que fizessem com alguma regularidade e ALIATÓRIAMENTE analises, o que sabemos só acontecer no Benfica, porque a Nossa Direcção cala-se, comemos pela medida grande e fazemos silêncio, somos portanto culpados nisto em parte, claro está.

7.7.11  
Blogger jfk said...

Brytto, falas de jogadores do barça, como poderias falar de jogadores do porto. igual. correm que se fartam, uma época inteira, parece sempre que estão em início de época.

Os abaixamentos de forma só afectam os jogadores de ... todas as outras equipas.

Mais: se recordarmos, o Ronaldo, quando foi para Manchester, esteve 3 anos a ganhar cabedal.

O que o Manchester fez com o Ronaldo em 3 anos, faz o porto com os jogadores que compra... nos meses de férias.

Recorde-se Varela, no final de época no Estrela e depois quando apareceu a jogar pelo Porto...

7.7.11  
Anonymous frank said...

Gostei muito deste texto faces ocultas porque eu tambem adoro o ciclismo, tenho pena de o nosso Benfica nao ter uma equipa de ciclismo como no passado e que bom seria voltar a ter as estradas Portuguesas coloridas de encarnado para isso bastava que conseguissem um bom patrocinador,concordo quanto ao controlo antidoping praticado no ciclismo devia ser aplicado no Futebol concerteza que haveria muitos jogadores que corriam menos nao me refiro somente ao panorama Nacional como ao internacional e quase que arrisco que alguns titulos seriam retirados dessas mesmas equipas ciclisticamente ou futubolmente falando.Senhores do Futebol vamos la imitar o ciclismo no que toca ao controle antidoping.

8.7.11  
Blogger RIVUS said...

Olá amigos: nunca tive qualquer dúvida sobre o doping levado a cabo de forma científica - como parece dever ser efectuado - no clube corrupto. Sempre o disse e tenho essa firma convicção. Já desde há muitas épocas. Na verdade, eles parecem super-homens, jogam sempre ao mais alto nível, nunca têm quebras, cilindram tudo e todos, com planteis do mais trivial que existe, chegando mesmo a ter a certeza de que nunca perdem e, de facto, dessa forma não perdem mesmo. Como é possível estar a perder ao intervalo com uma equipa nada inferior á deles, o Villareal, estar na eminência de sofrer o segundo golo e, num repente, em 30 minutos, marcam cinco!? E na Luz com o Benfica para a taça? Em pouco mais de dez minutos resolveram a questão.
Tudo isso, aliado a outros meios fraudulentos e impunes, os torna imbatíveis.E muitos mais exemplos se poderiam citar, ocorridos ao longo destes trinta tenebrosos anos. Há que dizê-lo, sem medo ou então, além de agirmos como parvos, farão de nós parvos. O que causa apreensão é que tudo vai continuar na mesma, sem ninguém se importar ou fazer o que quer que seja. Não haja ilusões!

8.7.11  
Blogger troza said...

O ciclismo para mim baixou muito o nível.

Enquanto em anos passados bastava uma suspeita ou uma ligação a um médico e era tirados da volta à França.

Mas agora, a nova galinha de ovos de ouro depois de Armstrong ter sido apanhado com doping, pode ainda correr na volta à frança, depois de, para além do controlo positivo, ter ganho com o tempo que ganhou ao Shleck quando a corrente saltou... Doping perdoado (por enquanto) e falta de fair-play (nada característica do ciclismo) é algo que não consigo aceitar de animo leve

8.7.11  

Enviar um comentário

<< Home