CAMINHO ABERTO

Podia ser bem pior. De facto, o sorteio da Taça Uefa que põe os romenos do Dínamo de Bucareste no caminho do Benfica não se revelou muito cruel para o clube da Luz. De um pote de onde podiam ter saído Sevilha, Ajax ou Celta de Vigo, saltou esta equipa romena com poucas estrelas e pouco currículo, e embora o Nancy talvez fosse o adversário mais adequado para os encarnados, pode-se dizer que os maiores perigos passaram claramente ao lado.
Depois do mal fadado sorteio dos quartos-de-final da Champions League da época passada, que impediu o Benfica de sonhar mais alto (como o F.C.Porto fizera dois anos antes), confirma-se assim que esta temporada os encarnados não se podem queixar da fortuna neste tipo de evento (Austria de Viena, Copenhaga...).
Mas atenção ! O Dínamo comanda o seu campeonato com cerca de quinze pontos de avanço (apenas um empate e uma derrota até agora), tem uma equipa fisicamente muito dotada e conseguiu o apuramento com grande facilidade. Recorde-se também que a Roménia ocupa a sétima posição no ranking da Uefa, e que na época passada colocou duas equipas nas meias-finais da competição. Deste modo estamos longe de poder afirmar que a eliminatória esteja ultrapassada. O “melhor” Benfica é favorito, mas não pode haver lugar a facilidades.
O Dínamo equipa de vermelho, dispõe de uma boa dupla de avançados (um deles habitualmente convocado para a selecção: Niculescu) e já jogou com o Benfica na prova, justamente na temporada de 1999-00, vencendo na Luz por 0-1 com um “frango” monumental de Robert Enke - em jogo que recordo particularmente pela copiosa chuva que apanhei em cima durante toda a segunda parte, seguramente uma das maiores bátegas da minha vida em estádios de futebol – e perdendo depois em casa por 0-2, com golos de Chano e Maniche que valeram a passagem ao Benfica, numa prova onde havia de mais tarde encontrar o Celta de Vigo com o desfecho que todos se lembram.
A equipa tipo do Dínamo é a seguinte: Hayeu, Pulhac, Moti, Blay, Radu, Margaritescu, Munteanu, Serban, Cristea, Niculescu e Ganea. Fazem também parte do plantel o angolano Zé Kalanga, o francês Mendy e o sérvio Lerinc.
A primeira mão disputa-se na Luz, e o vencedor da eliminatória defrontará em seguida o vencedor do duelo entre Paris Saint-Germain e AEK de Atenas (justamente a antiga equipa de Fernando Santos).
Perante este panorama, há todos os motivos para uma aposta forte nesta prova, em que parecem estar reunidas todas as condições para chegar longe.

O Sporting de Braga não foi tão afortunado, muito embora a escolha também não fosse muito ampla. Terá pela frente o Parma de Fernando Couto, e dificilmente poderá aspirar a muito mais na prova, até porque caso afaste os italianos terá de defrontar o Feyenoord ou o Tottenham. Só um super Braga poderá passar mais esta fase.

Eis todos os jogos.

4 comentários:

cj disse...

dos de bucareste, um dos pontos mais fortes parece ser o equipar de vermelho, como dizes.

LF disse...

Não será o único ponto forte.
É o lider destacadíssimo do campeonato romeno, que não é muito pior que o português.

Rakal D'Addio disse...

Aqui de longe, arrisco dizer que o maior problema do Benfica não é o adversário, mas si próprio.

LF disse...

Acho que tem razão Rakkal.