26/10/07

A MATEMÁTICA DA CHAMPIONS

Com três jornadas e seis jogos por disputar, existem ainda em cada grupo da Liga dos Campeões 729 combinações possíveis de resultados, pelo que é prematuro (e complicado…) apresentar cálculos matemáticos rigorosos envolvendo todas as possibilidades.
Para o Benfica, sobretudo, há uma impressionante multiplicidade de hipóteses, num grupo cuja classificação ficou, depois desta jornada, bastante enrolada. Por exemplo, existem possibilidades matemáticas de o clube da Luz se apurar para os oitavos-de-final com apenas sete pontos, e possibilidades de ficar eliminado alcançando dez.
Há todavia dados que se podem desde já avançar:
-Caso perca em Glasgow na próxima jornada, o Benfica não fica desde logo eliminado. Terá contudo de vencer os últimos dois jogos, ficando mesmo assim dependente de terceiros.
- O empate na Escócia é um bom resultado, e deixa o Benfica dependente de si próprio para as últimas duas jornadas. Além de naturalmente o deixar em excelente posição se falarmos apenas de Taça Uefa.
-Levando em linha de conta o factor-Milan (ou seja, a fortíssima hipótese de o campeão europeu seguir em frente), parece pacífico aceitar que as possibilidades mais reais de qualificação se desenham à custa do Shakhtar, e consequentemente em redor de uma vitória na Ucrânia. Esse será o jogo chave – é matemático que se o Benfica o perder, não poderá em caso algum ficar à frente do Shakhtar -, e interessa portanto, acima de tudo, chegar lá com as contas em aberto. Nessa medida seria talvez preferível uma vitória (ou pelo menos um empate) do Milan em Donetsk na próxima jornada, para assim deixar os ucranianos mais à mercê de poderem depois ser ultrapassados.
- Por outro lado, paradoxalmente, caso o Milan perca na Ucrânia, o Benfica, até pode chegar à última jornada já qualificado, tendo para isso, obviamente, de vencer Celtic e Milan. Olhando apenas para a próxima jornada, esta combinação (Celtic-Benfica 2 e Shakhtar-Milan 1), é aparentemente favorecedora, pois deixaria o Benfica em condições de decidir tudo em casa na jornada seguinte com o Milan (que jogo !, que receita !), mas é também muito perigosa, pois não ganhando ao Milan, os encarnados corriam riscos de nem o terceiro lugar poderem segurar. Para fazer valer este caminho, o Benfica teria portanto forçosamente de contar com uma vitória na Luz diante dos campeões europeus, o que de fácil, como se sabe, não tem nada. Assim sendo, talvez seja mais prudente desejar mesmo é que o Shakhtar Donetsk não vença os italianos no próximo dia 6.
- Olhando às múltiplas opções, e embora esta afirmação não seja matematicamente segura, se o Benfica empatar os próximos dois jogos (Celtic e Milan) e vencer na Ucrânia, muito provavelmente apura-se. Parece ser este o caminho mais verosímil.
Tudo ainda muito complicado portanto, na certeza porém de que o Benfica, com três rondas por disputar, apenas depende de si próprio para se apurar para os oitavos.
A título de curiosidade, lembre-se apenas a sequência de jogos da equipa de Camacho a iniciar lá para finais de Novembro: Quarta dia 28/11 Milan na Luz, Sábado 1/12 F.C.Porto na Luz, Terça 4/12 Shakhtar em Donetsk, que semana !!!

Para Sporting e Porto as contas são substancialmente mais simples de fazer.
Os leões terão de vencer a Roma, e fazer os mesmos pontos que os romanos nas últimas duas partidas. Caso percam com a Roma em Alvalade não ficam matematicamente eliminados, mas necessitariam de um verdadeiro milagre para a qualificação. Mesmo em caso de empate, as contas ficam muito difíceis, e genericamente dependentes de uma difícil e improvável vitória em Old Trafford. Aos dragões por seu turno, basta vencer os dois jogos em casa com Besiktas e Marselha. Mas uma vitória e um empate até podem bastar, dependendo dos outros resultados.
Após a próxima jornada será obviamente mais fácil trabalhar, uma por uma, todas as combinações, e assim chegar a conclusões mais seguras.