21/08/06

DE REGRESSO !

Ora cá estamos nós !
Após um retemperador período de férias, VEDETA DA BOLA volta hoje ao convívio dos seus leitores, para uma nova temporada que se espera repleta de grandes emoções.
Nesta pausa, algumas coisas dignas de nota ocorreram no futebol português.
O F.C.Porto obteve o primeiro título da temporada, batendo com facilidade um Vitória de Setúbal extremamente frágil, no jogo da Supertaça. Destaque para os brasileiros Anderson e Adriano que prometem muito numa equipa que tem no sector defensivo (agora privado de Pedro Emanuel) o seu “calcanhar de aquíles”.
Já antes deste jogo, o técnico holandês Co Adriaanse apresentara surpreendentemente (ou talvez não…) a demissão, originando uma triste novela em torno da sua substituição.
Adriaanse nunca foi um bem amado quer pelos jogadores, quer pelos adeptos portistas, pelo que a sua partida não terá feito correr muitas lágrimas. De qualquer modo, a “dobradinha” que fez na temporada passada fica como marca indelével da sua passagem por Portugal.
Diga-se que Jesualdo Ferreira parece ser, no momento actual, uma boa escolha, mas também é verdade que na única ocasião em que esteve à frente de um grande (Benfica 2002), os resultados não foram famosos. Não tinha o plantel que o F.C.Porto neste momento tem, mas ainda assim dispôs, nas duas meias épocas que fez, de jogadores como Enke, Moreira, Miguel, Fernando Meira, Ricardo Rocha, Marco Caneira, Tiago, Petit, Zahovic, Maniche, Simão Sabrosa, Drulovic, Roger, Mantorras, Nuno Gomes, Feher e Jankauskas, e nem a qualificação para as competições europeias alcançou, sendo depois eliminado da Taça de Portugal em casa pelo Gondomar (então na 2ª B), jogo que marcou o seu despedimento. Viu-se a diferença que, com o mesmo plantel, José António Camacho veio depois a implementar.
Na Luz continua a instabilidade na definição do plantel, resultado sobretudo do caso Simão, mas também dos (estranhos) casos Miguelito e Karagounis, sem esquecer Manuel Fernandes, que para todos os efeitos ainda é jogador do Benfica.
Com inúmeras condicionantes, o Benfica conseguiu ainda assim em Viena um resultado que o coloca à beirinha de, amanhã na Luz (onde obviamente VEDETA DA BOLA vai marcar presença), carimbar a presença na fase de grupos da Champions League.
A fragilidade denotada pelos austríacos há quinze dias parece ser suficiente para gerar algum optimismo entre o povo encarnado, mas…toda a prudência é pouca.
O caso Simão, diga-se o que se disser, vai perdurar até à meia noite do próximo dia 31, até porque o jogador não está convocado para o jogo de amanhã, deixando assim a possibilidade de transferência em aberto.
Pelas bandas de Alvalade tudo corre sobre rosas, e o clube leonino – em altura de festa centenária – sai desta pré-época como seu claro triunfador (vitórias inequívocas sobre Benfica, Huelva, Corunha e Sevilha). Para já, e levando em linha de conta que é o único a manter toda a estrutura da época anterior, assume-se como o principal candidato ao título. Mas, eloquentes campeões de pré-temporada que se afundaram na competição “à sério”, é o que não falta na história do futebol português…O Benfica que o diga !
Lá para finais desta semana, após esta importante eliminatória europeia, terá neste espaço uma antevisão da Liga Portuguesa, com particular destaque naturalmente, para a pormenorizada análise aos três principais e crónicos candidatos ao título.